sexta-feira, dezembro 30, 2005

Mais uma consulta...

e tudo está bem! O útero com um tamanhinho acima da média (o puto não é grande mas precisa de espaço, ora essa!), a tensão excelente, um coraçãozinho forte e sonante, e o peso da mãe... bem... esse é melhor nem comentar! A única coisa que vos digo é que fui eu que pedi ao médico para me pôr a dieta!!! (confesso, aumentei dez kilos desde o início da gravidez... aaaaiiiiii) O que importa, é que isto no geral não podia estar a correr melhor, por isso, espero que assim continue! Beijinhos Sandra

Fica aqui o meu balanço...

de uma vida! (Obrigada mana por esta surpresa feita com o coração. Amei!!!) PS: Desculpem não estar muito nítido, mas é por motivos de espaço de alojamento... não posso pôr maior :( PPS: Para quem usa Windows, e não consegue ver o vídeo, verifiquem se têm o Windows Media Player instalado (podem fazer o download aqui, e quem não tiver software autêntico (:p) pode ir buscar aqui a versão anterior).

quinta-feira, dezembro 29, 2005

Ano Novo, Vida Nova?!

É o que se costuma dizer. Especialmente se queremos animar alguém ou a nós próprios. Pomos todas as nossas esperanças no ano que começa, como se por magia, os problemas se evaporassem à meia-noite. Mas na verdade não há vida nova, há apenas um continuar da vida que temos, quanto muito pautada por novas resoluções. A passagem de ano nunca me disse nada de mais, simplesmente, porque esteve sempre incorporada na celebração do nascimento de alguém muito importante para mim. Tenho 30 anos e nunca passei uma passagem de ano fora da casa onde morava. Nos primeiros 25 anos nunca se convidou ninguém a aparecer e a minha casa, que não era nada grande, à meia-noite fervilhava de vida e alegria. A mesa era posta na consoada e só levantada no dia de Reis. Os dias 30 e 31 eram passados nas compras e na cozinha, com a minha mãe, a preparar tudo o que era preciso para a festa. A partir do meio da tarde, já começava a ser difícil andar lá por casa, sem bater em alguém. À meia-noite, a animação daquele bocado da avenida estava por nossa conta com fogo-de-artifício e muita gente, à janela e na rua, a bater tampas, tocar cornetas, etc. Os últimos cinco anos têm sido bem diferentes. Continuamos sem sair de casa. Continuamos sem praticamente fazer grandes combinações, os amigos vão telefonando a saber dos nossos planos. Mas aquela vida, aquela alegria desenfreada, aquela antecipação do dia, desapareceu. À meia-noite batem-se tampas, fazem-se brindes, trocam-se abraços e desejos, mas não é a mesma coisa. É mais um ano que acaba, outro que começa. Sucedem-se os anos, e a vida continua, a mesma, a nossa, a que sempre conhecemos. Aquela vida que nuns dias maldizemos e que noutros não trocávamos por nada. A mesma vida que esperamos não nos ser roubada cedo demais. Acho que é por isso que nunca fiz balanços do ano que finda, nem planos para o ano que começa. A vida tem de ser vivida tal como ela é, e as mudanças necessárias devem ser feitas na hora... não devemos esperar por amanhã, muito menos pelo final do ano. Pode parecer um texto pouco animado, em total desencontro com a época festiva que se vive, mas não o vejo assim. Vejo-o como um profundo amor pela vida que tenho, pela consciência que está a ser vivida em pleno, pela aceitação de que, embora não seja perfeita e já cheia de espaços vazios que não serão mais preenchidos, ela é a minha e a única que terei. O dia de amanhã está sempre recheado de surpresas, mas muitas delas são realmente boas! Fica aqui o meu desejo, para todos vocês, para o novo ano: Vivam! Vivam muito e aproveitem todos os momentos. Combatam a inércia do deixar tudo para depois. Combatam a preguiça de sairem para visitarem família e amigos, porque está frio, ou chuva, ou isto ou aquilo. Mimem-se a vocês próprios com palavras de alento quando tudo parece deixar de fazer sentido. Amem quem vos ama, e mostrem-no. Briguem quando tiver de ser, mas façam as pazes assim que possível. Acima de tudo, não ponham naquilo que não têm, a culpa da vossa má sorte. Se acharmos que só vamos ser felizes quando obtivermos algo, então já estamos a perder muito tempo precioso. O desejo daquilo que não temos deve ser usado apenas como um impulsor para uma vida melhor, e não, como justificação para outra coisa qualquer. Pode parecer daquelas coisas que se dizem por dizer, mas acreditem, que isto para mim é que tem sentido.

quarta-feira, dezembro 28, 2005

Exercícios para grávidas...

Este post vai ficar disponível no separador Sobre... Gravidez, e vai sendo aumentado consoante for encontrando mais sugestões. Deixo-vos então aqui alguns links com sugestões de exercícios para grávidas:
  1. Hospital de Santa Lúcia
  2. gravidezindependente.vilabol.uol.com.br
(por enquanto são apenas estes dois...) Se souberem de mais alguns, digam! Beijinhos Sandra

O Natal, o Circo e reacções... a minha versão

A minha filha tomou conta do cantinho e já contou a versão dela, mas é óbvio que tinha vir aqui dizer de minha justiça! Voltando um pouco atrás no tempo, para enquadrar melhor a coisa, a Joana anda a vibrar com a história do Natal desde o início de Novembro (acho eu...). As perguntas sucediam-se e o dvd do Noddy Natal não teve parança (o facto de ter ficado uma semana sem sair de casa, também não ajudou!). Os anúncios de brinquedos para os mais novos (sim, porque há com cada anúncio de brinquedos para os mais velhos... de salivar :p) eram avidamente absorvidos e sempre que gostava do que via lá dava o toque: A Joana gosta disto! Compra isto mamã! Quando não gostava: a Joana não gosta! Mas o Gonçalo gosta!, ou seja, quando não gostava, atribuia o prensente ao seu amiguinho! Depois foi a emoção de ver o Pai Natal ao vivo, o a séio! como ela diz. A emoção era tanta que nem conseguia falar! Disse-lhe tudo o que queria dizer, mas quando ele não estava ao pé dela, e depois de muita insistência do velhote, lá disse o que queria a um nível completamente não audível! Só se o Pai Natal soubesse ler os lábios é que se safava! Valeu a intervenção não divina, mas divinal ;), da mãe a servir de tradutora (ai a modéstia, a modéstia)! Depois foi a visualização de prendas em casa. Viu-me a embrulhar alguns presentes e eu expliquei-lhe que estava a ajudar o Pai Natal. Ela aceitou a explicação e também quis ajudar. Os poucos presentes que lhe deram para a mão como sendo para ela, não chegaram ao dia, pois não consegui evitar que ela abrisse, é pa mim, mamã! Foi A, B ou C que deu! Não foi o Pai Natal! E pronto, ficava sem argumentos. Afinal, só as prendas do Pai Natal é que se abrem no dia, não é?! Ajudou a fazer a árvore de Natal e assimilou que não é para andar a mexer. É claro, que a única bola que partiu foi da única vez que decidiu mexer na dita, logo a seguir a eu dizer a uma amiga que ela nunca lá mexia! Pelo intermeio da euforia natalícia, veio a emoção de ver o bebé da barriga da mãe na televisão! Mais uma vez, a ecografia teve como música de fundo a narração da Joana ao colo do pai: Óia os braços! Óia as mãos! Óia as pénas! É o bebé!!! Ficámos todos a saber que o bebé, na verdade, é o bebé Miguel! Ficámos a saber que ela não vai ter um mano, mas sim, um bebé Miguel. Ficámos a saber, que ela vai dar papa, banhinho e por creme ao bebé Miguel. Ficámos a saber que vai ser complicado tirá-la de cima do bebé Miguel quando ele nascer :p Para uma simples ecografia, ficámos a saber muita coisa! Chegados ao Natal propriamente dito, e depois do monte (literalmente) de prendas aparecer, sem se saber como, por debaixo da pantufa que ela deixou ao pé da lareira, a emoção da cachopa era tanta, que depois de uma hora a abrir prendas (e atenção, foi uma hora a abrir prendas DELA!), não conseguiu resistir mais e adormeceu ao meu colo, pouco passava da meia-noite. À meia-noite, nós os adultos, aqueles que supostamente já não têm direito a Natal, abrimos os presentes, e tivemos boas surpresas. Mas essencialmente, o Natal para os adultos foi muita conversa, comida e bebida! De tal forma, que o meu Miguelito passou estes últimos dias quase sem se mexer... tadito, devia ter pouco peso em cima dele! :p (por causa da comida e não da bebida, ok?! Vamos lá ver as confusões!) De manhã (isto é... às 11 horas, porque só acordámos às 10h20 :p), a Joana foi à missa com o papá e portou-se lindamente. O papá é que veio aflito das costas por ter estado uma hora em pé com ela ao colo. A mamã, ou seja, eu, ficou em casa a por o borrego no forno, a descascar batatas, a fazer uma mini-limpeza etc etc etc... para tudo estar pronto quando os avós chegassem. Enfim, um Natal muito bem passado mesmo. Na segunda-feira, os papás ficaram em casa e como era o último dia do Circo do Coliseu, fizemos uma tentativa frustrada de lá ir. A semana passada tinha-me fartado de telefonar para reservar os bilhetes mas nunca consegui. Ontem, entre as 13h e as 14h20 não parámos de tentar. Mas, entre o bip-bip-bip do interrompido, e o a sua chamada está em lista de espera seguido do bip-bip-bip do interrompido, as não-sei-quantas-dezenas de chamadas que fizemos foram inglórias. Belo serviço de reserva de bilhetes que o Coliseu tem... Como parecia que não ia haver Circo para ninguém nessa tarde, pois os restantes só tinham sessões às 21h durante a semana (segundo a informação disponível na internet) decidimos ir almoçar fora, reabastecer a dispensa e fazer umas trocas. A caminho do restaurante, reparámos que o Circo Atlas tinha sessões às 16h30 diariamente (afinal quem disse que aqueles posters na segunda circular não dão jeito?!) e depois de um almoço daqueles (nham nham) lá fomos os três (quase quatro) ao circo! Tenho de confessar, que para quem não gosta de circo, eu e o papá saímos de lá com um sorriso de orelha a orelha e muito agradados com o espectáculo no geral. O papá, até colaborou em dois números (é um artista hehehehehehehe) o que ainda tornou a coisa mais divertida... pelo menos para a mamã que ria que nem uma tolinha! Enfim, foram uns dias em cheio, que tenho pena que passem tão rápido. O Natal é para mim, realmente uma festa da celebração da vida, para grandes e pequenos, independentemente da religião de cada um. Eu não acho que Natal seja só para as crianças como todos apregoam. Para mim, os adultos também devem respirar esta magia instalada. Somos novamente, por breves momentos, crianças em ponto grande, e isso não tem preço! Além disso, quem é que não gosta de ter uma surpresa no sapatinho?! Eu gosto de certeza! Beijinhos Sandra

terça-feira, dezembro 27, 2005

Mas quem...

é que teve a infeliz ideia de sugerir ao avô que lhe oferecesse um piano electrónico, com não-sei-quantos acompanhamentos que não páram, com um volume máximo muito máximo, e que ainda se deu ao trabalho de fazer uma pesquisa de mercado e de comprar o dito cujo?! Oooops, fui eu! :s (note to self: estúpida!) PS: Mas que ela fica o máximo a cantar ao microfone e a tocar, ai isso fica! E o que ela gosta daquilo!

Querido Pai Natal...

