sábado, julho 29, 2006

sexta-feira, julho 28, 2006

Último dia...

Hoje foi o último dia da Joana com a Avó Tina. É pena que eles, os finalistas (como agora gostam tanto de chamar às criancinhas) não se apercebam do dia de hoje. Para eles, foi mais uma sexta-feira. Uma sexta-feira especial porque as mães fizeram um lanchinho surpresa e trouxeram umas prendinhas para eles darem a quem lhes deu tanto nos últimos anos. Para nós, uma pequenina tristeza por mais uma etapa que chegou ao fim. Por saber que eles vão ficar separados, cada um em sua escola. Por saber que vamos deixar de nos ver todos os dias como estávamos habituados. Sorte a minha que a tenho (à Avó Tina) mesmo ao meu lado. Sorte a minha que é como se fossem uns avós a sério para os meus filhos. Sorte a minha que a partir de Novembro, posso continuar a ouvir os risos de um filho, logo ali ao lado e saber que está bem e feliz. Foram vinte e dois meses da vida da minha menina. Obrigada Avó Tina.

Tenho...

... a Joana a brincar no bidé cheio de água ... o Miguel a dormir há dez minutos (não tem dormido nada durante o dia) ... a casa em pantanas ... as malas por fazer ... roupa ainda por lavar O que eu ainda queria fazer... ... passar pelo menos mais duas fitas da câmara de vídeo para dvd ... conseguir deixar a casa toda arrumada ... lavar e estender a roupa que falta ... ir comprar o beliche para levar para cima e um colchão novo ... deixar tudo organizado ainda hoje (porque amanhã há natação e escolinha) ... fazer uma lista para não me esquecer de nada A realidade... ... sozinha com eles dois não consigo, definitivamente. Paciência.

A prova provada...

de que preciso de férias. Marco o cabeleireiro para ela às 10h45. Às 10h00, o pai telefona que também quer ir (pai-galinha... ui ui). Às 10h40 ainda estou eu e ela por vestir porque o Dom Redondinho não colaborou. Às 10h44 telefono para o cabeleireiro a dar conta do nosso atraso (que eu simplesmento detesto chegar atrasada). Não há problema e podemos ir sem pressas. Vamos os quatro em procissão com a menina cortar o cabelo. Ela porta-se bem, e os papás nunca a gostam de ver com o cabelinho assim tão penteadinho e tão certinho. Chegamos a casa pelas 12h20. Ela vai para a ama e eu vou à farmácia com ele. Às 13h30 estou a estrelar uns ovos (não me apetecia fazer almoço) e lembro-me: O Miguel devia ter ido às vacinas às 10h!!! Oooppsss... (agora estou à espera que as enfermeiras venham da hora do almoço, para telefonar e ver se me fazem o especial favor de ainda lhe dar a vacina hoje... é que senão, só daqui a três semanas :s) Adenda: São 15h e o pirralho já levou as vacinas. E podia ter escrito esta adenda vinte minutos mais cedo... não fosse ter-me esquecido lá do boletim de saúde dele, e ter de voltar atrás! Ai a minha cabeça... isto anda bonito, anda...

Ele e a praia...

até agora posso dizer que gosta. Não se importa com a areia nos pés mas ainda não experimentou a água do mar. É que agora ao final do dia, a brisa à beira-mar já pede mais um agasalho que um mergulho. (e fica um agradecimento público à minha filhota que por se portar tão bem, nos permite estas saídas a três)

Sapinhos...

também apareceram por cá. (A Joana nunca teve) O que vale, é que reparei logo e depois de confirmado pelo pediatra e medicado, desapareceram em menos de 48 horas!

Ainda há dúvidas?!

Com os três meses acabados de fazer ele já pesa 7,100kg. E ainda me perguntam como é que eu estou a voltar à forma antiga tão depressa! Mas ainda há dúvidas?!

A praia e os avós...

Foi um sucesso! Bastou a avó sussurrar-lhe ao ouvido às seis da manhã que iam à praia, para ela se levantar cheia de genica! No domingo, foram até à Costa da Caparica e andaram de autocarro, metro e camioneta. Delirou pois claro, e quando chegou a casa, almoçou como se não comesse há anos. Como ela gostou tanto, acabou por ficar lá para ir à praia na segunda com o avô. Desta vez, o destino foi Carcavelos e andaram de autocarro, metro e comboio. Escusado será dizer que ela adorou. Quando a fui buscar, contou tudo o que fizeram com uma emoção que só visto. Gosto dos nossos reencontros. Quando ela corre para mim com um sorriso de orelha a orelha e se joga no meu colo num abraço apertado. Mas acho que ainda gosto mais, de saber que ela tem esta oportunidade de fazer coisas diferentes com os avós. Tornam-se especiais. Coisas só deles.

Sobre...

Ela (33 meses) ... conversa, explica e pergunta, num non-stop por vezes extenuante ... noto-a maior, mais desenvolta, mais menina ... a sua paixão pelas princesas e pelas bailarinas está a crescer exponencialmente ... adora as histórias que o pai lhe conta ao deitar, prefere que seja ele a deitá-la (porque ele adormece com ela, e eu saio sempre do quarto deixando-a adormecer sozinha) ... já consegui ler-lhe uma história* (com muitas palavras :p) do início ao fim ... está a comer melhor (eu não disse nada ok!) ... continua apaixonadíssima pelo irmão ... está ansiosa por ir para a escola e é tema recorrente ... entretem-se mais sozinha ... as asneiras continuam em alta ... está a ficar vaidosa ... reconhece quase todas as letras do abecedário e associa-as a uma palavra (culpa do computador do Noddy) ... consegue contar pequenas quantidades ... quer ajudar em tudo o que diz respeito ao irmão ... gosta do Canal Panda, do Ruca, do Noddy, do Mickey e companhia e agora descobriu o Tom & Jerry * um dos livros da colecção Princesas Disney (Ler é Crescer, Verbo) os seus favoritos neste momento Ele (3 meses) ... palra muito (especialmente de manhã) ... sorri para toda a gente ... dá uns guinchinhos deliciosos quando ri (às vezes) ... quer comer as mãos à viva força ... tem cada vez mais força e finca os pés para se por de pé ... quer mais colo durante o dia ... continua muito mimoso ... delira sempre que vê a irmã à frente ... gosta de andar ao colo virado para fora a cuscar tudo e esbraceja imenso para tentar chegar às coisas ... os bonecos do ginásio já não lhe escapam ... gosta de estar no ginásio, mas sentado na espreguiçadeira (na posição mais alta) ... continua calminho, mas quando chora é a sério e é um sarilho para o acalmar ... cresce a olhos vistos e aquelas pregas e refegos só dão vontade de morder ... faz muitas sonecas pequeninas durante o dia ... gosta de dormir com a cara bem aconchegada na fralda ... conversa com tudo, até com as fotografias ... gosta de estar deitado de barriga para baixo ... descobriu, hoje, a levantar o rabo da espreguiçadeira (fincando os pés) quando está farto de lá estar (acho que aprendeu com a Sara, Inês! :p) ... se tem alguém à frente dele que não lhe presta atenção, fica furioso e esbraceja e mete-se com ela até ter a atenção desejada E eu ... destilo baba por todos os poros

quinta-feira, julho 27, 2006

O próximo...

que me disser que estar de licença de maternidade é o mesmo que estar de férias, apanha! Mas é que apanha mesmo! E eu estou mesmo a precisar de umas férias. Só falta um dia e meio... só falta um dia e meio... só falta um dia e meio...

