sexta-feira, outubro 30, 2009

Vocês...

são simplesmente o máximo. Obrigada por todas as sugestões, ao apoio e às ofertas de ajuda (as quais estou à espera de ter uma informação para poder dizer o que realmente preciso). A sério, muito obrigada. Quanto ao Lucky, temos dado os comprimidos ora enfiados em salsichas ou restos da nossa comida e por enquanto está a ser pacífico. No entanto, todas as sugestões que nos fizeram estão devidamente anotadas num caderninho porque calculamos que com o passar do tempo as que funcionam agora poderão deixar de resultar. Um beijo de obrigada a cada um de vocês.

terça-feira, outubro 27, 2009

Depois do choque...

o lado prático sobrepõe-se. Como é que vamos dar seis comprimidos de cada vez, todas as doze horas (e três deles para sempre), a um cão que pesa mais do que eu e que detesta comprimidos?! É que não vamos poder esconder os comprimidos em chouriços ou coisas do género... são duas vezes por dia e para sempre. Alguma sugestão?

A miúda, a escola e eu...

Comecei o ano com algumas dúvidas em relação a algumas opções da escola. A seguir fiquei sem saber o que pensar de algumas das opções da professora. Depois assustei-me com o facto de começarem logo com testes no primeiro período. Fiquei por isso a aguardar a reunião com a professora, para colocar todas estas minhas questões, saber um pouco mais dos seus planos e saber até que ponto é que a Joana já estava habituada ao novo espaço, às novas rotinas e à própria professora.

Saí de lá mais tranquila e mais confiante na professora e nos seus planos para este ano lectivo. Sobre o meu medo de já estarem a exigir demasiado (e cedo) dos miúdos com os testes, descansou-me explicando que - além de serem uma forma de avaliação, obviamente - se destinam principalmente a ajudá-los a desdramatizar os dias de testes e a prepará-los sem stresses para os exames mais a sério que os esperam ao longo da vida. Também me explicou os seus pontos de vista em relação aos métodos adoptados e esclareceu-me as dúvidas que tinha em relação aos mesmos, pelo que os meus receios iniciais foram largamente desvanecidos.

Fiquei também a saber que a Joana ainda não se tinha aproximado - nem a deixado aproximar - o suficiente, para que ela a pudesse conhecer realmente mas que estava totalmente adaptada ao novo espaço e aos novos amigos. E foi assim, despreocupados e a tentar que ela não desse muita importância aos ditos, que encarámos a primeira semana de testes da miúda mais velha lá de casa.

No fundo, no fundo, apetecia-me fazer aquilo tudo por ela e evitar o ter de começar já estas coisas todas de menina crescida. Porque, no fundo, no fundo, sinto saudades da menina com tótós encaracolados que sorri nas molduras lá de casa. Mas a miúda cresceu, perdeu os caracóis, e a mim nada resta senão ir a reboque dela, de modo que quando lhe perguntava como é que tinha sido o teste e ela me despachava com um não me lembro, eu resignava-me e tranquilizava-me porque esse silêncio, essa tranquilidade, era no fundo aquilo que eu não queria que ela perdesse.

Ontem recebi os testes para assinar: um Excelente (tudo certo a Matemática) e dois Muito Bom (uma resposta meia-certa a Português, e, uma que se esqueceu de responder a Estudo do Meio). Parece-me que vamos no bom caminho. Boa miúda!

E entrou...

uma nova palavra no nosso léxico: Leishmaniose (canina). E o futuro tornou-se demasiado incerto para o nosso amigo Lucky. [se por acaso algum dos meus amigos estiver a planear ir a Espanha nos próximos tempos, mandem-me email pode ser?]

segunda-feira, outubro 26, 2009

No carro...

às vezes dou-lhes o porta-cd's para as mãos e deixo que escolham o que quiserem. Invariavelmente, eles acabam por escolher sempre o cd com a label - arranjem-me lá a palavra correcta em português, sff - que os chama mais atenção. Hoje foi o Miguel a escolher e o eleito foi o Best of the Beast, dos Iron Maiden. Duas músicas depois: - ó mãe eu gosto disto!

sábado, outubro 24, 2009

Toma lá que já almoçaste...

Filho pede à mãe para brincar com as plasticinas e que esta se junte à brincadeira. Mãe, delimita que nem CSI a área autorizada para a brincadeira e escusa-se a juntar-se a ele porque, e cito, "tenho de ir tomar banho". Filho acede e mãe sai. Pelo caminho a mãe pára no computador para ver a última troca de mails numa conversa que começou há dias e fica por aí mesmo. De repente, uma voz: - mas tu não tens de ir tomar banho?! sim pai... filhinho.

sexta-feira, outubro 23, 2009

quinta-feira, outubro 22, 2009

Um dia vou ter tempo...

para vos mostrar o que tenho feito. Até lá, resta-me correr contra o tempo e contra todas as contrariedades que têm surgido. Resta-me agradecer a teimosia que me dá a resiliência para não desistir nem ceder ao cansaço, e, o facto de continuar a acreditar - e a ter tanta gente que acredita - em mim.

domingo, outubro 18, 2009

É um cavalo! Não! É um pónei! Ah!...

afinal é só um cão...