Tu desculpa-me mas a idade anda a pregar-te partidas! Então eu fiz-te uma listinha toda bonitinha. Fui adicionando os itens devagarinho e em dias diferentes, para teres tempo de decorar. Fui modesta nos meus pedidos (acima de tudo modesta) e tu, de uma lista imensa, só me trazes uma ou duas prendas?! Então vamos lá rever a lista: 1. Primeiro prémio do Euromilhões - nem para mim, nem para ninguém! Está mal! Eu esta semana até joguei, logo era mais fácil que me saísse! 2. uma máquina borbotos - cadê?! Onde está?! 3. a depilação definitiva - também nada... continuo com as pernas peludas! 4. a colecção encadernada das teleculinárias - nope... não recebi nada disso 5. um Smart - Smart e não Smarties, percebes?! 6. o parto rápido e sem dor - fico a contar com esta! Se me falhas esta... aiaiaiaiai 7. o passe anual para um SPA - népias... também não chegou lá nada... 8. o colchão insuflável - ok, esta deves ter cancelado, visto eu ter comprado colchões novos e agora ter um a mais... estás perdoado! 9. os desejos das "invejosas" que aqui vêm realizados - não sei... digam lá vocês! 10. o curso para os meus cães - nadica de nada... mas eles nos últimos dias andam a portar-se melhor! 11. a maquineta para picar cebola - nem manual, nem eléctrica, nem nada! Arrgghhh 12. o vale para a viagem a Nova Iorque no Natal - também não... buáaaaaaaaaaaa 13. a caneca-termo - onde é que esta estáaaaaaaa?! brrrrrr ca frio! 14. uns chinelos - recebi! recebi! recebi! Yeeeeesssssss 15. uma agenda - nicles 16. o bmw - sem comentários... humpf 17. aqueles pedidos assim singelos e básicos - espero recebê-los todos os dias da minha vida 18. o sumiço do word verification - parece que está a acontecer aos poucos! Yuupiiii! Resumindo, achas bem?! Achas, achas, achas?! O que te safa é que trouxeste as prendas que a minha filhota te pediu, senão bem que te podias esconder bem escondinho aí na Lapónia... nem sabes o que te esperava. Para o ano, ou tomas mais atenção, tomas uns comprimidinhos para o esquecimento e mudas de lentes, ou sento-me no colo de todos os Pais Natais que populam por estes centros comerciais e entrego-lhes uma cópia da lista por mão própria. Onde é que isto já se viu?! Tentar desiludir a criança que há em mim!? Sim... por que eu tenho uma criança dentro de mim!!! :p Beijinhos Sandra Adenda: A primeira pergunta pós-Natal que toda a gente me faz é: Então, sempre recebeste a máquina tira-borbotos?! A resposta é, como já sabem: Não! Não recebi! Ora esta hã... querse dizer toda a gente leu e sabe, mas oferecer que é bom e eu gosto, nicles né?! Tá bem, tá bem... eu vos digo... humpf! :)

O meu terceiro Natal...

Este ano foi o meu terceiro Natal!

É verdade que no primeiro eu era ainda muito pequenina, e passou-me tudo ao lado, mas na verdade nessa altura eu só estava interessada na maminha da mamã! O segundo Natal foi muito mais emocionante! Gostei muito da árvore de Natal, especialmente das bolas que a mamã lá pendurou! Só que sempre que tentava tirar uma para jogar à bola, ela partia-se! É óbvio que aquelas bolas não tinham qualidade nenhuma!

Foi nesse ano que aprendi a desembrulhar bem as prendas, mas a mamã tinha de tirar tudo das caixas para eu achar piada... às caixas claro! Também foi nesse ano que descobri que havia um velhinho de barbas brancas de quem todos gostavam. eu é que não o queria muito ao pé de mim, com aquelas barbas a tapar-lhe a cara e barrete enfiado até aos olhos.

Mas este ano, foi diferente! O meu Natal começou há já uns tempos atrás. Descobri que o tal velhinho de barbas brancas era afinal muito simpático e que se chama Pai Natal, e, que é a ele que tenho de pedir as prendas e não aos papás! No entanto, optei por jogar pelo seguro, e sempre que aparecia alguma coisa na televisão eu dizia: Eu gosto deste mamã! Compa este mamã!. A mamã ia dizendo tá bem, mas se não fosse o Pai Natal, eu não me safava!

Um dia, a mamã levou-me a ver o Pai Natal (o a sério!) e eu pedi-lhe, muito baixinho, porque estava muito envergonhada, a prenda que eu mais queria: O computadoi do Noddy! Ele deu-me um balão e disse para esperar pelo dia de Natal que ia ter uma surpresa! Fiquei ansiosa, e não conseguia falar de outra coisa! Entretanto, a mamã deu-me o dvd do Noddy Natal, e fiquei a perceber como é que isto tudo funciona! O Pai Natal anda numa coisa puxada por renas! E tem um saco cheio de prendas! E entra pela chaminé da fogueia (a minha mamã diz que se chama lareira, mas eu não concordo).

Também aprendi a história do menino Jesus, e fui visitá-lo com o papá no dia de Natal pois parece que ele fazia anos (mas se fazia, não percebi porque é que não recebeu prenda nenhuma?! E estava lá tanta gente! Eu dei-lhe uma moeda, que era para o meu mealheiro do Noddy, para ver se ele compra qualquer coisita). A mamã, foi-me dizendo que o Pai Natal só aparecia quando estivéssemos todos a dormir, mas sabem que ele chegou lá a nossa casa mais cedo?! Estávamos tão entretidos que nem demos conta do Pai Natal chegar e deixar lá muitas prendas! Eram quase todas para mim e para o meu mano, sim porque a mamã tem um bebé na barriga, e que se chama Miguel! Ele também já recebeu prendas, mas ainda não consegue brincar com elas! Eu a cada embrulho que abria, queria tirar tudo da caixa e ficar a brincar, mas a mamã punha-me logo outro nas mãos e dizia que brincávamos depois.

Ela estava a ver que não tinha sítio para tanta coisa, e como não a queria nervosa fiz-lhe a vontade, à excepção de quando abri três prendas: um piano com micófone, um quadro para fazei esenhos e o computadoi do Noddy!!! O Pai Natal trouxe mesmo aquilo que eu queria! Fiquei tão contente e tão cansada, que adormeci no colinho da minha mamã! De manhã, quando acordei, a primeira coisa que disse foi: O Pai Natal já foi embóia. Ele trouxe muitas prendas!
 
Ontem, o papá e a mamã fizeram-me uma surpresa e fui ver os paiáços no circo! Eles tinham lá uns leões (mas que não fazem mal!), cabinhas e sinhoies. Eu vi os palhaços e fiz festinhas a um tigue bebé! O papá também foi para ao pé dos sinhoies e dos paiáços, mesmo lá para o meio! Duas vezes! O meu papá é mesmo tonto, mas é o meu herói! Bom, agora só me resta começar a fazer a lista para o ano que vem. Agora que já sei como funciona, o melhor é não deixar as coisas para a última da hora!

Até para o ano Pai Natal!

Beijinhos Joana

sexta-feira, dezembro 23, 2005

Querido Pai Natal...

Eu gostava de receber no Natal (continuação): 17. a presença dos que amo, o calor da lareira, o aconchego da minha casa, a saúde para quem me rodeia, a tolerância e a calma que por vezes me falta, a felicidade eterna dos meus filhos, a companhia para sempre do homem que amo, o silêncio nocturno dos meus cães, a fartura na mesa, a estabilidade económica, o fim daquilo que tenho por acabar, a memória dos que já não estão connosco, o carinho dos amigos e muita mas muita boa disposição! 18. que o word verification desapareça como que por magia dos blogs que leio e gosto! FIM Beijinhos Sandra PS: Pai Natal, espero que ainda te lembres dos outros itens da minha listinha, mas caso a tua memória já não seja a mesma... pesquisa o meu arquivo ok?! Ahhh e feliz Natal para ti também Pai Natal! PPS: A Joana está aqui ansiosa por receber a tua visita e já espreitou umas quantas vezes pela lareira... vê lá se te despachas ok?!

Boas Festas...

(esteve aqui durante o período natalício a nossa mensagem de boas festas... por motivos de espaço de armazenamento, tive de apagá-la :( ) (quem não conseguir ver que avise, ok!? Para verem o postal, passam o rato sobre a palavra "continuar" e quando o rato se transformar numa mãozinha clicam!) Beijinhos Sandra

quarta-feira, dezembro 21, 2005

E o Manchinha II é...

Espreitem lá o vídeo... espero que todos consigam ver o vídeo sem problemas... (quem não conseguir à primeira vá insistindo!) PS: Vou tentar encontrar uma alternativa para verem o vídeo... :( Tenho pena que não consigam ver todos... Obrigada pelos parabéns :) PPS: Mais logo dou mais detalhes e reacções ok?! Não quero estragar a surpresa a quem ainda não viu!

Eu já sei!!! Eu já sei!!!

mas por enquanto a única coisa que vos digo é que está tudo bem com o Manchinha II. Já temos meio kilinho de gente! Agora se é Marta ou Miguel... pois... vão ter mesmo de esperar :p Vou analisar se se portaram bem este ano e se sim... pode ser que tenham sorte amanhã! Beijinhos Sandra

Fecharam as urnas de voto!

O inquérito está oficialmente encerrado! Ficam aqui os resultados para a posteridade: A única conclusão que se tira daqui é que ou é menino... ou é menina :p E como nas votações ficámos muito perto dos 50/50, temos de ir à segunda volta! Que é já às 17h :p Não tarda nada e o mistério será revelado! Pelo menos para mim! hehehehe

Ainda...

me vão perguntando se a Joana está melhor. A minha resposta tem sido, a virose ou lá o que era está curada, mas agora sofre de uma doença ainda mais complicada: síndrome-de-querer-estar-colada-à-mãe-feita-lapa-vinte-e-quatro-horas-por-dia. Esta vai ser tramada de curar :p

Update sobre as prendas que me faltam...

a da minha irmã está resolvida, e a do António alinhavada! (não posso adiantar muito porque eles estão à espreita :p) Só falta comprá-las, mas isso resolve-se já amanhã!

É hoje...

e isto se o Manchinha colaborar, que vamos ficar a saber qual a marca (:p) que lá vem... vamos isto é... vou eu, o papá e a mana! Vocês, pronto... ainda não decidi se vos dou a prenda adiantada! Assim, o questionário ali do lado vai terminar ao meio-dia de hoje. Quem ainda não deu o palpite, que o faça já... ou perde a oportunidade! Convém salientar, que o reformado que encontro diaramente à hora de almoço, e que diz que vou ter uma menina desde que se apercebeu da minha gravidez, na passada segunda-feira virou o bico ao prego, e agora garante que vai ser um rapaz! Marta ou Miguel, tanto faz, espero é que a eco mostre que está tudo óptimo e que vem aí uma criança saudável e perfeitinha como se costuma dizer. Beijinhos Sandra

terça-feira, dezembro 20, 2005

Para variar...

o meu problema no Natal não é a compra de prendas... é a sua distribuição em tempo útil. Se bem que este ano ainda me falte comprar duas prendas, mas como não são para ninguém importante nem têm de ser entregues na data certa não há problema, são as prendas do meu pazinho (entenda-se marido) e da minha irmã. Como vêem, não tenho motivos nenhuns para stressar com a compra destas prendas, não acham? Aliás, acho que vou fazer um desenho (eu e não a Joana) e ofereceres-lhe pelo Natal. É isso ou uma qualquer caixa de bombons resove o problema... :p Ainda tenho alguns dias... deixa lá ver quantos... hummm... neste não posso, neste também não, ora isto dá, um mais um, dois... noves fora... certo! Tenho 2 = dois = DOIS dias para o fazer! Tássssee béeeeem :s Beijinhos Sandra

Querido Pai Natal...

Eu gostava de receber no Natal (continuação): 15. uma agenda (de papel e não electrónica) como deve ser, com espaço para escrever moradas compridas, números de telefone, de telemóvel, emails, contactos msn e skype e datas de aniversário 16. um carro novo, como por exemplo este: BMW Série 5 Touring (já me dava por satisfeita) (continua... será que ainda tenho lata para isso?!) Beijinhos Sandra

segunda-feira, dezembro 19, 2005

Coisas que escusavam de saber, mas que não resisto a contar...

A casa de banho aqui do meu trabalho é tão gelada, mas tão gelada, que quando vou fazer xixi, até fumega! Desculpem lá qualquer coisinha, mas esta tenho mesmo de registar para a posteridade. (hoje vou ter uma reunião com o nosso administrador, e acho que lhe vou mostrar este post :p)

Quem é que me aconselha...

um Circo para levar a Joana, de preferência sem animais... é que tanto eu como o pai não gostamos nada de Circo, mas achamos que a Joana vai delirar... Fico à espera das vossas sugestões. Adenda: Seguindo os conselhos que me deixaram, aqui ficam os contactos para quem quiser: Lisboa Cultural - Circo para Crianças Eu confesso que estou tentada a experimentar o Circo de Cuba ou o do Coliseu. Obrigada!

Depois de...

praticamente uma semana fechada em casa, com uma filha doente, nada como um fim-de-semana com uma filha curada mas atacada por uma crise de mãezite-mimite aguda. Nunca desejei tanto que chegasse uma segunda-feira na minha vida! Além disso, a minha afilhada (13 meses mais velha que a Joana) dormiu pela primeira vez fora de casa sem os pais. Mas duas meninas que não páram um minuto quietas, com uma mãe/madrinha com falta de descanso, e um quarto cheio de brinquedos, digamos que é uma combinação explosiva. Resumindo, hoje estou a trabalhar... mas é um descanso que nem vos digo! :)

Querido Pai Natal...