Parece que é desta!

Finalmente tenho a minha máquina ok novamente. Por sorte a faísca que fiz na motherboard só causou problemas no disco rígido, e foi preciso apenas uma nova formatação. O que me falta agora é mesmo tempo para vir aqui... beijinhos e o mais tardar até logo à noitinha!

quarta-feira, julho 26, 2006

Pois...

o pc já está formatado e os programas (todos originais... claaaaarooo) também já estão quase todos instalados, maaaaasss... Um pequeno descuido bastou para dar cabo da motherboard! (para quem não percebe nada disto, significa que matei o bicho pela parte mais cara... xiça) Estou assim, a escrever agora directamente da casa da família ervilha, só para vos dizer, que infelizmente, a espera está para durar. Beijocas e até já (ou talvez não :s)

Acabei agora...

de reinstalar o pc... ufa! (segue o post dos 3 meses com data alterada sem vergonha nenhuma :p)

segunda-feira, julho 24, 2006

E o meu filho...

já dá uns guinchinhos quando ri! Ai que delícia!!! (É melhor levantarem os pés, para deixarem a baba passar à vontade. Obrigada! :p)

O pc ainda está na mesma...

estive até às 4h44 da matina só a fazer backups... isto promete ser demorado! Até jáaa!

domingo, julho 23, 2006

Goodbye... farewell... auf wiedersehen... adieu!

eu vou... formatar o pc, eu vo-ouuu! tum tururum tururum turummmmmm Meninas e meninos, avisam-se as hostes que este cantinho está temporariamente encerrado para manutenção aqui do pc. Se a ausência for superior a um dia, tenham pena de mim... é sinal que a formatação, instalação de software e novo hardware e recuperação de dados do disco original, não correu bem! Façam figas... e até já! :))

sábado, julho 22, 2006

Mesmo num dia de cão...

há notícias que nos deixam com um sorriso de orelha a orelha! Especialmente quando somos as primeirinhas (e únicas*) a saber. Obrigada pela honra. Estou super feliz e a prenda prometida já está preparada! :)) * pronto, ok, fui única por pouco tempo... mas isso também não interessa nada! :p E melga-me o que quiseres! Estarei aqui de dia e de noite!

O dia de hoje...

está a ser uma prova de fogo para os meus nervos. É uma atrás da outra. E os meus filhos nem sequer são responsáveis nem por um terço. Os adultos conseguem ser tão complicados.

Nota blogo-mental

A Joana está a dormir desde as 15h. O Miguel já dormiu, acordou, sujou duas fraldas, brincou, mamou e está a dormir novamente. Já passa das 18h e tenho umas meninas à espera desde as 17h30. Tenho a cozinha em pantanas mas aborrece-me ir arrumá-la. Pensando bem, o resto da casa não está melhor. Quando decido ir lanchar e abro o pacote de leite Vigor, que comprei pelo Continente Online, cuja validade acaba dia 23 (amanhã) lá dentro não vem leite mas queijo fresco (talvez por ter andado horas a mais fora do frio?! Talvez?!). Posso dizer umas asneiras?!

Hoje sinto-me...

cansada. E da hora de almoço até à hora do jantar estou sozinha com eles. A Joana despejou um dadoninho líquido no sofá, enquanto o Miguel chorava por querer dormir. É nestas alturas* que tenho medo de mim. Porque o cansaço tolda-me o racíocinio. Irrito-me e perco a calma mais depressa. É nestas alturas que tenho de fazer uma grande força para conseguir não levantar a voz mais do que o admissível e lhe dar uma palmada. Ela nota que eu não reajo da mesma forma e fica mais tensa, contraria-me as reprimendas e testa-me os limites. Agora estão a dormir os dois, e eu vou aproveitar para descansar (depois de limpar o sofá). Pela fresca vamos sair de casa. Dentro de casa, custa-me definitivamente mais. Depois do jantar, vamos levá-la à casa dos avós. Amanhã vai ter uma grande aventura: vão os três para a praia de transportes públicos! Não sei é se ela vai gostar da parte de se levantar antes das sete da matina! * em que me sinto com vontade de me jogar em cima de uma cama e dormir, dormir e dormir.

A segunda ida à escolinha...

Passou a semana ansiosa por voltar. Quando chegou, a vergonha inicial (habitual) passou quase instantaneamente. Hoje o dia foi dedicado à música. Contou-se a história dos músicos de Bremen e de seguida fizemos instrumentos musicais para os acompanhar na cantoria. Depois foi tempo de cada um ir explorar a sua futura sala. Conheceu os amiguinhos animais da sua sala: o pássaro Francisco, a tartaruga Leonardo e os peixes (que me esqueci dos nomes); ficou para conhecer a coelhinha que é a amiguinha dos meninos da sala dos dois anos e que vem com eles em Setembro. A Joana deliciou-se e para variar fomos os últimos a sair de lá. Gostei particularmente de ver que ela reconheceu a educadora e procurava-a em várias ocasiões. Gostei que ela poucos minutos depois de ter entrado já se sentisse em casa. Gostei de eu própria me sentir confortável naquele espaço. Gostei do à vontade. Espero que seja sempre a melhorar.

sexta-feira, julho 21, 2006

Hoje...

fui sozinha com eles os dois à praia.O tempo já está mais fresco, e andar fora de casa com eles custa menos que gastar as mesmas horas enfiados em casa. Pelas 18h20 já estávamos a curtir a bela da praia. O meu maior medo era que ela me fugisse, ou que teimasse que queria ir para a água. Antes de irmos conversei com ela, e expliquei-lhe que por ir sozinha com eles, ela não podia andar a correr pela praia nem sair de ao pé de mim. Chegámos à praia, e estivemos uma hora os três tranquilos. Ela sempre a brincar com as suas coisitas à sombra do carro de passeio. Ele na converseta e a ginasticar comigo e com o seu dinossauro, deitado na toalha sob minha sombra. No meio dos mimos que lhe dava a ele, ainda fui brindada com umas puxadelas de cabelo valentes. Mesmo com uns cabelitos arrancados à força, pude efectivamente relaxar. A prova foi superada e assim, já estão programados mais finais de dia na praia a três. Depois juntaram-se mais umas meninas. A nossa Moky e a sua Natacha (finalmente!) e uma boneca de papel morenaça.As miúdas pequenas gatinharam a praia toda, e nos entretantos, a sô dôna Natacha não parava de prestar um verdadeiro serviço público a limpar a praia de beatas, caricas e outras sujidades. Para que não fosse tudo rosas, ainda houve algumas disputas (da sô dôna Joana) pelos brinquedos, um redondinho que dormiu mas pedia o consolo da sua caminha e a boneca que chegou mais tarde e quando o frio já não deixava prolongar mais a conversa (e porquê que só levamos agasalhos para os mais pequenos e esquecemo-nos sempre de nós, huuummm?!). Gostei muito de conversar com a Moky e da bonequita já sei o que a casa gasta ;) mas tenho de admitir que a estrela foi a pequena Natacha que é um verdadeiro encanto. Simpática, bonita e enorme. E que bem que fica com a cara (e boca) cheia de areia! :) Para a semana há mais!

