quarta-feira, maio 16, 2007

Um banco de jardim,

um gelado para ela, um livro para mim. O chilrear dos pássaros, as nossas conversas, as corridas (para apanhar a própria sombra), os risos, o silêncio. O tempo a fluir por nós duas. A sensação de plenitude. De que nada falta. De que nada sobra. Simplesmente perfeito.

3 comentários:

sorrisos da minha alma disse...

;-))cumplicidade em sorrisos, gargalhadas, olhares... sim simplesmente perfeito, sei bem do que falas

Sónia disse...

hummmm....tempo precioso passado com quem mais se ama!

Margarida Atheling disse...

Há momentos assim que têm tanto de simples quanto de perfeitos! :)

Bjs!