Eu gostava de receber no Natal (continuação): 13. uma caneca-termo, para poder a vir beber o meu leitinho quentinho pelo caminho 14. uns chinelos novos (continua... será?!) Beijinhos Sandra

sábado, dezembro 17, 2005

Prendas...

Primeiro espreitem aqui... agora vejam estas: E agora como é que eu fico?! O que é que eu te digo?! Que gostei é pouco. Que é lindo parece ainda menos. Que não estava à espera é cliché. Que és fantástica e que tens umas mãos de ouro, não é novidade... um simples obrigada chegará?! Adorei, e se me virem a andar de manga curta na rua, não estranhem! É que não há frio que resista a tanto mimo! Especialmente a estes feitos à lareira! Obrigada Cate! PS: Se estranharem o adiantado da hora, eu explico: a minha afilhada veio cá dormir; tem 3 anos; a brincadeira durou até à meia-noite; os disparates também; estive na conversa com uma amiga que veio jantar comigo (e em paga lavou a loiça :p) até à uma e tal; o sono foi-se!

sexta-feira, dezembro 16, 2005

5 meses...

Se não fosse a Raquel, a data não ia ficar registada. Fica por enquanto a imagem... as palavras vêm depois. Parabéns meu Manchinha II, tu ainda não sabes, mas já me fazes muito feliz.

E ao sétimo dia...

a minha filha melhorou!!! Ontem dormiu das 12h30 às 17h30. À noite comeu um bocadinho de esparguete pela mão dela, foi para a cama às 22h e ainda está a dormir. Não tem febre desde ontem à noite (e durante a tarde era tão pouca que nem lhe dei nada). Ainda pensei em levá-la a ver o Noddy hoje às 10h como sugerido pela diabinha, mas depois de 5 minutos a tentar acordá-la, desisti. A miúda até me respondia a dormir! O antibiótico já fez efeito, agora começou a cura de sono! Viva!!! :) Sol, espera lá mais só um bocadinho, que nós estamos quase prontas!!!

A frase mais ouvida...

na última semana, foi: Não quéio foguetão*! Não quéio foguetão mãeeeee! Dita num choro melódico e sempre que lhe víamos a febre, ou que mencionávamos a palavra remédio, ou que lhe limpava o rabinho. * supositório

quinta-feira, dezembro 15, 2005

A cama nova...

Aqui fica uma foto da cama nova... para a posteridade :p (não se nota nada que adoro almofadas pois não?!)

A cama nova...

A cama nova da Joana já está no quarto dela há uma semana, no entanto, o colchão só chegou ontem. Ela estava radiante! A cama gande da Joana! A Joana vai domie na cama gande! E assim foi, adormeceu em menos de cinco minutos e eu pensei que iria ser uma noite descansada porque ela tinha uma temperatura normal. no entanto não foi assim novamente! Passado um pouco ela chama-me e já tinha 40,1º C. Acabei por dormir com ela para a poder ir controlando, e foi mais uma noite em beleza. Mesmo assim, foi a melhor noite dos últimos dias, e espero que hoje ela comece finalmente a arrebitar. Ontem já petiscou ao jantar e hoje já comeu um bocadinho de cérelac. Façam figas mas parece que estamos a ir no bom caminho! Entretanto, decidi ficar em casa o resto da semana. O papá tinha hoje uma reunião que precisava de ir, e eu confesso que estou cansada destas noites. Agora vou sentar-me ali no sofá ao lado da minha menina a ver o "Noddy salva o natal" pela 458ª vez! :p

quarta-feira, dezembro 14, 2005

E o manchinha...

anda num frenesim doido! É de dia, e de noite, simplesmente a toda a hora! O meu rico bebé ainda não nasceu e já anda todo preocupado com a mana mais velha... só pode :p (pode ser devido à minha falta de sono, que o deve baralhar todo, mas confesso que sabe mesmo muito bem, ser pontapeada desta forma :))

Digamos...

que estou um bocadinho (muito) farta de tanta febre junta. Durante a noite a febre sobe mais e eu quase nem durmo com medo dos picos de febre. Ontem já não vomitou nada e hoje a expectoração está finalmente a sair pelo nariz... e em quantidades industriais :p Ela continua sem se queixar dos ouvidos ou de outra coisa qualquer, mas não posso ficar longe dela mais que 10 minutos. Comer é mentira desde sábado, quanto muito vai bebericando um leitinho e lambendo a manteiga do pão (uma dieta bem equilibrada :p), a maminha tem andado em alta e o mimo, bom, nem preciso de dizer nada né?! Espero sinceramente que o antibiótico comece a mostrar resultados entre hoje e amanhã. Para o bem dela, que coitada já se vê que está fartinha de estar assim, e por muito egoísta que isto possa parecer, para o meu também. Obrigada mais uma vez pela vossa preocupação que chega de tantas formas diferentes. Vou tentar, ainda hoje, deixar-vos um post com um teor bem diferente. A única coisa que vos digo, é que daqui a nada roubo o nick à Claúdia, porque eu é que ando a ficar cada vez mais mimada! Tenho espreitado as vossas novidades, mas confesso que não vou conseguir comentar nada tão cedo.

terça-feira, dezembro 13, 2005

Update sobre a Joana...

Bom, afinal a febre veio para ficar e ainda conseguiu atingir a módica quantia de 41º C ontem ao final da tarde. O diagnóstico foi uma otite no ouvido esquerdo e outra a começar no direito. Vai ter mesmo de fazer antibiótico para combater esta virose que ao que parece é das fortes. Vai ficar em casa até sexta-feira, e eu fico com ela pelo menos estes dois dias. Fora os kilos de mimo, hoje está um pouco melhor e a febre ainda não passou os 39,5º C, no entanto, é provável que ainda se mantenha nas próximas 48 horas. Entretanto, estamos de alerta para ver se não há alterações no estado dela, que possa indicar outra coisa qualquer. Esta é a primeira otite da Joana, e ela nem agora se queixa de qualquer dor, apenas a febre a quebra. O sol brilha lá fora e por enquanto ainda não o conseguimos aproveitar, mas estou confiante que ele não vai embora sem nós curtirmos o seu calorzinho. O papá por sua vez, está quase como novo e já retomou o trabalho, sexta-feira há mais futebol :) Volto quando tiver um bocadinho, até lá um grande beijinho a todos pela vossa preocupação! Obrigada. Beijinhos Sandra

segunda-feira, dezembro 12, 2005

O sol...

brilhou e deliciou durante todo o fim-de-semana! Com um tempo assim, os planos para actividades no fim-de-semana eram promissores. O objectivo era aproveitar ao máximo este solzinho que continua a prometer brilhar nos próximos dias. No entanto, como já devia saber, os melhores planos também podem sair furados. O António, no habitual jogo de bola de sexta à noite, torceu um joelho e ficou quase que imobilizado. Passear ficou fora de questão, mas restava-nos aproveitar o sol no nosso jardim. Mas o sol brilhou o fim-de-semana inteiro, e nós não aproveitámos nada. E porquê? Porque a Joana ficou com uma febre altíssima que não dá tréguas desde sábado. As noites foram passadas a vomitar expectoração e arranjar formas de a arrefecer. Não apresenta dificuldades respiratórias nem tosse durante o dia, mas vomita carradas de expectoração. Não lhe consigo dar o brufen nos intervalos do ben-u-ron em supositório porque o vomita, e os arrefecimentos têm de ser constantes para manter a temperatura a rondar os 38º C. A febre desta vez, já atingiu os 40.6º C e sem os arrefecimentos manter-se-ia sempre acima dos 39º C. Uma maravilha portanto. Hoje ficou em casa com o papá e vamos aguardar para ver o que vai acontecer. Se não melhorar, amanhã iremos ao médico, mas espero sinceramente que hoje a temperatura comece definitivamente a ceder. E assim, se passou um fim-de-semana cheio de sol sem por um pé fora de casa, com a mãe a "coxear" entre o sofá onde estava o pai e a cama onde estava a filha. Esperemos que esta nova semana comece e termine melhor! Adenda: O pai hoje já anda, por isso é que consegue ficar com ela. A Joana mantém o mesmo quadro. A ver no que dá, mas decididamente a continuar assim é uma ida ao médico hoje ou amanhã.

sexta-feira, dezembro 09, 2005

No carro...

eu e o pai vamos entretidos numa qualquer conversa. Ela lá trás está a falar sozinha. De repente, a conversa dos pais acaba e ouve-se apenas ela ao fundo: ... ela foi apanhai foures. Vamos contai? um doix tês quáto cinco xeis xete nóbe dez onje doje onje doje quinje... lá foi ela! As foures tinham muitas cores! ajuuul vemeiiio amaeiélo vêeeede... lá foi ela! Chegou à caja da avó e bateu à póta. tuz-tuz-tuz! E fez-se silêncio. Ela estava a contar a nossa versão do Capuchinho Vermelho, a história que ouve todos os dias ao deitar. Como ela não continua a história, decido fazer eu a voz da avozinha e digo: Quem é?! Ao que ela me responde: É o Pai Nataaaal!!! hã?! Então não era a netinha?! :p (o Natal mexe mesmo com pequenos e graúdos!)

A baixa lisboeta...

é um local maravilhoso para se passear. Nem sei porque não vou até lá mais vezes. Mas se juntarmos às suas características habituais, um dia lindo de sol, um ventinho frio (que é uma delícia quando está sol) e uma princesa... o resultado só podia ser fantástico! A repetir uma, e mais outra, e outras tantas vezes!

Feriados à quinta....

Um feriado é sempre bom, quando calha ao fim-de-semana é bom para menos gente, mas mesmo assim é bom para alguma. Os meus feriados preferidos são à segunda, à quarta e à sexta (se forem à segunda, à quarta e à sexta na mesma semana uiui :p). Um feriado à quinta é fixolas, mas não é definitivamente o meu favorito. A quarta parece sexta, porreiro, a quinta parece domingo, not so good, e a sexta parece segunda... mau mesmo! Para complementar, ando aflita da minha coluna. Ontem só coxeava, hoje acho que vou pelo mesmo caminho... Fim-de-semana, onde estás tu?!

quinta-feira, dezembro 08, 2005

Declaro...

aberta a época natalícia neste blog! Espero que gostem. (agora vou ali fazer a minha árvore de Natal, já venho!) Beijinhos Sandra

quarta-feira, dezembro 07, 2005

Neste momento...

eu bato do lado de fora, e ele pontapeia-me do lado de dentro... e fico assim com um sorriso estúpido na cara enquanto me tento concentrar no trabalho! Não pares bebé!

E já agora...

expliquem-me também, como é que do nada, ela pega numa folha e num lápis e começa a desenhar bolas e riscos enquanto diz Juuuu-aaaa-naaa?! Nunca lhe escrevemos o nome ou soletrámos ao pé dela...

E agora expliquem-me...

como é que a Joana, ainda sabe associar cada presente de aniversário à pessoa que lho deu, sem se enganar?! Beijinhos Sandra

terça-feira, dezembro 06, 2005

Estou a tirar uma especialização...

na arte de afiar lápis-de-cor! E pode ser apenas no nosso caso (embora já tenha constatado que não) mas que estes lápis de hoje em dia, desde os mais caros aos mais baratos, são uma porcaria, disso não tenho dúvidas! Por isso a técnica de afiar lápis-de-cor tem sido estudada com bastante afinco. Se faço rodar no afia os lápis da marca x mais do que três vezes é certo e sabido que o bico parte; se são da marca y então resistem até às quatro voltas. Por vezes sejam x ou y, o bico só se mantém depois de se partir três vezes. Os únicos mais resistentes são uns grossos, triangulares de marca nacional (e o que é nacional é boooommmm :p). Esses aguentam ser afiados, e têm um grau de resistência muito elevado aos ataques criativos da Joana, especialmente os que envolvem bater com o bico do lápis o maior número de vezes, no menor espaço de tempo, com a máxima força possível, numa qualquer superfície dura! Quando nascer o próximo, acho que já acabei o doutoramento na área! :) PS: Pronto... não aguentei às pressões e vou usar este espaço (mais uma vez) para passar publicidade... tenho de começar a mandar umas cartinhas a ver se me cai algum na conta :p. No entanto, enganei-me na promoção que fiz em cima... os de marca nacional que são bons, são da Viarco mas são finos, e os tais lápis triangulares e grossos que sobrevivem a (quase) tudo são os Bic Evolution Triangle (podes confiar nestas marcas Sónia... têm site! hehehehehehe - privet joke). Os melhores afinal não são nacionais, mas têm compreender que esta especialização tem tanta matéria a aprender que é complicado não baralhar tudo. E agora só me lembro de trautear: Bic-Bic-Bic, Bic-Bic-Bic Bic Laranja, Bic Cristal duas escritas à vossa escolha Bic-Bic-BicBicBic-BicBicBic Bic Laranja com a escrita fina Bic Cristal, escrita normal ...