Meu querido maridinho...

ou Preciso de arranjar uma nova mulher-a-dias e depressinha! as suas camisas já estão passadinhas a ferro! Assinado: a Sandra-dona-de-casa-prendada.

Eu sou...

mãe por intuição. Ou seja, eu sigo os meus instintos e ponho-os em práctica com grande convicção. É agradável quando os resultados aparecem e os vemos validados pelos nossos filhos. Também sabe bem, quando lemos ou ouvimos as nossas ideias explicadas e fundamentadas por alguém que usa um qualquer "Dr" antes do nome e tem livros atrás de livros publicados. Menos agradável é perceber que esta confiança toda nas questões da maternidade, incomoda muita gente.

Quando...

um miúdo bate nos outros, faz birras, grita e é desagradável, a culpa é dos pais que não lhe dão educação. Quando um miúdo é bem-educado, bem-comportado e despachado, os pais têm sorte de ter um filho assim. É assim tão linear como querem dar a parecer?! Para mim não é, nem tão pouco é verdadeiro.

Continente Online e Fraldas com 75% de desconto...

Sobre as fraldas:

Mães de bebés que gostem das fraldas da huggies, alguns modelos desta marca estão com 75% de desconto total (50% do valor em talão continente para gastar em Agosto + 25% do valor em talão continente para gastar em Setembro).

Eu acho que já não vou precisar de comprar mais fraldas na vida, por isso façam bom proveito. :)

Sobre o Continente Online:

Decidi começar a fazer assim as compras e gastar o tempo que se poupa a fazer coisas bem mais interessantes como ir passear com as crianças cá de casa. Estava já toda lançada para escrever um post sobre as maravilhas do serviço e tal e tal, mas achei melhor esperar pela entrega para poder fazer o relato completo.

Pelas experiências de amigos com este serviço tinha as expectativas muito altas. Resumindo, vou-me abster de fazer qualquer tipo de comentário. É que não tenho uma única palavra positiva a dizer do serviço de entrega. Muuuuuuuito pelo contrário. Muito provavelmente fizemos a nossa primeira e última encomenda. Só estou à espera de ler a resposta à reclamação que lhes enviei, para decidir se lhes hei-de dar o benefício da dúvida.


Adenda: Pronto, visto a enchente de boas opiniões nos comentários, acho que é justo explicar porquê fiquei assim tão desiludida com o serviço. Não houve nenhum problema com os produtos que recebi, se não contar com os 20% (11 produtos distintos) da encomenda inicial não estavam disponíveis para entrega (e que eu não quis substituir por nenhuns outros). Os problemas todos foram mesmo com o serviço de entrega e de apoio ao cliente, como referi inicialmente. Passo a explicar: Pedi que me entregassem as compras entre as 16h e as 18h30.

Dessa forma, deixava a Joana na ama até eles chegarem. Como, em geral, é a partir das 19h00 que as coisas se complicam aqui por casa (hora do mau-feitio do Miguel e das asneiras da Joana) evitava receber os senhores sozinha e com um a chorar e a outra no banho.

Às 18h40 nem tinham aparecido nem telefonado a dar satisfações. Telefonei eu, e depois de estar um bom bocado à espera, enquanto a operadora via o que se passava, recebo a informação que tinha havido um atraso na saída da loja e que estaria aqui até às 19h15. Pedi que me avisassem no caso de novo atraso, e a operadora garantiu que o fariam se acontecesse. Comecei a dar início ao jantar. Tinha planeado fazer bacalhau com natas, e só havia um pequeno senão... faltavam as natas que ainda andavam numa qualquer carrinha de entregas!

Às 20h05, sem compras nem telefonema, o jantar a meio por falta de um ingrediente que digamos ser essencial, uma criança ao colo para não chorar e a outra a atacar-me o frigorífico com fome, voltei a telefonar. Novo operador, nova explicação do que se passava, nova espera e a informação de que o motorista estava atrasado e que só conseguia estar aqui por volta das 20h40. Avisei que se atrasassem um minuto sequer as compras voltavam para trás (e lá eu ficava sem natas para o bacalhau com natas). Estava danada e com a paciência a chegar ao fim.

Às 20h39 telefona-me o último operador a pedir indicações para chegar a minha casa, pois o motorista estava perdido. Dou e passados uns minutos eis que chegam finalmente as compras. O António, já tinha chegado entretanto a casa, o Miguel já estava a dormir e a Joana já tinha matado a fome com iogurtes. Quando, chego ao pé dos senhores um deles sai-se com "para a próxima em vez do código postal escreva o nome do bairro. Andámos aqui perdidos sem ser necessário" Foi a gota de água. Quer dizer, nós preenchemos os campos do formulário correctamente; ainda me dei ao trabalho de no campo "indicações" escrever como se chega aqui a partir de um sítio chave; eles não se dão ao trabalho de verificar as moradas e os caminhos antes de sair; e depois, a culpa ainda é nossa! Ora... Depois desta, perguntei ao motorista o porquê de ele não ter telefonado, como era suposto, para dar conta do atraso. Ele disse "não telefonei, porque não estou atrasado!" Como?! Passei-me pois claro.

Perguntei-lhe então se não estava atrasado, o que é que estava, pois eram praticamente 21h e a encomenda devia ter chegado até às 18h30. Ele responde-me que estar aqui a essas horas era impossível, porque a encomenda só tinha saído da loja às 19h30. Explodi.

Peguei no telefone e voltei a telefonar aos serviços. Mal a operadora acaba de dizer a frase inicial começo a bombardeá-la com o que se tinha passado, ainda com os homens a descarregar as compras. Calhou a ser a mesma operadora que me atendeu da primeira vez e ainda teve a lata de dizer que não tinha dito o que me disse.

Como podem ler, não correu bem. Foram desorganizados, não tiveram em consideração o cliente e ainda insolentes. A única coisa que diziam além de me dar razão e pedir desculpa era: "mas nós vamos oferecer a taxa da próxima entrega para minimizar os danos". Próxima entrega?! Isso é o que vamos a ver! (Fiz além da reclamação telefónica, uma reclamação por email. Estou a aguardar uma resposta)

Várias...