Com...

a companhia certa, um simples MacMenu é confundido com um exuberante fillet mignon. Soube mesmo muito bem.

segunda-feira, dezembro 05, 2005

20 semanas...

20 semanasJá tenho vinte semanas completas, o que significa que estou a meio desta gravidez. A pergunta que se impõe neste momento é Como é que passou tão depressa?! Estou dividida entre estar feliz por atingir esta meta, e sentir que já faltam outras tantas semanas para acabar. Esta gravidez está a ser vivida muito mais calmamente, e até se calhar é por isso que este bebé é muito mais calmo que a irmã. A Joana nesta altura já dava verdadeiros shows de mexe e remexe, a barriga já se contorcionava para tudo o que era lado sob o olhar atónito de terceiros, e, o pai já tinha show exclusivo pelas quatro da matina. Este bebé, mexe principalmente antes das refeições e ao final do dia, de forma muito suave, como que a fazer-me festinhas. Tão suave que o pai ainda não o conseguiu sentir. De noite nunca o senti a mexer-se e parece-me que acorda tarde, porque só dou conta dele por volta das onze horas. No entanto, eu que da Joana andei (quase) sempre fantástica, agora os finais do dia custam-me cada vez mais. Tenho dores de cabeça quase diárias e no final do dia, quase não me consigo mexer. Isto tem vindo a piorar lentamente, e a única coisa que peço é que não piore mais, ou que pelo menos me deixe fazer a minha vida normal até ao final. Para marcar as vinte semanas, declaro aberta a época dos palpites. Ali ao lado têm a zona de votações. Já lá deixei três votos, o meu (no Miguel) seguindo a minha intuição, o do pai (na Marta) seguindo a preferência dele e o de um reformado aqui da minha empresa que todos os dias, desde que se apercebeu do meu estado, me recomenda para tomar bem conta desta menina :p Vamos lá ver então quais as tendências blogosféricas e quantos é que vão acertar realmente! Só espero que as próximas vinte semanas passem muito mais devagar... Beijinhos Sandra PS: Ooopss... Publiquei o post antes de publicar a caixinha de votações... esperem lá mais um cadito... PPS: Já tá! :p

O Noddy ao Vivo...

Foi bom. Muito bom mesmo na opinião da minha menina, que ao outro dia ao acordar, as primeiras palavras que disse foi O noddy foi pá pisão. Sim, ela ficou definitivamente impressionada pelo facto do Noddy ter sido preso, e eu fiquei impressionada por ela ter compreendido a história tão bem e de saber explicar o que tinha acontecido. Ela simplesmente delirou, e os papás deliraram com ela. Os nossos lugares eram muito bons, mas realmente acho que quem tentou ver o espectáculo do balcão 2 não deve ter visto grande coisa. A preocupação dela quando começou o espectáculo era saber onde estava o Noddy afinal! A preocupação dela quando acabou o espectáculo era saber onde tinha ficado o Rechonchudo e a macaca Mata. A explicação que arranjei à pressão foi que tinham ficado doentes e que não puderam ir, ela aceitou... felizmente! No carro só dizia, A Joana viu o Noddy a séio! No tiato! alternado com, O noddy foi pá pisão. Fez asneias. Resumindo, foi bom e foi difícil convencê-la de que não podia ir para o palco para ao pé deles. No intervalo ainda foi com o pai até perto do palco para ver mais de perto a oficina do Sr. Faísca e a prisão do Sr. Lei, mas o que ela queria mesmo (assim como toda a criançada) que era ver o Noddy frente-a-frente, é que não aconteceu. Por um lado ainda bem senão imagino a confusão que se instalava naquele pavilhão! De resto, tenho uma filha completamente indiferente ao merchandising o que dá um jeitão nestas alturas! (...) Abram alas para o noddy no seu carro amarelo Abram alas para o noddy que o dia vai ser tão belo (...)

sexta-feira, dezembro 02, 2005

Hoje...

Repete-se o cenário de há dois dias... pouco tempo para estas andanças, por isso desejo-vos um excelente fim-de-semana. O meu promete ser bem preenchido, por isso acho que para a semana vou andar a pedir descanso não do trabalho mas da paródia! Se der ainda volto, se não... até segunda!

E enquanto não há novidades...

Deixo-vos aqui o desenvolvimento de um bebé entre as 18 e as 24 semanas de vida. ver vídeo retirado do documentário "Vida no Ventre" do National Geographic Channel

quarta-feira, novembro 30, 2005

HO! HO! HO!

Foi como um autêntico Pai Natal que me senti ontem à noite ao chegar a casa! Sacos e mais sacos, e mais uns quantos sacos cheios de brinquedos. Se a mim sempre soube bem fazer compras de Natal, comprar brinquedos ainda me sabe melhor! Passei quase três horas enfiada no Toys'R Us, mas perdi-me naquele mundo encantado dos brinquedos... ooops que este slogan é doutro! :p Deixo já aqui um aviso, os puzzles são mais baratos no Continente (o tal do slogan), e é claro que quando eu constatei isso já era tarde demais... Como a diferença é pouca e tenho o cartão dos Bónus Toys, acaba por ir dar tudo ao mesmo. Depois das crianças, e das compras enfiadas na mala do carro, fui fazer a ronda dos mais crescidos. Resumindo, em pouco mais de quatro horas, despachei as prendas de Natal. Só falta a do meu pazinho... mas essa ainda está em fase de estudo :p Beijinhos Sandra PS: Fica já aqui a informação, de que hoje não há mais posts e à partida não há visitas a ninguém. Tenho de acabar umas coisitas e como a semana é mais curta tem mesmo de ser assim! Bom feriado!

terça-feira, novembro 29, 2005

Amigos para as ocasiões...

Que os amigos são para as ocasiões é a pura verdade. Mas sermos "amigo de ocasião" não tem piada nenhuma. Confesso que não me agrada quando apenas se lembram de nós quando lhes convém. Especialmente, quando repetem esse comportamento vezes sem conta, agem como se assim não fosse e pensem que nós nem nos apercebemos disso. Mas se calhar sou apenas eu que penso assim. Devo ter uma noção de amizade fora do comum. Eu e a mania de ser diferente... a culpa é minha claro está!

Os bilhetes... a saga

Sabia do espectáculo desde Maio. Os bilhetes estão comprados desde Setembro. A Joana ainda não sabe que vai, mas a mãe já teve em dúvida se ela ia mesmo! Então não é, que nas arrumações que fizemos em casa (daquelas de virar a casa do avesso de uma ponta à outra) com a justificação dos anos da piquena, os bilhetes ganharam asas!? Ficou o envelope de cartão onde vinham os bilhetes, no sítio onde deviam ter estado sempre, mas os bilhetes que lá estavam dentro nem sombra! A mãe, eu, já habituada a situações do género desdramatizou o problema. Devem estar misturados com a papelada, pensei. Ganhei então um motivo para arquivar as facturas, recibos, e papelada afim acumulada desde o início do ano num monte único. Passei uma tarde a separar, o que interessava do que não, devidamente organizados por data e assunto e a arquivar em dossiers. Descobri coisas que iriam ter utilidade num futuro próximo, descobri outras tantas sem utilidade nenhuma além da reciclagem... mas bilhetes népias! Tudo bem, há que manter a calma (lembrei-me do marido de alguém que não foi ver os U2 por causa do mesmo dilema :p). Na semana passada a preocupação aumentou, e tratei de garantir a presença da criança no espectáculo caso os bilhetes não aparecessem mesmo. arranjei a documentação necessária para provar a compra dos bilhetes e ontem ia enviar um email (como sugerido por funcionários do pavilhão atlântico) a expor a situação. Ia enviar, mas não enviei, porque no domingo, quando de cima da cómoda da Joana, tiro a roupa que tinha preparado para ela vestir nesse dia (e colocado aí horas antes) vejo um papel branco. Não liguei e virei costas, mas algo fez clique (de certo o único neurónio que me sobra) e voltei a olhar. Aquilo tinha aspecto de ser um bilhete. Pouso a roupa e lentamente pego no papel. Dizia em algum lado pavilhão atlântico e eu pensei "Não pode ser!". Desdobro o papel, e lá estavam eles, dois bilhetes para o espectáculo do Noddy!!! Nem queria acreditar! Agora o que eu quero saber, é: ... como é que os bilhetes foram ali parar?! ... como é que os bilhetes estiveram ali durante mais de um mês?! ... como é que os bilhetes passaram despercebidos aos olhos de lince da minha menina (porque agora tudo o que seja de papel e esteja ao alcance dela, é para escrever)?! ... como é que nunca reparei nos bilhetes!? Perguntas inúteis à parte, os bilhetes já estão em lugar seguro novamente. Agora resta esperar que a minha menina goste do espectáculo!

segunda-feira, novembro 28, 2005

Colchões & Sono...

Deixo-vos aqui um artigo bem interessante sobre a escolha de colchões: http://consultorwellness.no.sapo.pt/ Vou deixar o link ali ao lado, na secção saúde.

Robe...

Nestes dias frios, sabe mesmo bem andar em casa de robe vestido. Pelo menos, eu e o António temos esse hábito. Agora a questão é que a Joana reparou que ela era a única que não tinha robe... e não achou piada nenhuma à brincadeira! Vou ter de lhe comprar um, definitivamente.

Mimos...

 

Como se não me mimassem diariamente com as vossas palavras, ainda tenho umas quantas presenças assíduas que vão mais longe! Estava bem mais gente atenta ao meu choradinho por gorros e cachecóis coloridos para a minha menina do que eu pensava!

A primeira a avançar foi a doce Cate. Sem dizer nada, passados uns dias fez-me uma supresa com uma foto no seu blog! Um cachecol lindo que era exactamente o que eu tinha pensado! Ficou de fazer um gorro, mesmo não tendo muita experiência e o resultado está à vista! Vem um bocadinho atrasado este reconhecimento público, mas volto a dizer, este inverno pode vir o frio que vier que o meu coração está quentinho de tanto mimo. Obrigada Cate, pela atenção, pela lembrança, e pela dedicação com que unistes estas cores e criaste algo tão especial.

Deixo-te aqui o sorriso da Joana, especialmente para ti e para a tua estrelinha. Beijinhos Sandra

sexta-feira, novembro 25, 2005

Consulta das 18 semanas...

Então foi assim: - aumento de peso: 3,200kg dispensou-me do ralhete porque não estava para aí virado. Passou o resto da consulta a mandar piadinhas sobre eu passar a rebolar em vez de andar etc etc. :p (atenção: é costume trocarmos estas piadinhas um com o outro!) - tensão arterial: perfeita - resultados das análises: perfeitos - aumento do útero: acima da média os kilinhos a mais não ficaram apenas nas ancas e rabo! :p - auscultação fetal: depois de n minutos a tentar apanhar o safadinho, lá se ouviu um tum-tum-tum frenético ao longe. A porcaria do doppler também não ajuda nada! - resposta do médico às queixas da mãe (imobilização no final do dia à conta da ciática e dores de cabeça frequentes): Só tende a piorar! Dito com um sorriso na cara! Tão querido o meu médico :p - data da próxima eco: 21/12 e como é vésperas de Natal... a revelação do sexo do Manchinha II vai acontecer a... 25 de Dezembro! Pronto... agora vou mas é para casa que por hoje já chega! Beijinhos Sandra

Reflexos...

Ontem a Joana queria miminho e pediu colo. Quando lhe peguei, abraçou-me e deitou a cabeça no meu ombro. De repente olho em frente e vejo o nosso reflexo na janela da sala. Assustei-me. Aquela criança que está ao meu colo, não pode ser a minha filha! É comprida demais! Onde está a minha bebé?! Beijinhos Sandra

Hoje...

. é sexta-feira. . é dia de consulta e de balança (no comments) . a minha filha acordou às 7h30 cheia de genica enquanto eu me arrastava pela casa . ficava na cama de bom agrado, mas nem a piolha eléctrica colaborou . tenho preguiça . não havia trânsito . arranjei lugar para estacionar facilmente . está a correr bem mas a minha preguiça é que não me está a deixar aproveitar o momento Hoje promete! :p

Querido Pai Natal...

Eu gostava de receber no Natal (continuação): 11. uma maquineta (manual) para picar a cebola, fácil de limpar. 12. uma semana em Nova Iorque antes do Natal (pode vir em forma de vale para usar em 2006). (continua) Beijinhos Sandra Adenda: Meninas, a opção de comprar cebola picada congelada para mim não é válida, porque eu não compro cebola! São os meus sogros que as semeam, e por isso, cebola é o que não falta! Além disso, eu quero a maquineta, porque não costumo picar apenas uma cebola! Pico logo uma catrefada delas e congelo de seguida!

quinta-feira, novembro 24, 2005

A tosse...

foi-se e esta noite foi passada a dormir profundamente! Fica, por enquanto, apenas a indicação que publiquei no outro cantinho mais umas recordações que já estavam há algum tempo em draft. Deixo-vos um cheirinho:
«(...) A escola primária deixa-nos marcas para sempre, mas digamos que as minhas foram um pouco longe demais.»
Ler mais

quarta-feira, novembro 23, 2005

Bolos, bolinhos, doces e docinhos...

Eu não sou efectivamente uma pessoa gulosa. Há alguns doces dos quais gosto muito, mas a maior parte dispenso. Sou capaz de passar semanas sem tocar num único doce. Quando comecei a trabalhar, por indicação médica, comia uma sobremesa em cada refeição que fazia na cantina do trabalho. O meu nível de glicémia era baixo demais. Desde aí, os valores melhoraram, mas estão sempre abaixo ou perto do valor mínimo. É sempre assim, à excepção durante a gravidez e pós-parto. Nestas alturas tenho uma necessidade enorme de doces, e quanto mais calorias têm, maior é a minha vontade de os comer! Hoje chegaram os resultados das minhas análises. Aparentemente está tudo bem, e todos os valores estão pelos limites mínimos ou abaixo como é normal em mim. E depois dos bolos-rei (e rainha), crepes, chocolates, doces de Aveiro e afins, que tenho comido, a minha glicémia é de 67! Ora se o mínimo é 60, arrisco a dizer que estássseee beeeennnn! :p Natal?! Venha ele! Não há crise! Beijinhos Sandra

Amiguita...

Tenho uma amiguita que pregou um susto aqui às colegas. Uma tensão alta que teimava em não baixar, nem com medicação. Resultado vai estar em descanso durante uns tempos e por isso, ausente aqui da blogosfera. A situação está melhor e mais controlada, mas tem de fazer alguns exames para perceberem o que se está a passar. Fica aqui apenas esta nota para tranquilizar todos os que a lêem! Um beijinho de melhoras Tânia!

Menino ou menina... 38 maneiras divertidas para adivinhar!

No cantinho da minha amiga além-atlântico, a Longeperto deixou um link para se tentar adivinhar o sexo do nosso bebé! É claro que fui espreitar e aqui fica a lista devidamente comentada com as minhas duas experiências: It's a boy if: - You didn't experience morning sickness in early pregnancy Certo!!! ... mas também não tive da Joana... - Your baby's heart rate is less than 140 beats per minute Não! ... com a Joana foi assim, mas a frequência cardíaca deste é bem superior! - You are carrying the extra weight out front Sim!!! ... o meu rabo sempre cresceu simultaneamente com a barriga, mas definitivamente a barriga é "toda para a frente", das duas vezes! - Your belly looks like a basketball Sim (em forma)!!! ... por enquanto ainda se parece com uma de futebol, mas no final é como aquelas bolas insufláveis de praia! Estão a topar?! - Your areolas have darkened considerably ?! ... deixa espreitar... acho que não, sempre foram escuras... - You are carrying low Acho que sim! ... nunca fiz barrigas subidas (Isto não bate mesmo nada certo com a da Joana :p) - You are craving salty or sour foods Acho que sim! ... acho que os pickles podem encaixar-se aqui e o desejo de presunto também. Da Joana isto não aconteceu... - You are craving protein -- meats and cheese Sim!!! ... mas da Joana também! - Your feet are colder than they were before pregnancy Definitivamente! ... antes de engravidar era verão e agora caminhamos para o Inverno :p - The hair on your legs has grown faster during pregnancy SIM! ... mas da Joana também. E não só nas pernas! - Your hands are very dry SIM! ... desde que nasci! - Your pillow faces north when you sleep OK... vou passar a dormir de bússola! - Dad-to-be is gaining weight, right along with you no comments... next! - Pregnancy has you looking better than ever Não!!! ... mas da Joana sim... - Your urine is a bright yellow in color Depende! ... durante o dia é da cor da água de tanta que bebo! Da Joana já não me lembro - Your nose is spreading Espero que não!!! - You hang your wedding ring over your belly, it moves in circles Certo!!! - You are having headaches Certo!!! :( - You add your age at the time of conception and the number for the month you conceived the number is even Certo!!! O número é 38 ... mas da Joana também dá par (28)... It's a girl if: - You had morning sickness early in pregnancy Não! ... nem da Joana! - Your baby's heart rate is at least 140 beats per minute Sim! ... mas da Joana não era! - You are carrying the weight in your hips and rear Também! - Your left breast is larger than your right breast Não! ... sempre foi ao contrário... desde que tenho mamas! - Your hair gets red highlights ?! Não sei... já não me lembro da Joana e vou tentar confirmar desta - You are carrying high Não! ... nem da Joana! - Your belly looks like a watermelon Não! ... nem da Joana! - You are craving sweets Next!!! :p - You are craving fruit Nada mais do que o normal ... mas da Joana também não - You crave orange juice Não! ... nem da Joana! - You don't look quite as good as normal during pregnancy Sim!!! ... mas da Joana estava muito mais bonita - You are moodier than usual during pregnancy Sim!!! Mas há alguma grávida que não fique assim?! - Your face breaks out more than usual Esta não percebi! Um tradutor please! A Morgy veio em minha salvação e traduziu: Tens mais borbulhas na cara?! E a resposta é: SIM!!! ... mas da Joana não tive nem uma! - You refuse to eat the heel of a loaf of bread Não! Isso é o melhor! Sempre foi! - Your breasts have really blossomed! hehehehe! Ai não! ... da Joana também! - Your pillow faces south when you sleep Já disse que vou passar a levar a bússola! - Your urine is a dull yellow in color Às vezes! - If you hang your wedding ring over your belly, it moves from side to side Não! ... da Joana sim! - If you add your age at the time of conception and the number for the month you conceived the number is odd Não! Mas da Joana também não! Resumindo, apenas 6 de 19 confirmam que da primeira gravidez tive uma Joana! Prognósticos?! Só mesmo no fim do jogo! :) Beijinhos Sandra

Querido Pai Natal...

Eu, no Natal, gostava que (continuação): 9. realizasses os desejos das "invejosas" que têm comentado a minha lista de pedidos de Natal! :p 10. arranjasses um curso de etiqueta, boas maneiras e obediência... para os meus cães. (estão a acalmar com a idade mas ainda continuam muito irrequietos) (continua) Beijinhos Sandra

A tosse...

ainda não foi embora mas deu umas tréguas. A noite foi significativamente mais calma! Mas ontem o cansaço da Joaninha era tanto, que adormeceu no chão da sala enquanto fazia os seus desenhos... às 20h30! Obrigada pelas vossas mensagens de melhoras! Acho que deram resultado.

terça-feira, novembro 22, 2005

Só para quem pode...

A Joana tem andado com tosse. Esta noite foi especialmente complicada e a partir das quatro da manhã, não dormimos praticamente nada os três. A Joana só voltou a adormecer por volta das seis da manhã e eu a mesma coisa. Às 7h10 lá tive de me arrastar para fora da cama, mas fiquei tranquila por ver que a tosse finalmente tinha dado umas pequenas tréguas. A manhã custou horrores a passar e um café foi mesmo obrigatório. Antes de almoço o pai telefonou-me e disse que a teve de levar embrulhada num cobertor para a ama que ela não queria acordar... às 9h15! Por volta da uma, telefonei à ama a saber dela. Já tinha almoçado lindamente (e quando a ama diz isso, posso ter a certeza que ela comeu IMENSO!) e a tosse tinha acalmado. E a que horas é que a pequena acordou?! Às 11h30! Só para quem pode mesmo, filhota?!

Querido Pai Natal...

Eu gostava de receber no Natal (continuação): 7. um passe anual para um SPA, com direito a massagens, tratamentos corporais e faciais, etc. 8. um colchão insuflável para receber aquelas visitas que caem do céu (continua) Beijinhos Sandra

segunda-feira, novembro 21, 2005

Oh paaaaiiiiii...

Quem julga que as crianças quando não têm nada para fazer, inventam; e, que quando inventam, saí asneira... está enganado!

Isso é tudo mentira! A regra é "As crianças são sossegadas e não fazem asneiras. Nunca!"

Mas os que conhecem a gramática inglesa, sabem bem que por cada regra há umas duas excepções, por isso... a minha filha é uma excepção à regra!

Já vos falei dos vários locais que a minha filha elegeu para pintar (esqueci-me de mencionar que um dos leitores de vídeos é preto e que convida mesmo a uns desenhos a lápis de cera!). Já vos contei outras que já nem me lembro assim de repente. Ficam aqui registadas mais duas.

Então digam-me lá, quando têm uma taça de gelado nas mãos o que fazem?!

a) recusam porque estão em dieta!
b) comem em menos de duas colheradas!
c) vão comendo em pequenas quantidades para poderem saborear com mais calma!
d) arregaçam as calças de fato-de-treino e espalham o gelado nas pernas como se fosse uma máscara de beleza!

É preciso dizer qual foi a opção pela qual a minha filha optou?!

Agora, respondam a esta: Quando bebem um pacote de leite por palhinha e ficam fartos, o que fazem?!

a) despejam o que sobrou e põe a embalagem para reciclar
b) guardam no frigorífico para mais tarde
c) fazem um esforço e bebem tudo até ao fim
d) tiram a palhinha e despejam o resto no chão, esfregando depois com ambas as mãos

Quem adivinha a opção que a minha filhota, escolheu?! Difícil, não é?!

Bom, depois desta última a Joana ficou de castigo. Quando se foi deitar, pediu o leitinho como habitualmente, e eu disse-lhe que não ia buscar porque ela tinha estragado quase um pacote no chão, etc etc, e que por isso ia para a cama sem leitinho. Ela fica calada por uns momentos, e de repente:

Oh Paaaaiiii! Vai buscaiiii um leitinhooooo!!!

E pronto... lá teve a mãe de sair de fininho para não voltar a rir à frente da filha!

Esenhos...

Pois desenganem-se quando pensam que o Aqua Doodle é interessante, que os livros de colorir são giros, ou que os quadros são uma emoção. Nem as folhas de papel branco por maiores que sejam, se comparam com uma parede branquinha, ou um chão rústico que esconde quase tudo, menos o lápis de cera vermelho! Mas quando o chão já está quase todo pintado e a parede é um prazer proibido, nada como atacar o sofá! Por isso papás, aconselho vivamente a compra de um sofá de pele azul escuro. O giz agarra-se na perfeição e o apagador também funciona! Apenas convém passar a olhar para o rabinho antes de sair de casa... não vão estar assim um pouco para o branquelas! :) Vão ser dois daqui a uns meses, não é! Y-u-p-i... :)

Lanchinho...

Num Domingo chuvoso, que não apetece mais nada senão ficar enrolado numa mantinha no sofá, a beber um cházinho, vegetar a ver televisão e ouvir o crepitar de uma bela lareira... toca a enfrentar a chuva e a fazer mais um belo lanchinho em excelente companhia! E mesmo havendo umas quantas desistências de última hora, juntaram-se três famílias, uma de sapinhos, outra de bichinhos e a minha, para mais um lanchinho hiper-mega-super-calórico... Entre crianças houve espaço para guerras de brinquedos/partilhas "forçadas", abraços e beijinhos, gracinhas e ainda uma dentada para encerrar as comemorações (sorry! :p). Passando à frente a doçaria (aiaiaiaiai), sentados nos sofás (sim eles tinham sofás bonitos e confortáveis :p), no chão ou à roda da mesa, nós, os pais, pudemos conversar sem grandes interrupções... Tem também de ficar registado o encanto do João a dizer adeus e aquele sorriso! Podia ser o mais novinho... mas fez as delícias de todos com o seu charme!!! Um grande beijinho para vocês e adorei! Vale a pena andar à chuva para passar tão belos momentos!

sábado, novembro 19, 2005

Lãs que aquecem... o coração.

Houve um dia que eu me lembrei de choramingar e confessar o meu desejo por uns cachecóis e gorros coloridos. Num outro dia, fui ter com uma amiga para tomar um cafézinho e entretanto ela acompanhou-me numas compras para a filhota. Passados uns dias, a minha filhota fez dois anos, e num dos envelopes vinha este cachecol, feito pela amiga do cafézinho, a combinar com umas collants que tinha comprado (no dia do cafézinho). Uma prenda que adorei! Junto com o cachecol vinha ainda um marcador para a mãe... lindo. Mas como ela não sabia fazer gorros, pediu a esta amiga para a ajudar, e assim, passados mais uns dias, recebi na minha caixa do correio mais uma surpresa. Estas lãs vão aquecer a minha menina, mas as mãos que as fizeram já me aqueceram o coração. Obrigada Lénia, sabes bem que não tenho palavras. Obrigada Teresa, o teu talento é infindável! Beijinhos Sandra

O jantar de friday night...