Estava a preparar uns posts de meditação sobre o mundo bloguistico, sobre este cantinho e mais umas surpresas comemorativas para quando atingisse os MIL posts... hoje fui ver quantos faltavam, mas a verdade é que já sobram! São mil e dez os posts que já escrevi neste cantinho. Mil e dez. Isto já é muita fruta! Assim sendo, ficam já avisados que se vão seguir uns quantos posts sobre estas andanças. E prevêem-se longos, para não variar! (aproveitar que está meia blogosfera de férias e assim escapam-se uns quantos de ler isto!) De seguida, deixo aqui as respostas a algumas perguntas que me têm feito quer através de comentários quer através de emails. Se me esquecer de alguma, protestem: - férias: não! Eu ainda não escolhi o destino das minhas férias de Setembro. Por haver mais um casamento a ir no início do mês ficámos sem saber bem em que semanas é que vamos por isso, não ainda decidimos nada. As meninas que vierem entretanto de férias e tiverem ido para aqueles lados digam de vossa justiça. - piscina: comprámos no ano passado no Toys R Us. - praia deserta: qualquer praia é quase deserta quando se chega depois das sete da tarde meninas! - cortar unhas dos pés: não temos técnica especial. A única solução é o António agarra-la e eu cortar as unhas à força enquanto ela chora como se a estivessem a matar. Enquanto ela dorme é impossível, por isso se houverem técnicas melhores agradeço! Quanto às unhas das mãos, ela não se importa nada de as cortar. Assim sendo, siga para bingo que se faz tarde!

quinta-feira, julho 20, 2006

Conversas com ela...

De manhã (hoje), estão os dois deitados lado a lado, na minha cama, enquanto os vou vestindo. Ela - Mamã, sabes... o Miguel é como o pai. Eu - Ai é? Então porquê? Ela - O Miguel é um pinxepe! O pai é um pinxepe. Eu xou uma pinxesa e tu és a buxa má! Eu - Mas não posso ser uma princesa? Ela - Não! Tu tens de xei a buxa má. Eu (com um ar muito mau) - Ai é?! Então agora vou fazer-vos muitas cócegas! Muitas cócegas! Páro as cócegas, acabam os risos e digo: Eu (enquanto saio do quarto) - Agora a mãe vai buscar a tesoura para vos cortar as unhas. Ela - Eu não quéio cotai as unhas dos pés! Não é pexiso! - o que ela detesta cortar as unhas dos pés! Tem mesmo de ser à força. Eu - Está bem. Agora toma conta do mano, enquanto a mãe vai buscar a tesoura. Ela (virada para o mano a fazer-lhe festinhas) - A tua mãe é muito tonta, pois é?! E a mãe dela, como será?! :p

quarta-feira, julho 19, 2006

O calor abrandou...

e o redondinho voltou a dormir bem. Já se respira dentro de casa sem o auxílio do AC. E assim, se acabaram as minhas desculpas para não passar a ferro... Aaaaaarrrrggggghhhhhhhhhh (e tenho de começar a preparar as malas para três semanas de férias)

De praia...

nós também gostamos! E sabe tão bem, tê-la quase só para nós!

Fúrias...

Começaram por volta dos dois meses a par de muita baba. Chega-se a engasgar com tanta mão que põe na boca e há alturas que consegue, nem sei como, morder as duas ao mesmo tempo. Com a descoberta das mãos aumentou a sua destreza, e agora, não há boneco que lhe escape. No ginásio, a girafa pendurada é alvo de grandes conversas e pantufadas. Une as mãos à sua frente e brinca com elas. Mas além destas descobertas, as fúrias (pela experiência da irmã) avisam-me que possivelmente há mais coisas a caminho. Vamos esperar. (mas eu gosto tanto dos seus sorrisos desdentados)

terça-feira, julho 18, 2006

Está a chover! Está a chover! Está a chover!

E eu aproveitei para sair com o meu homem pequeno! O ventinho e a chuva fresquinha souberam que nem gingas, a quem já não punha um pé fora de casa desde sábado! Eu sei, não só normal, mas disso também vocês já sabiam :) Chegamos ainda há pouco e agora vou tentar esconder as montanhas de roupa para passar a ferro que tenho visitas a chegar :) Ai que fresquinho bom!!!

Alguém me pode dizer...

quem é que trocou o meu redondinho por um clone?! É que o que me deixaram, acorda de hora a hora já há duas noites consecutivas! E durante o dia só adormece ao colo!!! Quero o meu redondinho-que-adormece-sozinho-e-dorme-bem-de-noite de volta!!! Pleeeeaaaaaassssseeeee!

segunda-feira, julho 17, 2006

Faz-me confusão...

como é que há pessoas que não são capazes de simplesmente de ficar feliz por nós. Pior do que isso, é darmos sempre conta disso por recadinhos... Desculpem, mas não percebo. E eu já não tenho pachorra para estas coisas.

Os três manos...

juntos numa fotografia pela última vez. Foi há seis anos. Ando sem saber a quantas ando no que diz respeito aos dias do mês. Para mim, agora tudo se processa em função do dia da semana. Se não fosse o post desta menina, acho que o dia de hoje me ia passar ao lado. Quando me dei conta parece que levei uma tareia. Fui jogada no chão e arrastada uns metros. É incrível o que uma simples data nos faz. Ai as saudades...

Começaram por ser três

Viviam uns ao pé dos outros. Jogavam à bola contra os portões das garagens quando eram putos e iam para as borgas quando cresceram em tamanho (:p). Passados uns anos, juntaram-se mais três. Uma para cada um deles. Passámos a seis. Agora somos doze. Dois filhos para cada um dos três. No fim-de-semana tivemos casa cheia. Foi bom, muito bom! (Para mim o maior prazer em ter determinadas coisas está em partilhá-las com os amigos. É por isso, que é muito raro não termos alguém connosco, que os amigos se sentem à vontade para aparecerem sempre que quiserem e que raramente há convites. É bom, porque somos os dois assim.)

As segundas...

são agora, efectivamente, o meu dia de descanso. Aliás, nosso, porque o redondinho agora já está muito mais calmo às segundas-feiras. Nunca me apetece fazer nada neste dia, nem mesmo sair de casa. (e enquanto isso, desvio o olhar da piiiiiilha de roupa que está ali para engomar :p)

sábado, julho 15, 2006

A primeira ida à escolinha...

foi um sucesso! Houve um teatrinho de fantoches com a história da Capuchinho Vermelho, fizeram uns biscoitos (tipo areias) e brincaram muito, enquanto os pais assistiam babados :p Na sala dela vão ser quinze meninos (a lotação máxima para a idade dela) e desses quinze hoje só conhecemos um. Os pais puderam conversar com as educadores e auxiliares, visitar as futuras salas e esclarecer quaisquer dúvidas. O meninos foram-se habituando ao espaço e às pessoas. Gostámos muito. O problema foi convence-la a vir embora. E usando as palavras da educadora "A Joana não vai ter problemas nenhuns! Vê-se que está ansiosa!" Espero que sim... para a semana há mais!

sexta-feira, julho 14, 2006

Conversas com ela...

São quase dez horas, e ela não se quer deitar. Eu (com um ar muito sério): Se não te vais deitar, amanhã não te deixo ir à escola! Ela (muito indignada): Deixas, deixas! E toca a enfiar-se na cama! Até quando, poderei usar esta ameaça?! Espero que durante loooongos anos :p (É já amanhã! É já amanhã! Estamos, pais e filha, mais que ansiosos!) PS: Sim, para os mais distraídos amanhã é sábado :p e sim, a escolinha dela começa com quatro manhãs de adaptação... ao sábado! A escola a sério só vai começar em Setembro, agora é só para se adaptarem!