O Arroz de Polvo... A Sobremesa Surpresa... E uns bolinhos pouco calóricos que fizeram uma pequena viagem para serem comidos... Como podem calcular, estava tudo muito mau... sobrou imenso... e a partir de hoje, para todos efeitos, a minha balança avariou-se :p Beijinhos Sandra

Ternura...

Beijinhos Sandra

Agitar... antes de deitar!

Beijinhos Sandra

sexta-feira, novembro 18, 2005

Já pula, mexe e remexe!!!

Acabei de receber uma notícia MA-RA-VI-LHO-SA! Tão boa mas tão boa, que fiquei em pulgas! Eu e o meu manchinha que a partir daí começou e não mais parou!!! Estou a sentir os primeiro movimentos do meu bebé a sério! Fortes e inconfundíveis! E se antes estava contente, agora então estou nas nuvens! Ah que maravilha de sexta-feira! Ah meu bebé lindo que me deixas tão feliz!

A ementa do jantar de hoje é...

arroz de polvo, acompanhado de excelente conversa! E a melhor parte é que não vou ser eu a fazê-la (Angie és um espectáculo!)!!! nham nham! A sobremesa é surpresa! Que ela não pode saber tudo! Beijinhos Sandra

Para os curiosos...

A minha próxima consulta é dia 25 de Novembro, e só lá é que o médico vai dizer em que semana é que quer que eu faça a morfológica (nem acredito que a próxima é já esta!) Mas julgo que ele vai mandar fazê-la entre 12 a 16 de Dezembro... por isso, aguentem a curiosidade até lá! E vão preparando o vosso palpite... Beijinhos Sandra

Estar grávida é...

comer um Bolo-Rei sozinha em apenas 3 dias... (e a balança que não perdoa uma!)

quinta-feira, novembro 17, 2005

Os 50.000...

estão quase a aí... quem for que se acuse! Beijinhos Sandra PS: Bekas e Pacatinha... ganharam o direito à referência pelos 50.000... Beijocas! Se quiserem uma surpresa... olhem. peçam ao Pai Natal :p PPS: Dona Scaf... a tua sorte é que daqui ninguém é expulso por causa disso :p E se fazes questão, fica aqui a referência à tua pessoa também pelos 50.000. Quanto ao contador... acho que vou ter de ter uma conversinha com o sitemeter... é que sinceramente, ao menos que ele se enganasse e aumentasse o número de visitas em vez de não contar algumas delas! Assim já era capaz de ir nas 50.178 e era muito mais feliz!!! :p

Água...

Nunca me lembro de beber água. Simplesmente não tenho sede! Sou capaz de passar um dia inteiro em que o único líquido ingerido é o leite logo pela manhã. Ontem apercebi-me que comecei a fazer retenção de líquidos. Lembrando-me da gravidez anterior onde, também aliada à retenção, a má circulação agravou-se e obrigou-me a andar de meias de compressão em pleno verão, decidi que tinha mesmo de começar a combater esta situação. Para isso tenho de me obrigar a beber água. Tenho como meta beber um litro de água enquanto estiver aqui no trabalho. Como já sei que não me vou lembrar disso, decidi arranjar um sistema de alarme. Ora o telemóvel faz um pouco de barulho e é chato para os colegas da sala. Um alerta do Outlook é chato e assusta-me sempre que o raio da janela me salta à frente dos olhos. Assim, puxei pelos poucos neurónios e descobri o dispositivo de alerta perfeito: a Ana! Vamos ver se resulta e se ela não se esquece também!!! Beijinhos Sandra PS: Só para dizer que o alarme funciona na perfeição!!! A primeira garrafa de 50cl já foi bebida! E ainda são 10h44!

Querido Pai Natal...

Eu gostava que (continuação):

6. o meu próximo parto fosse como este, mas já agora sem episiotomia!

(continua)

PS: Se não for o Pai Natal a oferecer-me isto, não estou mesmo a ver quem ou o quê :p
PPS: A Clara, nos comentários, lembrou-me que para este pedido, se o Pai Natal não me trouxer um cheque-prenda com este presente, sempre posso tentar cravar o Coelhinho da Páscoa!!!

quarta-feira, novembro 16, 2005

Métodos para reeducar o sono...

the no-cry sleep solution "Gentle ways to help your baby sleep through the night", Elisabeth Pantley Este livro ensina-nos de uma forma calma, a lidar com as adversidades da falta de sono dos nossos bebés, e vai sugerindo técnicas baseadas na idade/desenvolvimento da criança. Usa casos reais, para apresentar as técnicas e descobrirmos semelhanças com a nossa situação. Foi principalmente graças a este livro, que consegui resultados excelentes com a Joana. No entanto, não é nada que funcione rapidamente, visto o objectivo, seja evitar o choro do bebé ou a imposição de novas rotinas, isto é, a frase "deixa-o chorar que chorar faz bem" neste livro não tem qualquer valor. Aprendi bastante, mas especialmente senti-me apoiada e tranquilizada em tudo aquilo que estava a enfrentar. Baby Whisperer Solves All Your Problems (by teaching you how to ask the right questions), Tracy Hogg & Melinda Blau Este livro é a minha bíblia da especialidade. Desde o nascimendo até aos 4 anos (acho eu) podemos encontrar aqui, quase todas as respostas às nossas dúvidas. Com a autora, Tracy Hogg, quer pelos programas de televisão, quer pelo fórum na web, quer por estes livro, aprendi coisas que são realmente úteis e que funcionam MESMO! Muitos problemas que iam surgindo, não o chegaram a ser, graças às suas chamadas de atenção para estarmos alerta para cada sinal do nosso bebé. A nível da reeducação do sono propriamente dita, misturei muito destes critérios, com os do livro anterior. Acabei por criar uma solução à nossa medida. Que respeitava as nossas convicções, a Joana e o nosso nível de paciência e resistência. Aconselho vivamente qualquer um dos dois. Ambos, ajudaram-me a sentir muito segura de tudo o que fazia, e isso para mim, foi a melhor coisa que eles me proporcionaram. PS: Podem encontrar os livros à venda na Amazon.com e similares. Só existem em Inglês e em Portugal não estão à venda. Podem ser encontrados livros anteriores da Tracy Hogg traduzidos em Português do Brasil (ver por exemplo aqui e na Fnac podem-se encomendar mas sem garantias) mas não recomendo a quem não tenha problemas a ler inglês.

4 meses...

Segundo o meu gravidómetro, hoje completo os 4 meses de gravidez. 4 meses muito diferentes dos primeiros 4 meses de gravidez da Joana (lá estou eu a comparar). Mais calmos, menos excitantes, muito mais bem aproveitados. Ainda não comprei uma única coisa para este bebé que vem a caminho. Nem sequer tenho aquela vontade que da Joana era incontrolável desde o início. Desta vez, estipulei mentalmente que só compro a primeira peça quando souber o que é (desde que seja nesta próxima eco). E quererá isto dizer que esta gravidez é menos amada/desejada?! Nem por sombra de dúvidas! O amor que sinto por este bebé é imenso, no entanto, a falta do factor surpresa em tudo o que se vai passando, vai dando esta falsa sensação de falta de euforia. São 4 meses muito especiais. São 4 meses de um estado pleno. São 4 meses que sabem a pouco e que passaram depressa demais. Parabéns meu Manchinha II. É graças a ti que este dia tem sentido.

The House of Vodka...

Como não há uma sem duas, nem duas sem três, aqui fica o terceiro post do dia (enquanto não sou engolida por um qualquer código de programação :p). Ontem, fui almoçar ao The House of Vodka na agradabilíssima companhia da Diana, marido e Francisco (ainda no quentinho da barriga) e da sô dôna Ana. A comida estava boa, a sobremesa ainda melhor! Para o café juntaram-se as nossas amigas, Kikas e Tânia, e assim se passou um bom bocado. Da próxima vez que nos reencontrármos será certamente com mais uns bebés à mistura! Beijinhos Sandra

Querido Pai Natal...

Eu gostava de receber no Natal (continuação): 4. A colecção encadernada da Teleculinária do Chefe Silva. 5. Um Smart (na cor Bay Grey Metallic) (continua) PS: Não sei o que se passou aqui, mas o meu post seguinte "devorou" este... algo me diz, que estes pedidos foram longe demais :p...

Sono...

Quando estava grávida da Joana, tinha um sono avassalador. Chegava a casa e até o António chegar fazia uma sesta. Depois deitava-me com as galinhas e era incapaz de me por a pé antes das 8h30 (para quem entrava às nove horas, estão a ver !) Eu sempre dormi pouco, desde bebé. Cinco horas seguidas sempre foi a única coisa que precisei para ter uma boa noite de sono. No entanto, nessa gravidez, menos de doze horas não era nada! A Joana foi um bebé muito calmo de início, mas quando regressei ao trabalho, deixou de dormir à noite como até aí. Passou a acordar de hora a hora se não menos. Foram largos meses a não dormir mais do que uma hora seguida, sete dias por semana. Conseguimos seguindo uns métodos de treino de sono, que começasse a dormir melhor, e no final de quase um ano estava a dormir doze a treze horas seguidas! Desta vez, o sono não está a ser problema. Já tive umas duas semanas mais no início que tinha um pouco mais de sono, mas nada que não se controlasse. Não faço sestas à tarde, deito-me por volta das 23h e acordo às 6h30. Mesmo ao fim de semana, levanto-me no máximo às 8h. O corpo humano é realmente uma coisa engraçada. Beijinhos Sandra

terça-feira, novembro 15, 2005

Estar grávida é...

ter de ir ao wc (quase) sempre que me levanto da secretária. (isto não acontecia na gravidez da Joana) Beijinhos Sandra

Tudo bem fechadinho...

A idade prega-nos algumas partidas. Somos bichos de hábitos e desenvolvemos sem dar conta algumas manias, que nos passam completamente despercebidas. Não vou tentar identificar as minhas manias, porque no final do post, já tinha uma carrinha à espera para me levar para um certo hospital cor-de-rosa (ou talvez não, porque eles agora querem fechá-los, mas enfim). O que eu não estava à espera, era que uma pirralhita de 2 anos, já tivesse algumas manias tão vincadas! Mas a que merece destaque aqui, é a de não poder ver portas e gavetas abertas! Sempre que apanha alguma coisa aberta ou simplesmente mal-fechada, precipita-se a fechar "a Joana fecha!". O António por sua vez, é perito a deixar as gavetas mal fechadas, e ela assim que se apercebe diz: O papá é tonto! Leva tau-tau! Fica de tastigo! e zumba, fecha a gaveta. O que dava mesmo jeito, era ela desenvolver uma mania do tipo: não poder ver pó nos móveis; lixo no chão; louça por lavar; etc. Dava jeito... mas não me parece! Beijinhos Sandra

Querido Pai Natal...

Eu gostava de receber no Natal (continuação): 3. Uma depilação definitiva de pernas, buço e virilhas. (continua) Beijinhos Sandra

segunda-feira, novembro 14, 2005

Reciclagem...

Já reciclei mais pilhas nestes últimos dois anos, do que em toda a minha vida. Mas brinquedos sem pilhas já não existem?! O que vale é que estamos a entrar na era dos puzzles... Beijinhos Sandra Adenda: Mesmo usando pilhas recarregáveis, estas têm um limite de recarregamentos!!! Além disso, eu só tenho recarregador de pilhas AA e há muitos brinquedos que usam pilhas de outros formatos!

domingo, novembro 13, 2005

sexta-feira, novembro 11, 2005

Querido Pai Natal...

Vou hoje começar uma série de posts, dedicados ao tema prendas-e-outras-futilidades-que-não-tenho-a-quem-pedir-por-isso-sobra-para-o-Pai-Natal... Eu gostava de receber no Natal: 1. O primeiro prémio do Euro Milhões. (e pronto, agora podia terminar aqui a lista porque com isto consigo o resto, mas... assim não teria piada pois não?!) 2. uma máquina tira-borbotos. (continua) PS: Ontem não cheguei a jogar no Euro Milhões, e não sei se jogue hoje... :p

Não ter juízo é...

passar duas horas, a esfregar os mosaicos de uma sala com uma escova de unhas, com esta barriga e com umas dorzitas de lumbago+ciática aumentadas pelas mega-arrumações feitas no dia anterior. Mas o chão ficou um brinquinho! Beijinhos Sandra Adenda: Agradeço os vossos gentis convites para limpar as vossas casinhas, mas passo! :p

A minha filha é linda porque...

já diz, confiante nela própria: O Benfica não péta! O Sepóting é bom! E além disso, já reconhece o grandioso Alvalade XXI!!! Ahhh minha rica filha! És a filha mais linda da tua mãe!!! :p (só não é perfeita porque também diz que o Pôto é bom!... mas tudo a seu tempo!) Beijinhos Sandra

quinta-feira, novembro 10, 2005

Estar grávida é...

comer de seguida duas bananas fritas (e meia), quando antes de engravidar só o cheiro adocicado enjoava! Beijinhos Sandra PS: Lamento desapontar-te Someone, mas foi mesmo no Chimarrão :p. E não eram nada gordurosas Bekas.