Éramos,

eu e a madrinha da Joana, para ir com os miúdos até à praia, hoje ao final do dia. Entre as duas temos quatro miúdos: dois de dois anos (Joana e Gonçalo) e dois de dois meses (Miguel e Mariana). Íamos mas não fomos, porque o calor que se faz sentir não dá para isso. É demasiado quer para os pequenos quer para nós. Como o Gonçalo e a Joana andam os dois na mesma ama, ela veio deixá-lo e acabou por ficar logo aqui comigo e com os mais novos. Enquanto os dois dormiam, almoçámos e falámos dos tempos idos em que nos conhecemos. Depois, enquanto a princesa dela dormia, ela entreteve o meu redondinho e eu consegui dar um jeito à casa. Maravilha. Quando demos conta que os mais velhos tinham acordado da sesta, fomos buscá-los e começou a diversão. Ligámos o aspersor-polvo e era vê-los a encharcarem-se até aos ossos. Ai a vontadinha que tive de me juntar a eles, mas os mais pequenotes que entretanto estavam acordados não dispensavam o colo. Depois de bem molhados, foi a vez de irem para a piscina enquanto nós duas dávamos de mamar aos mais pequenos. E quando já começavam a tiritar os dentes, foi a vez de um banho de espuma mais quentinho na banheira cá de casa. Se não dá para ir à praia... traz-se a praia até nós! Ou pelo menos a água para refrescar! Se o Miguel voltar a dormir umas sestas boas, deixo-o na sua caminha no fresquinho do quarto (e um viva ao AC) ponho o biquíni, estendo a toalha na relva e voilá, praia instantânea sem fazer sofrer o moço! Se ficar com calor enfio-me na piscina dela ou uma mangueirada resolve logo o assunto! É só ele voltar a dormir as sestas... só isso... e não é pouco :p PS:O bicharoco foi comprado no Toys R Us por €1,99. Verdadeiras pechinchas que os fazem muito felizes!

Sinto-me...

prisioneira deste calor.

Era...

uma equipa do Extreme Makeover Home Edition* cá para casa se faz favor! * Programa que reconstrói e redecora a casa de uma família... tinha de ser um programa americano...

quinta-feira, julho 13, 2006

Hoje...

Tinha escrito um post enorme sobre este dia, mas apercebi-me que o que queria mesmo escrever era: O pai já cá está! O pai já cá está! O pai já cá está! O pai já cá está! (e não, não fiz nenhuma soneca e continuo sem sono, mas algo me diz que quando me deitar vai ser tiro e queda!)

Ginásio...

podia bem ser para mim que bem preciso de uns abdominais mais tonificados, mas é mesmo para o Miguel. É que os meus bracinhos estão musculados o suficiente, por isso a ver se mantenho o puto algum tempo fora deles... Como ele não liga nenhuma ao da irmã, decidi comprar um novo. Além disso este é mais portátil o que vai dar um jeitaço nas férias que se avizinham. Por enquanto só lá fica uns cinco minutitos e o espelho é a sua distracção favorita... mas esperemos que só tenda a melhorar! (e o que a mana velha gostou de imitar o irmão...)

A noite...

foi um verdadeiro espectáculo! Ou então, talvez não... vejamos: 23h10 - acorda o Miguel para mamar (às 23h30 já está a dormir na sua cama outra vez) 0h40 - vou para a cama depois de ter estado estendida no sofá (a dor de cabeçaa não me deixava dormir) 2h20 - acorda o Miguel para mamar. Deito-o na cama mas o miúdo esta desperto que nem um alho. Só adormece por volta das 3h20. 3h30 - a Joana começa a chamar-me... quer leitinho. Deito-me ao pé dela e acabo por adormecer. 4h10 - acordo com o Miguel a rabujar. Dou-lhe de mamar. 5h30 - o Miguel volta a acordar. Está super acordado, por isso trago-o para a minha cama e dou-lhe maminha a ver se o quebro. Resulta e ele adormece pouco depois. 5h35 - a Joana começa a chamar-me e eu ainda tenho o Miguel na mama. Quando finalmente o Miguel adormece e ela está a perder a calma, vou ter com ela. Adormeço na cama dela. 6h30 - o Miguel acordou de novo. Ele está cheio de calor e a tosse não o deixa descansar. Volto a adormece-lo com a mama deitado ao meu lado. 7h15 - acordo com um estrondo. A Joana caiu da cama (foi a segunda vez desde que ela dorme na cama grande). A Joana chora de mimo e do susto e o Miguel decide acompanhá-la. Trago-a para a minha cama. Ficam os dois acordados a brincar um com o outro. 7h30 - a Joana adormece e o Miguel continua sem querer adormecer mas cheio de sono. Ponho-o na cama dele e tento que ele adormeça sozinho. 8h10 - o Miguel continua acordado e a Joana acorda também. Desisto de voltar a adormecer. Enquanto a Joana brinca com ele, vou preparar a roupa dela. 8h20 - vamos os três para o sofá ver os desenhos-animados da 2: 8h40 - o Miguel voltou a adormecer (depois de mamar) e ficou na cama dele. Pouco passa das 9h agora, e o que se segue é vestir a Joana e a mim própria, dar-lhe o pequeno-almoço e levá-la à ama. Depois é preparar o Miguel e ir passear enquanto não está um calor daqueles. Por mais estranho que pareça. não tenho sono e estou com a pica toda! Ao menos isso, senão o meu dia ia ser bastante difícil! No entanto, ainda bem que esta noite já somos dois-para-dois outra vez! Adenda: São 10h12. Já tomámos o pequeno-almoço as duas, já passei a ferro (mas parei porque já está demasiado calor para essas lides e não quero ligar o AC porque eles ainda estão meio constipados), já preparei a mala dele, já arrumei alguma roupa e a Joana está aqui comigo porque ainda não chegaram nenhuns meninos à ama. Enquanto espero que o Miguel acorde, vou tentar fazer uma mini-ronda... afinal até há boas coisas em acordar cedo :p (mas algo me diz que esta noite vou estar KO)

quarta-feira, julho 12, 2006

Estou...

sozinha com os dois mais uma vez (o pai voltou à santa terrinha de onde viemos na segunda, para se despedir da avó e volta já amanhã). Já perdi a conta às vezes que ficámos só os três. Não me assusta. Melhor ou pior, sei que consigo lidar com os dois. O pior mesmo são os finais de dia (acho que é assim mesmo para todos os pais), até o António chegar a casa (é raro o dia que ele chega antes das 20h). A Joana vem com a pica toda para fazer asneiras atrás de asneiras e o Miguel está a libertar o stress. Hoje ficámos os três a partir das 18h. O Miguel, chorou sem parar até às 19h39, altura em que finalmente adormeceu. Estava cansado, mas combatia o sono de uma forma incrível. Faltam dez minutos para as onze e ele ainda dorme todo nu, na espreguiçadeira em cima da minha cama, mas ainda tenho o choro dele a ecoar na minha cabeça. Chorou tanto que estou com uma dor de cabeça daquelas, e os meus pensamentos para com ele, a certa altura, de maternais não tinham nada. A Joana, enquanto ele chorava e eu o tentava acalmar, esteve entretida com o dvd do Ruca. Quando ele adormeceu, fomos as duas tomar banho. Deixei-a a brincar mais um pouco enquanto me vesti e preparei o jantar dela. Vestia-a, dei-lhe (ou tentei dar) de jantar, lavámos os dentes, brincámos um pouco e foi para a cama por volta das 21h. Deitei-me com ela e acordei por volta das 22h. Agora reina a calma nesta casa. Resta esperar que se a Joana tiver pesadelos, não coincida com a hora do Miguel mamar. O melhor nisto, é receber o telefonema de amigos a dizer para lhes telefonar, se precisar de qualquer coisa durante a noite. Não o vou fazer (espero), mas é sempre bom saber que há alguém pronto a nos estender a mão, sejam as horas que forem.

Bisavós...

(avó Emília com a Joana - 10 meses - e Miguel - mês e meio)
Aos meus filhos, e a partir de hoje, já só resta a bisavó Emília (a avó materna do pai). Foi a única que conheceu os dois bisnetos, a única que deu colo aos dois, a única da qual a Joana sabe o nome e reconhece nas fotografias. É a única, porque hoje a bisavó Ana deixou-nos. Sucumbiu a uma doença que a matou aos poucos. Que a levou de nós aos bocadinhos. Só desejo que tenha reencontrado o marido e os filhos que chorava há muitos anos. Até já.

Socorro! O meu filho descobriu o colo!

O meu puto descobriu todas as vantagens de andar ao colo, bem direitinho e virado para fora. É assim que ele agora quer andar pela casa fora a ver tudo o que o rodeia. Dá aos pés, esbraceja e delira com o relógio do forno por exemplo. O problema é que ele consegue andar assim quase uma hora! A mãe é que vai tendo de mudar a criatura de bracinho porque a idade não perdoa... Depois dá-lhe a floxera. Está cansado, quer dormir, mas quer continuar a ver tudo. O que vale é que por enquanto, basta deitá-lo na cama, dar-lhe a chucha e uns beijinhos na cara e mantê-lo bem entaladinho. Uns ginetes depois dorme descansado. Ideias para o entreter alguém tem?! É que ele aborrece-se com os bonecos por cima dele, seja na espreguiçadeira ou na cama. O que ele quer mesmo é que o fixe nos olhos e lhe dê muita conversa! Isso, ou andar ao colo a cuscar tudo! Adenda: Pois, o marsúpio, eu também vou usando (mas o meu é antigo e não é muito práctico, estou a ponderar comprar um novo) mas isso não me ajuda quando tenho de passar a ferro, ou fazer outras coisas do género. A televisão também não é solução uma vez que ele não se distrai com ela (nem com os sons). Estou a ver que pouco mais há a fazer senão continuar a dar-lhe este colinho (com ou sem marsúpio) e a fazer as coisas como tenho feito até aqui: aos bocadinhos e sem pressas! Obrigada na mesma!

terça-feira, julho 11, 2006

Do casamento...

o melhor foram os palhaços! A noiva estava um espanto, o noivo também, e os meus filhos obviamente estavam lindos (:p) mas realmente o ponto alto do casamento foi a animação (quase) permanente com palhaços. Eram três e encarregaram-se de tomar conta da criançada. A minha filha que era a mais nova do grupo, e que até à data nunca tinha gostado de pessoas mascaradas, virou fã num ápice. Quando dei por ela já tinha uma flor pintada em cada bochecha (outra estreia) e não os largava. Os pais puderam comer e conversar descansados, enquanto as crianças faziam jogos, pintavam, apanhavam bolinhas de sabão (que aliás é o nome do trio de palhaços) brincavam com balões transformados em espadas, corações e cachorrinhos, ensaiaram uma dança para os noivos e um sei lá de outras coisas. Se no meu casamento já soubesse o que sei hoje, este serviço tinha sido obrigatório! É fantástico (especialmente para os convidados pais de crianças pequenas)! É claro que trouxe o contacto das palhaças, que embora sejam do Norte, fazem serviço para todo o país. E já estou a magicar o próximo aniversário da minha garota... :) Outra estreia neste casamento foi o bolo de noiva gelado... hummm não há melhor! Resumindo... Claudinha, foste mais que aprovada! :) Adenda: Eu posso dar o contacto do grupo "Bolinhas de Sabão" a quem desejar, mas por email. É que eu só tenho o número de telemóvel delas, e como devem de calcular, escarrapachá-lo na internet não é boa ideia!

Momentos de um casamento...

segunda-feira, julho 10, 2006

Sobre o corte de cabelo...

só tenho a dizer duas coisas: Primeiro: vocês são do mais bajulador que há! Linda?! I wish! Mas não me ficou mal de todo não senhor! :)) Segundo: gostei do corte de cabelo maaaasssss... o meu medo era a franja! Sim, que eu e as franjas não nos damos lá muito bem. Mas acabei por ter uma agradável surpresa, e com um simples gancho consigo apaziguar os nossos mal-entendidos (isso ou ando cansada demais até para me chatear com uma franja). Resumindo, gostei do corte sim senhor, e o marido também! (E pelo menos desta vez, o pessoal reparou que eu tinha ido ao cabeleireiro :p)

Foram...

quase quatro dias em que se conversou muito, brincou muito, riu muito. Que quase não se ligou a televisão com os seus únicos três canais com chuva. Que não nos preocupámos com almoços e jantares. Que não houve telemóveis para ninguém (e viva a ausência quase absoluta de rede). Que não houve computadores ou internet. Que o meio de transporte usado para visitar amigos eram os nossos pés. O único problema foi voltar a casa, com a mais velha a tossir sem parar. Os telemóveis que ressuscitaram. Os cães terem aberto a porta da rua (que deve ter ficado mal fechada) e terem feito chichi um pouco por toda a parte (e outros sólidos que a Tina fez o favor de limpar :s). Enquanto o pai e filha tomavam banho tentar sossegar um momento de stress do filho (que pelos vistos gosta mesmo é de dormir ao ar livre) e pensar no que fazer para jantar. Ter um saco de viagem cheiiiio de roupa para lavar. Faltar sempre pelo menos um ingrediente para todas as hipóteses de jantar que se congeminaram. Limpar o que os cães fizeram. Decidir fazer bacalhau com natas e o pai ter de sair para comprar leite. Cortar cebola fininha e partir as batatas aos bocadinhos enquanto se abana a espreguiçadeira com o pé e responde aos pedidos gritados pela filha doenti a partir do sofá. O gás acabar quando se começa o jantar. Ter a cebola e as batatas partidinhas, o bacalhau desfiado, o leite e tudo o que é preciso, e o pai não conseguir ligar a botija de reserva. Ter de encomendar pizza e aquecer a água do banho do Miguel na chaleira eléctrica. A filha continuar com tosse e a mãe lembrar-se de lhe dar uma colher de mel. A filha vomitar por cima dela e da caminha acabadinha de fazer de lavado e não haver água quente para a lavar. A filha continuar a tossir, ter deitado o jantar fora e estar a ser limpa com toalhitas e água fria. Fazer a cama de lavado e voltar a deitá-la. As séries da praxe na televisão estarem a dar e não se conseguir ver nenhuma por completo. Aaahhhh! Como é bom regressar a casa...

sexta-feira, julho 07, 2006

Atenção!