Resposta do IC

No seguimento dos dois posts anteriores, deixo-vos aqui o pedido de informação que enviei para o IC e a respectiva resposta: Enviado no dia : 10 de Novembro de 2005 15:02 Assunto : Carrinho CT 0.5 da Chicco considerado perigoso pelo I.C. Código de Sistema : XXX Número de processo : XXX Pedido de Informação : Boa tarde, Venho contactá-los no seguimento da notícia que saiu no Destak na edição do dia 09/10/2005 (http://www.destak.pt/actual/webpdf/349.pdf). A notícia em causa (pág.4) refere que dois modelos de carrinhos de bebé foram considerados perigosos e ordenada a sua retirada do mercado. Eu tenho o modelo da Chicco em causa, e gostaria de saber como devo actuar. Procurei no vosso site algo sobre este assunto e não encontrei. A notícia está correcta? Se sim, o que os actuais detentores destes carrinhos devem fazer? Obrigada pela atenção dispensada. Sandra Costa Resposta fornecida : Exma Senhora: Poderá encontrar informação relativa a esta matéria na 1ª página do Portal dos Consumidores, acessível em http://www.consumidor.pt Quanto aos modelos em causa são o Utility 5 da Pré-Natal e CT 05. da Chicco. Até ao momento não temos informação de que tenha ocorrido qualquer acidente ou incidente com estes dois modelos; contudo, há o risco de entalamento para a criança que utiliza o carrinho, conforma consta da informação citada. Assim, sugerimos que, e caso o entenda oportuno, estabeleça um contacto com a empresa responsável pela colocação do produto no mercado, no caso a "FARSANA". Com os melhores cumprimentos XXX Esperemos que a resposta fornecida tenha ido ao encontro das suas necessidades. @ Instituto do Consumidor, 2002/2003 Lá rápidos foram, agora que não me deram todas as respostas que queria, não. PS: Quanto à solucção proposta pela Chicco, nenhuma das duas me dá jeito. É que o Ct 0.1 é a evolução do Trekking que já tenho, e o Ct 0.6 é fraquinho demais para o meu gosto. Ou não troco o carro, ou vão mesmo de me arranjar outra solução. Beijinhos Sandra

CT 0.5 da Chicco - Troca possível

Acabei de falar com a loja da Chicco do Colombo. Após questioná-los sobre esta questão e o que eles disseram foi que basta levar o carrinho à loja que eles efectuam a troca do mesmo por dois modelos à escolha, o C0.1 ou o C0.6. Também salientaram que o carrinho não foi tirado do mercado por pôr em perigo a segurança do bebé, como foi descrito nas notícias, mas devido ao facto de as costas não ficarem direitas. Assim, quem quiser trocar de carrinho, basta dirigir-se a uma loja chicco com o mesmo, que a mesma é efectuada. Tudo bem, quando acaba em bem. Beijinhos Sandra

IMPORTANTE

No Destak de ontem, vinha uma notícia sobre o facto do Instituto do Consumidor, ter ordenado que fossem retirados do mercado dois modelos de carrinhos de bebés por terem sido considerados perigosos (mais informações)! Os modelos em questão são o Utility-5 da Pré-Natal e o CT 0.5 da Chicco. A notícia dizia que "A Comissão de Segurança de Serviços e Bens de Consumo já ordenou aos agentes económicos, a Chicco e a PréNatal, responsáveis pela colocação dos dois carrinhos no mercado nacional, que procedessem à sua retirada. De acordo com o Instituto do Consumidor os carrinhos (...) têm problemas no fecho de segurança que não actua quando o primeiro fecho é libertado, o que provoca o fecho do carrinho e causa perigo de entalamento para o bebé que o utiliza. (...)" Agora é assim, eu tenho o CT 0.5 da Chicco... alguém sabe o que é que as pessoas que já adquiriram os carrinhos podem fazer?! Podemos devolver o carrinho?! Alguém tem experiência nestas situações?! Sinceramente, eu até gosto bastante do carro e nunca tive problemas (tenho o carro desde Abril) mas depois de saber isto, não me apetece manter o carro. Fico à espera das vossas opiniões, e avisem quem tenha carrinhos destes modelos. Adenda: Podem ver a notícia aqui: http://www.destak.pt/actual/webpdf/349.pdf. Já enviei um pedido de esclarecimentos ao Instituto do Consumidor. No máximo daqui a 5 dias úteis tenho uma resposta deles. Note-se que tenho outro carrinho da Chicco (o Trekking) o qual considero excelente! Aliás, no que diz respeito a carrinhos, de tudo aquilo que eu vi, achei que os melhores eram mesmo os da Chicco (no nosso caso, que não tínhamos problemas em ter carrinhos pouco compactos). Este modelo em particular é um carrinho-bengala, e não tenho qualquer razão de queixa dele! É resistente, confortável (o que achei mais confortável e completo do género) e nunca o achei pouco seguro. No entanto, se esta entidade emitiu um aviso destes acho que é coisa que se deve levar em conta. Nem que seja para que as marcas mantenham os níveis de qualidade necessários e desejáveis! Assim que receber a resposta do IC, publico aqui.

Jogo no Euro Milhões ou não?!

Hoje a ama não podia ficar com a Joana. Por isso, trouxe-a comigo até ao meu trabalho e a avó veio buscá-la mais tarde. Estacionar aqui nesta zona é quase impossível, e quando vi um lugar mesmo aqui na rua, numa zona de parquímetros mas que não estão sempre a funcionar, nem hesitei. A Joana vinha a dormir, e eu não me apetecia ter de andar muito com ela ao colo! Passada uma hora, uma colega minha corre na minha direcção e diz-me: "Sandra, vai já ao pé do teu carro, que tens a polícia à tua procura!" AAAiiii... estou tramada, pensei eu. Imaginei logo que já tinha o carro bloqueado e peguei na mala e nas chaves a ver se escapava do reboque. Deixei a Joana com as minhas colegas e corri até ao carro. Assim que cheguei, reparei que estava estacionada no lugar que tem um sinal de proibido parar e estacionar, e pensei, pronto, agora é que estou tramada mesmo! Olhei de soslaio e vi uma mulher polícia a falar com uns homens ao fundo, e precipitei-me a pedir desculpa ao senhor do camião que esperava que eu saísse para fazer cargas e descargas. De repente, só ouço a polícia: "Olhe, espere aí! Espere aí!" Já tinha olhado para as rodas do carro e já tinha visto que não estavam bloqueadas, mas com esta chamada, imaginei o talãozinho da multa já na minha mão! Eu: Peço desculpa por ter estacionado aqui, mas é que vinha com a minha filha e nem reparei no sinal... Polícia: Não se preocupe. Pedimos desculpa mas vamos precisar de estacionar aí este camião. Eu: Eu tiro já! (enquanto me tentava enfiar o mais depressa possível dentro do carro) Polícia: Mas espere, eu guardei-lhe ali um lugar atrás. O que vamos fazer é o seguinte. Eu páro o trânsito da rua (uma rua com bastante movimento!) e a senhora faz marcha-atrás e estaciona ali. Eu: O-o-obrigada! (com cara de parva) De seguida a polícia pára o trânsito nos dois sentidos, e eu faço uma marcha-atrás de alguns metros para chegar ao lugar que ela me tinha guardado! Infelizmente o meu carro é grande e não cabia. Eu: Olhe, obrigada na mesma, peço desculpa pelo incómodo que causei. Vou dar uma volta a ver se encontro lugar. Polícia: Que chatice. O seu carro é grande mesmo. Mas espere aí que se calhar ainda lhe resolvo o problema. Fique aí que já a chamo. A polícia vai até ao fim da rua, vejo-a a falar com um condutor dentro do carro, e de seguida apita e chama-me. Quando chego, apercebo-me que o senhor estava à espera de alguém que estava no café ao lado. Ela manda-o sair, para eu estacionar! Ainda por cima, o lugar era pequeno e fiquei com a um pouco da frente em cima da passadeira (daquele primeiro risco horizontal)! Como se não bastasse, o polícia sinaleiro que costuma estar nesse cruzamento, ficou de olhar pelo carro, não fosse um colega embirrar com o dito! Voltei a pedir desculpa e a agradecer, e ela voltou a pedir-me desculpa a mim! Agora, com esta sorte toda, acham que jogue no Euro Milhões ou não?! É que eu acho que já gastei a minha quota-parte durante uns tempos! :p (É a sorte de ter um anjo-polícia a olhar por nós!)

Agora...

quero ver se alguém protesta com o tamanho os posts que estavam em draft! Vá, confessem lá! Quantos é que tiveram um treco quando viram a extensão desta último?! hummm?! Quando puder, segue uma história incrível :p... só para deixar um cheirinho, digo-vos, que nunca mais digo mal da polícia! Especialmente das mulheres polícia!!! Beijinhos Sandra