Se não dormir... não corte o cabelo!!!Ou arrisca-se a ganhar uma franja nova! (ainda bem que eu disse que nunca mais ia usar franja... sou de palavra pelos vistos! :p) A falta de descanso provoca destas coisas! E uma simples ida ao cabeleireiro para nos por catitas (I wish!) para o casamento pode ter efeitos secundários adversos! (e hoje não tive direito às massagens porque o redondinho acordou e pôs-nos a mexer... está tramado comigo. Como castigo, hoje só bebe leite!)

A prova de que não sou normal...

é que depois do pc ter ido abaixo uma meia-dúzia de vezes em menos de meia-hora, decido reinstalar o sistema operativo e limpar a torre por dentro... às duas da matina!!!

Sem tempo...

para estas andanças. Nem para blogar, nem para ver fotos, nem para responder a dúvidas, nem para dissertar, nem para outras tantas coisas que gosto de fazer. Reduzi o tempo gasto por estas bandas quase à publicação de histórias deles. De pequenos apontamentos para memória futura. Este cantinho reduziu-se quase exclusivamente a eles. E ele é tão mais que isso... Amanhã rumamos mais uma vez ao norte para mais um casamento. Mais quatro dias longe destas andanças. Mais um monte de posts interessantes que vão aparecer um pouco por toda a parte e que não consigo comentar. O efeito bola de neve está instalado. Beijos.

Epilogo de um dia perfeito...

Amigos. (e podia acabar assim o post) Entre compras, almoços e passeios à beira-mar, o dia não podia ter passado de melhor forma. Ou então até podia! Podia uma de nós ter tido mais tempo para gastar na hora de almoço. Podia uma outra ter atendido o telemóvel. Podia um bebé ter-se mostrado menos chorão. Podia ter estado menos vento. Podia... mas não tinha sabido melhor do que soube! A repetir muitas mais vezes... pelo menos até Outubro!

quarta-feira, julho 05, 2006

Não sei se deram conta...

mas o mundial está a modos que a passar ao lado deste blog! Menos ais, menos ais, menos ais Queremos muito mais!

Consulta do segundo mês...

Começo por dizer que a alcunha Dom Redondinho não podia ter sido melhor escolhida! Miguinha acertaste em cheio :)) E porque é que eu digo isto? Porque muita gente que nada tem a ver com este mundo lhe chama isso! Até o pediatra o trata assim! A primeira parte da consulta é passada a falar sobre eles (porque o pediatra quer sempre saber da Joana) e sobre as nossas preocupações. Falei na quantidade de leite que ele mama e o pediatra até arregalou os olhos. O que ele disse é que ele é grande e como tal tem estômago para isso (que era o que eu estava à espera de ouvir). Aconselhou no entanto a não ultrapassar um biberão cheio. A segunda parte é o exame físico. O rapaz sempre muito atento ao que o médico ia fazendo, franzia o sobrolho à mínima desconfiança. Às tantas ele levanta-o pelas mãos e o puto não vai de modas, finca os pés e põe-se de pé! Depois as medições: Peso - 6,400kg (P95) Altura - 61cm (P90) P. Cefálico - 41cm (P95) Resumindo, ele não está grande... está enorme! Saímos de lá com a mesma frase de sempre do médico "Sobre o seu filho não tenho nada a dizer... está grande e muito desenvolvido! Continue a fazer o que está a fazer". Era assim da Joana, continua a ser assim do Miguel. E não preciso de ouvir mais nada! Agora consulta só aos cinco meses... a menos que adoeça (cruzes canhoto :p) não vamos lá fazer nada antes (palavras do médico)!

Para registar...

São pequenas coisas dele (e nossas) que sei que não me vou lembrar daqui a uns tempos e quero guardar. . Nunca o vi a entortar os olhos. Lembro-me que de vez em quando a Joana o fazia quando fixava os bonecos à sua frente. Ele fixa-os sem nunca entortar os olhos. Acho piada. . Já se baba todo. A Joana também começou a babar-se aos dois meses e aos quatro e meio tinha os dois primeiros dentes de fora. Gosto tanto de os ver desdentados (parece que são ainda mais bebés)... acho melhor aproveitar enquanto dura! (o Miguel acabou de por o mobile a funcionar com um pontapé :p) . Ele já se arrasta de costas e para cima. Finca os pés na cama e lá vai ele. Ontem, começou a chorar (no choro de protesto que ele faz quando está aborrecido) e quando cheguei ao pé dele estava com a cabeça toda torta encostado no topo da cama... eu tinha-o deixado quase a meio. Hoje comentei com o pai e ele diz-me que já sabia... acho que o serviço noticioso não está a funcionar nos dois sentidos :p . consegue agarrar as coisas e levar as mãos à boca já com grande coordenação. Mas o que eu gosto de ver é quando ele a gesticular as mãos e os braços, atinge-se a ele próprio. Fica todo sentido a pensar "mas quem é que me bateu!?" e o beicinho que ele faz... irresistível! . prefere conversa a ser deixado com o mobile. Se ele estiver a funcionar ainda se chateia mais depressa. Adora fixar as nossas caras e gosta de ser olhado "olhos nos olhos". (tem estado a ligar e a desligar o mobile... acho que já percebeu que o pé dele é uma arma poderosa! :)) ) . ri-se para a irmã que nem um perdido. Então quando ela se põe a abaná-lo todo delira... até ficar chateado com tanto abanão claro! . eu embora esteja mais imune ao choro, não o consigo deixar a chorar. Há algo no choro dos bebés que me impele a sossegá-los, sejam ou não meus. A máxima "faz-lhes bem chorar" não é definitivamente para mim. . ele dorme bem, mas é na cama ou em algum sítio plano. Durante o dia aceita a espreguiçadeira, mas ele gosta é de estar na cama bem entalado no edredão, com ou sem chucha e a fraldinha a aconchegar-lhe a cara. Acho piada porque é mais uma diferença da Joana que desde que nasceu não suporta roupa de cama em cima dela! . se estiver de costas já se vira para os lados (mas nem sempre consegue se manter de lado). A partir de agora não pode mesmo ficar sozinho em cima de nada. Se estiver de bruços, então é um instantinho em que se põe de costas. . gosta de andar ao colo, bem direitinho a cuscar tudo. Se tem muitos gases, sabe-lhe bem estar de barriga para baixo e ser embalado. E durante o dia quando está cheio de sono, mas luta que se farta para não adormecer, basta embrulha-lo numa manta ou fralda, por-lhe a chucha, cobrir a cara com uma fralda e aninhá-lo em mim. É tiro e queda. Muitas vezes dormimos os dois assim no sofá. Sabe bem. . gosta de estar de pé, com os pés no chão. Pula e abana os braços como quem quer levantar voo. É claro que não o deixamos fazer força nas pernas, mas ele tem mesmo muita genica.

terça-feira, julho 04, 2006

10 semanas...

É um bébé feliz! (a data foi alterada porque consegui publicar o post precisamente à meia-noite de dia 5 :p)

Eu já vos disse...

que ADORO os saldos?! Mais uma ronda e a carteira mais pobre... mas as gavetas dos meus meninos ficaram mais cheias! E comprei um colar para mim! Um colar! Ena! :) (a próxima ronda é para as crianças grandes cá de casa!)

segunda-feira, julho 03, 2006

Evoluções Linguísticas...

depois de lhe afastar o teclado das mãos antes que ela fizesse alguma, ela sai-se com um: isso não é simpático! ok ok...

Conversas com ela...

Estou no quarto a dar mama ao Miguel. Estamos só os três mais uma vez, eu e eles. Convenço a Joana a ficar a brincar no quarto dela, enquanto eu tento adormecer o Miguel. O quarto está na penumbra e num quase silêncio. Ouve-se apenas os monólogos da Joana. De repente, abre-se a porta. Entra a Joana com um ovo a fingir numa colher: Ela (a falar bem alto) - Ó mãe! Toma um ovo mexido pa comeies!!! O Miguel que está quase a dormir, arregala os olhos e vira a cabeça na direcção da irmã. Bolas, penso eu. Eu (susurro) - Está bem filha, mas agora vai brincar no teu quarto. A mãe já come, tá bem? Eu já vou ter contigo. Ela, insiste mas sai pouco depois. O Miguel volta à mama e volta a estar quase adormecido. Um minuto, depois: Ela (a falar bem alto) - Toma sauchichas e ovo mexido mãe! Eu - Ó filha, agora não... - e o Miguel feito antena com a cabeça atrás da irmã. Ela - Come mãe! Tens de comeie - enquanto me enfia a colher na boca. Eu - Vai lá brincar que a mãe já vai. Depois a mãe dá-te uma coisa (não aprendo eu :p). Ela (enquanto sai do quarto) - Tá bem... Ainda não saiu bem do quarto e já está a voltar para trás: Ela - Mas ó mãe... tens de comeie! Eu - Ó filhinha, vá lá... sai lá do quarto que a mãe já vai brincar contigo... Ela - Ohh... - a levantar os ombros e com um ar muito desapontado - se não quéies, não quéies! Ela saiu e eu tive de conter para não desatar a rir... e o Miguel lá foi para a cama dele dormir um soninho descansado! tinha de vir escrever já isto... caso contrário esquecia-me como acontece sempre! Adenda: Não fui comer as sauchichas e o ovo mexido mas fomos fazer uma gelatina vêdi para ela levar amanhã e acalmar os seus intuitos culinários! :)

Há pessoas...

da blogosfera que nos dizem muito, mas que depois de conhecermos ao vivo e a cores ainda nos dizem mais! Tanto que à meia-noite ainda estava tudo com pedalada para continuar na conversa! Gostei muito meninos! (e felizmente, Bohémias foi o que não faltou! Não foi Nelsinho?! :p)

Primeira ida à praia...

do Miguel. (e da mãe e do pai também :p) Adenda: Nós não fomos para a praia. Nós fomos passear no paredão, conversar numa bela esplanada e de caminho, fizemos um pequeno desvio para a Joana ir molhar os pés (e as calças) e brincar na areia (incluindo comê-la, quando quando caiu de cabeça a fugir do Nelsinho :p). O Miguel, acabou por ficar momentaneamente de fralda porque bolsou-se todo, mas depois de um pouco de mama, voltou a dormir um soninho no seu carrinho. Não faço ideia se gostou da praia e da areia, mas pelo menos não detestou, nem lhe fez confusão nos pés! Mas eu gostei! Soube-me muito bem! (eu sei que ninguém perguntou nada, mas eu andava desejosa de enterrar os pés na areia... e eu nem sou fã de praia!)

sábado, julho 01, 2006

O primeiro xixi na cama...

foi esta noite. Pela duas da manhã, ela começou a falar a dormir (normal nela especialmente quando tem pesadelos) fui sossegá-la e quando dei conta, estava a cama, o edredão e ela própria todos encharcados. Tirámos-lhe o pijama, mudámos o lençol e ela nem sequer acordou. Deve ter sonhado que estava na casa-de-banho...

220?!

O Miguel ontem mamou os 220cc de leite que tinha tirado com a bomba e ainda de lhe tive de dar mama a seguir. 220cc+mama! Daqui a nada começo a preocupar-me. É que tanto leite dilata-lhe o estômago... isso ou o puto tem uma ligação directa de cima a baixo e ainda não dei conta :s Bolas... Mais uma coisa a falar na próxima consulta com o pediatra. Adenda: Natália, a quantidade por si só a mim não me diz nada. Eu é que fico parva com o facto de ele conseguir beber tanto com esta idade. Da Joana só comecei a tirar leite quando regressei ao trabalho e ela como não aceitava o biberão nunca bebeu mais de uns 120ml assim. Agora do Miguel decidi habituá-lo mais cedo porque nunca sabemos quando é preciso deixá-los com alguém (e eu precisei do fazer no dia em que ele completou um mês). Daí o saber quanto é que ele mama. O que me leva a fazer estes posts é mesmo o meu pasmo em ele mamar tal quantidades. Primeiro porque não conheço muitas crianças que bebam assim tanto com esta idade... primeiro parêntesis: além dele só conheço mesmo mais uma segundo parêntesis: o facto de ele mamar assim tanto não o torna a ele ou a mim, nem melhor nem pior do que os outros. Na amamentação não importa nem a quantidade de leite que eles mamam, nem o tempo que demoram a mamar, nem os intervalos que fazem, nem se mamam de uma mama ou de duas. O que importa mesmo, é que eles mamem e cresçam no seu ritmo. ... e mesmo que ele seja grande para a idade que tem, parece-me que é na mesma bastante. Por isso, resumindo, este meu pasmo com a quantidade que ele mama, é mesmo só isso: espanto puro e simples! E como é aqui que vou registando estes meus espantos, faz todo o sentido para mim, deixar aqui estas notas. Não porque seja importante ou que importe saber, o quanto ele mama! E o facto de querer falar sobre isto ao pediatra (mesmo sabendo o que ele me vai dizer de antemão) é porque gosto de falar sobre estas coisas com ele, e a preocupação de dilatação do estômago é genuína (eu quero que ele coma bem no futuro, mas que não seja um saco sem fundo... na verdade nunca estamos satisfeitos, ou é porque come pouco ou é porque come demais...) Acho que baralhei mais do que expliquei, mas enfim... é o que dá escrever uma adenda quase às duas da matina!