quarta-feira, novembro 09, 2005

Parto

Já tinha feito o relato aqui, numa versão soft. Agora, deixo também aqui registado (quase na íntegra), ainda na sequência do desafio desta menina. A gravidez da Joana foi hiper tranquila. À parte de ter tido o privilégio de suportar o verão mais quente dos últimos não-sei-quantos anos com uma barriga de impor respeito; e, de ter começado a ter má-circulação o que me obrigou a usar meias de compressão com temperaturas sempre acima dos trinta-e-muitos graus, tudo decorreu sem problemas ou sustos. Todas as ecografias apontavam sempre a mesma data de gestação, e a mesma provável DPP, 17 de Outubro. Tudo evoluía na altura que devia ser, ou ainda mais cedo. Sempre foi assim, até às últimas semanas. A barriga tinha começado a descair cedo, mas às 37 começou a subir. As minhas ancas continuava como antes de estar grávida, ou seja não alarguei nada. O colo do útero continuava verde sem nenhum sinal de progresso. Às 38 semanas, também. Às 39 tudo na mesma. Já tínhamos posto a hipótese de fazermos indução do parto, porque eu queria a presença do médico na hora N (de nascimento). Eu, que anos antes defendia, que não havia sítio melhor para ter um bebé que na MAC, que era indiferente o médico que nos calhava, que isto e aquilo, via-me agora com uma opinião completamente diferente. Para mim agora a confiança no local e no médico, um serviço de neonatologia capaz e com provas dadas, e a presença do pai o máximo de tempo possível antes e depois, eram essenciais (esta última "menos importante" mas também a ter em conta). Às 39 semanas, o médico, disse-me que achava que o parto não iria ser vaginal. Pela subida da Joana e do estado do meu colo do útero, tudo dava a entender que ela não estava a conseguir encaixar por algum motivo. Isto queria dizer que a cesariana estava a ganhar terreno. Eu própria nunca senti que o parto estivesse para breve. A única sensação diferente que tinha sentido até aí eram mesmo aquelas contracções sem dor, que deixam a barriga muito dura e esticada. De resto estava tudo na mesma. Quem conhece este médico, sabe que ele não opta por uma cesariana de ânimo leve. E ele também sabia a minha vontade de ter um parto vaginal. Não queria cesariana nem por nada. Na opinião dele, eu iria chegar às 41 semanas, e com poucas diferenças sobre o estado actual. Optámos pela indução no dia 12 de Outubro. Esta data já tinha sido posta como hipótese uns meses antes quando falámos na hipótese de indução. Se eu não entrasse em trabalho de parto naturalmente antes disso, esta era uma boa data. Já teria 39 semanas e o médico estaria de serviço 24 horas, o que significava que mesmo que o trabalho de parto se prolongasse demasiado, ele estaria presente. No entanto, a data esteve sempre pendente, do estado da gravidez na altura. No dia 10 de Outubro, dia em que completava as 39 semanas, na minha última consulta de obstetrícia, o quadro não era animador. Essa sexta-feira foi o meu último dia de trabalho. Preparei a mala da maternidade (ainda não a tinha chegado a fazer realmente, porque nunca me senti na eminência de ter a Joana). Tomei o comprimido que iniciava o trabalho de parto no sábado à noite e por volta das quatro da manhã, comecei com umas moinhas muito incómodas. Levantei-me e preparei um banho de imersão com água tépida. O calor aliviou-me durante um tempo mas depressa deixou de fazer efeito. Vesti-me, confirmei se tinha tudo pronto, e andei literalmente às voltas pela casa até às sete horas. Fui acordar o António (que não deu por nada até aí). Às vinte para as oito, saímos de casa rumo ao hospital, com uma paragem para por gasóleo (estava na reserva – típico!) e comprar os jornais do dia para guardar. Comprámos também um Noddy, para oferecer ao nosso afilhado como tendo sido a Joana a trazer (ele na altura estava a desenvolver ciúmes de mano mais velho). Quando chegámos, as contracções eram muito seguidas e eu começava a achar que afinal iria ser tudo muito rápido. Entrámos para o quarto, preparei-me e quando o médico se chegou ao pé de mim e disse “Isso ainda está atrasado! Você nem tem cara de quem vai ter um filho!” ia-o matando! :p As dores começaram a ficar cada vez mais dolorosas, mas dilatação nada! Por volta das quatro rebentaram-me as águas (com dois dedos de dilatação). As dores tornaram-se tremendas. Perdi totalmente o controle e não conseguia fazer respirações de jeito nenhum. Valeu-me a enfermeira-chefe. O António só se ria, mas julgo que eram os nervos e verdade seja dita, as piadas dele embora me irritassem ao mesmo tempo descontraíam-me! Às seis, não aguentava as dores (as contracções eram de expulsão) e tinha quatro dedos de dilatação. Deram-me um cheirinho de epidural. Acalmei e às sete tinha seis dedos de dilatação. “Se continuar assim, estamos safos, se não, temos mesmo de fazer a cesariana”, disse o médico com um ar pesado. Eu só pedia, cesariana não! Ficou de voltar às dez horas para avaliar o progresso. Esta parte do trabalho de parto foi toda passada deitada sobre o meu lado direito, porque a Joana entrava em sofrimento se eu adoptasse qualquer outra posição. Fui levando uns reforços ligeiros de epidural para me aguentar e não travar o processo de dilatação, mas quando perto das dez horas, a epidural perdia o efeito, decidi armar-me em forte e esperar pelo médico. O médico só voltou quase às onze e eu já começava a subir paredes. Tinha os mesmos seis dedos de dilatação. Ele apoia-me a mão no ombro, e diz: eu sei que não quer, mas vai ter mesmo de ser. Nessa altura o que eu queria mesmo era acabar com aquilo, por isso se tinha de ser cesariana que fosse, mas que acabassem com estas dores o mais rapidamente possível. Já estava a atingir o meu limite. Queria que ela saísse, fosse lá por onde fosse! Fui para o bloco operatório e o António para a sala ao lado, onde tratam os bebés assim que nascem. A anestesista era uma querida, sempre com palavras tranquilizantes. O médico ia brincando comigo como era hábito, mas eu só tinha era frio e queria era ver tudo despachado. Tremia violentamente em cima daquela mesa dura. Tanto tinha sede, como queria vomitar. Não via hora de tudo acabar. Eram 00h02 (ou 23h59 segundo o pai) quando se ouviu um choro potente! Depois de a ouvir, e saber que estava óptima, só me preocupei com a recolha do sangue umbilical. Quando imaginava o meu parto, imaginava-me a espreitá-la a sair de mim, a pedir para cortar o cordão umbilical, a encostá-la ainda nua sobre o meu colo. No entanto, o que realmente aconteceu, foi que não tinha força nem para virar os olhos na direcção dela. Nunca mais vou esquecer a primeira vez que a vi. A imagem está gravada, com protecção anti-erase na minha memória. Nesse momento, soube que era impossível não reconhecê-la mesmo que estivesse no meio de mil crianças. Quando a levaram adormeci. Não dei conta de mais nada. Fui vencida pelo cansaço. A Joana acabou por nascer dia 13 de Outubro, com 39 semanas e 3 dias. Até para nascer, ela quis deixar a sua marca, ao não aceitar a data de nascimento que lhe tinha sido imposta. O motivo pelo qual ela não ia descer, devia-se ao facto de estar completamente enrolada no cordão umbilical. Pernas, braços, pescoço tudo envolvido em cordão. Fosse induzido ou não, o desfecho seria sempre a cesariana porque ela já não se ia conseguir desembaraçar. Pode não ser o parto dos sonhos de ninguém, não era de certeza o meu, mas sinceramente, todas as decisões foram tomadas de forma muito consciente e informada. Não optei pela indução só porque achei piada ao dia, até porque aguentava perfeitamente mais duas semanas de gravidez, e mesmo que quisesse o médico comigo, havia mais dias em que ele estava de serviço. Fi-lo porque a experiência do médico assim o aconselhou. Fi-lo porque é nele que confio mais do que noutra pessoa qualquer, ou não seria ele o meu médico há tantos anos. Para o que se segue, não queria estas horas todas de sofrimento. Queria experimentar um parto vaginal. Queria o famoso parir-de-gata! Mas se o meu corpo voltar a não colaborar, vou aceitar a cesariana de forma muito mais tranquila. E mesmo que este não tenha sido um filme bonito, foi definitivamente um dos filmes da minha vida, e o único que não trocava por nada nesta vida até este momento. (E com este parto, merecia mesmo o pós-parto santo que tive ;) hehehehe) PS: A Joana não nasceu na MAC.

Utilidade pública...

Mandaram-me este ficheiro por email e julgo que vá ser muito útil a muitos pais. Por isso aqui deixo acessível a todos os que me visitam. Um Manual de Primeiros Socorros! Vai ficar também disponível ali do lado direito! Beijinhos Sandra PS: Ora bolas para este serviço de partilha de ficheiros... esta treta já excedeu a taxa de downloads... tenham lá paciência que eu vou tentar por isto noutro lado...

Mosca Morta

J - Mãe óia aqui! - enquanto empurra dois dedos unidos na minha direcção! M - O quê fi... aaaaahhh! Que nojo Joana! Isso é uma mosca morta! J - É uma mouxca! Estava aqui na paede! E eu bati assim! - a exemplificar-me como tinha feito, com um enorme sorriso na cara! Ao menos já tenho um mata-moscas ambientalmente seguro! Beijinhos Sandra

Infinite Loop

Sou programadora. E como programadora que sou, há dias que desespero por causa de bugs que teimam em não ser encontrados. Outras vezes, por não considerar todas as hipóteses, um determinado ciclo entra em loop infinito e não sai mais dali. Sei resolver estes contratempos. Mas descobri um para o qual estou cada vez menos preparada: São quatro da manhã. No quarto ao lado, começa-se a ouvir num choro ensonado: - Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! Oh mamãaaaa! A única maneira de fazer um break neste loop, é pôr-me a pé e ir ter com ela. Assim que lhe dou a mão, ela volta a adormecer... Aaaaiiiiiii que eu já não estou sob o efeito daquela adrenalina que nos permite por a pé vezes sem conta durante a noite com um sorriso nos lábios... :p

terça-feira, novembro 08, 2005

Pós-parto...

A modos que a reboque da Sophie, decidi deixar aqui registado o meu pós-parto. De seguida é a vez do relato do parto. Sei que nestas coisas o tema, não é habitualmente debatido, e geralmente não é fácil encará-lo a primeira vez. O meu relato não vai ajudar em nada quem passou (ou está a passar) por uma fase complicada. Felizmente para mim, decorreu na maior das tranquilidades. Antes de passar ao relato propriamente dito, gostaria de dizer apenas o seguinte: Acho muito importante que antes do nascimento nos vamos mentalizando, para uns dias de mobilidade reduzida, algumas dores mais ou menos intensas, o aparecimento de coisas que não faziam falta nenhuma (como é o caso das hemorróidas), a sensação que o tempo passa à velocidade da luz e que não conseguimos fazer tudo aquilo que queremos, que a limpeza da casa e a roupa podem esperar, que temos de tratar de nós para estarmos devidamente preparadas para tratar do bebé que acabou de entrar nas nossas vidas. Acho que uma grande parte da preparação desta fase (como em muita coisa na vida) é psicológica. No entanto, também acho que a práctica de exercícios específicos ao longo da gravidez, que nos preparem para o parto e o pós-parto, dá-nos à partida alguns trunfos a nível físico. O nascimento de um bebé é uma mudança radical, mesmo que seja algo natural e que acontece no nosso planeta à milhões de anos. Não tem de ser algo fácil, mas também não tem de ser um drama. A Joana nasceu às 00:02 e depois de a terem levada, a hora que passei no bloco operatório a ser cosida, passei-a a dormir. Quando me levaram para o quarto (e obrigaram-me a cooperar na mudança da mesa para a cama, o que na altura achei um verdadeiro disparate pois o que queria mesmo era descansar e não me mexer!), a Joana foi atrás de mim para mamar (quer dizer... levaram-na, que ela andou cedo mas não tão cedo :p). Passava pouco da uma da manhã e ela mamou durante algum tempo. O pai e a filha ficaram até às duas mais ou menos, e após isso dormi um sono profundo até às cinco da manhã. Assim que acordei, a primeira coisa que quis foi que me trouxessem a Joana. Obviamente não o fizeram porque ela estava a dormir e eu não me podia mexer. Tive de esperar até às 7 e para mim foi algo que me custou imenso. Porquê? Porque não sabia se me havia de sentir grávida (porque ainda não tinha assimilado totalmente que aquele volume da barriga já não tinha nenhum bebé à mistura) se mãe. E sendo mãe, onde estava a minha bebé? A partir daí tudo ficou gradualmente mais fácil. Fiz o levante às 9h. Tomei banho sozinha, vesti-me sozinha e com o passar das horas, já me sentava "à chinês"! Aliás, era esta a posição que me era mais confortável (para grande espanto das enfermeiras e visitas!) A médica que me viu a cicatriz nessa manhã, julgou que era uma mãe para dar alta! A costura ficou excelente e nunca verteu uma gota de sangue (agora é tão fina como um fio de cabelo). O mérito é todo do médico que utilizou uma técnica muito pouco usada por ser muito trabalhosa, mas que permite uma recuperação muito mais fácil e um resultado final muito mais bonito. Tirando o pormenor de ter um andar de pata durante os primeiros dias e de tremer só de pensar em tossir, não me posso queixar absolutamente. A costura cicatrizou lindamente e nunca me doeu por aí além (apenas os movimentos bruscos ou a tosse eram mesmo de evitar!). No entanto não abdicava do uso da cinta, porque a dor/impressão que sentia na barriga era considerável se não a usasse. Com cinta andava muito bem e sem queixas. Desde o dia que tive a Joana aconselharam-me a massajar a barriga para favorecer a recuperação (embora custasse um bocadinho ao início) e eu acredito que isso também ajudou. A subida de leite deu-se já em casa, e resultou numa mastite que foi rapidamente ultrapassada. Também aqui, acho que toda a informação que tinha juntado anteriormente, serviram para me tranquilizar. Não entrei em depressão nem nada parecido, antes pelo contrário, andava numa excitação só vista. Não quis ninguém lá em casa "a ajudar". Fui sempre só eu e o António (e a maior parte do tempo era mesmo só eu), e não tivemos qualquer problema. Eu precisava mesmo desta início a três, para me sentir confiante e preparada para tudo o que vinha a seguir. O maior choque para mim foi mesmo o regresso a casa. No primeiro dia, parecia que não conhecia a minha casa, que não sabia onde estavam as coisas, que não tinha tempo para fazer nada... enfim, parecia uma doida de um lado para o outro a passo de caracol. Eu e o António que é a calma em pessoa! No entanto, depois da primeira noite tudo entrou nos eixos (ou pelo menos, nos novos eixos, que duram até agora) e habituámo-nos às novas rotinas sem problemas de maior. A Joana era um bebé fácil que fazia intervalos para mamar de três horas de dia e seis horas à noite, desde o primeiro dia até aos dois meses. Isso também ajudou muito a manter uma certa calma. As visitas nas duas primeiras semanas foram quase nulas, a nosso pedido, e a partir daí conseguimos evitar enchentes. Não se acordava a Joana por causa de ninguém, nem andava a passear de colo em colo. Nesta fase, a minha recuperação e o descanso/bem-estar dela eram as únicas coisas que inportavam. Foi assim comigo, com o pai e com a filha. Espero que o pós-parto que se avizinha corra tão bem como este. E com o perigo de cuspir para o ar e cair-me em cima, quero que o meu próximo regresso a casa aconteça da mesma forma, apenas com uma pequena diferença: Com duas cadeirinhas no carro, e dois filhos a entrarem pela casa dentro. A mesma casa que não vou reconhecer, a mesma casa que vai estar em pantanas até me voltar a organizar. A nossa casa. Só nós e os nossos filhos... sem esquecer os cães! Beijinhos Sandra