A minha filha, a minha rica filha...

a mesma que já vai lendo histórias a meias - muito mal medidas - com o pai, reclama que não consegue adormecer sem que eu, depois da história e do leite, cante as músicas-de-dormir. Eu até acreditava não fosse ter tirado esta foto meia-hora antes do pedido de musiquinha...Sai mesmo ao paizinho dela para dormir...

sábado, outubro 17, 2009

Pela primeira vez...

decidimo-nos a fazer uma festa fora de casa. Pela primeira vez optei por fazer os bolos em casa. Pela primeira vez, passei os dias antes da festa sem estar presa a listas intermináveis. Pela primeira vez, pude-me dedicar aos miúdos e fotografar eu própria uma festa dos meus miúdos. Pela primeira vez, não tenho um domingo de limpezas pela frente. Pela primeira vez, decidi fazer uns saquinhos das tão famigeradas guloseimas para dar aos miúdos, e...esqueci-me de os dar. Acho que foi de tanto descanso.

A fada e o nadador-salvador...

a história de duas personagens que enriquecem os meus dias. Dia após dia. Sempre a eito. Com dois princípios mas sem fim. [e é incrível como continuo sem saber como é que me sinto ainda tão completa, se desde que me conheço nunca me imaginei completa assim...]

quarta-feira, outubro 14, 2009

Ia escrever...

um resumo da conversa, o como começou e como chegou a esta frase mas desisti. Deixo apenas o que me calou qualquer resposta: - oh maiin... - sim - se tu ficares doente como a tua mãe enquanto eu for assim pequenina, o que é que fazemos?

terça-feira, outubro 13, 2009

A miúda fez seis anos

e o melhor presente que recebeu foi um tapete de rato usado. O convite surgiu há uns meses pelas palavras de uma querida, e hoje, com um boa disposição e um carinho imenso, o José Relvas da Rádio Renascença, recebeu-a (e aos emplastros dos pais e irmão) numa visita pelos estúdios da rádio com direito a assistir a uma gravação e muitas explicações sobre tudo o que ela via ao seu redor. Quanto a ela, emudeceu a partir do momento que lhe contámos qual seria a surpresa e praticamente só falou quando voltámos a entrar no carro. A prova que estava extasiada com tudo o que viveu. - Então filha, gostaste da surpresa?! - SIIIIMMMM!!! Só tenho pena de não ter visto a antena! Obrigada meus queridos por nos terem ajudado a realizar-lhe este sonho! Obrigada! É tão fácil fazê-los felizes.

A felicidade é simples e não tem preço...

e eu deixo um abraço virtual a todos os que nos dispensaram umas palavrinhas de carinho. Muitos já vêm de longe, outros são acabados de chegar, mas as vossas palavras deixam-me verdadeiramente emocionada ao lembrar-me de tudo e todos os que este blog já me trouxe. Obrigada.

6 anos de ti...

e a cada ano que passa descubro-me cada vez mais parca de inspiração. Talvez porque penso sempre no mesmo, talvez porque te desejo sempre o mesmo, talvez porque te amo cada vez mais. Tenho saudades de ti pequenina, mas a única coisa que desejo é poder continuar a ver-te crescer. Tenho saudades dos dias em que não me saías do colo, mas adoro ver-te deixar-me confiante de ti. Tenho saudades do bebé que arregalou muito os olhos quando me viu pela primeira vez, mas não trocava os beijos que me dás só-porque-sim por nada. Estou orgulhosa de ti. Muito. E estarei sempre aqui para ti. Sempre. Parabéns minha (para sempre) pequenina. Parabéns.

segunda-feira, outubro 12, 2009

Adivinhem lá o que vou dizer agora...

A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! A minha filha tem 5 anos! pelo menos durante mais três horas... ai.

sexta-feira, outubro 09, 2009

Dos pedidos deles...

Há miúdos que pedem todos os brinquedos que vêem nos anúncios da televisão, ou nas montras das lojas, ou nas prateleiras dos hipers. E depois há os que pedem sem parar que querem ir dançar num rancho e desfilar nas marchas. Adivinhem qual é o tipo dos de cá de casa.

Da escola...

Eu queria vir cá dizer que já estão a aprender a última vogal (o "e") e que a miúda já se destacou por ser conversadora (porque fala e fala e fala), cabeça de vento (porque se esquece de tudo e mais alguma coisa) e perfeccionista (não desiste enquanto aquilo que faz não fica bem para ela e acaba por ser sempre das últimas a acabar por causa disso) - se alguém me reconhecer nesta descrição está completamente enganado. Completamente! Queria vir dizer que não faço ideia do que já deu nas restantes disciplinas porque ela não conta - como só tem trazido trabalhos de casa de língua portuguesa nem por aí consigo controlar - e que quando lhe pergunto diz apenas que era muito fácil. Que muitos dos lápis compridos que lhe comprei já estão afiados até meio e que dos 24 já só existem uns 16. Que vou ter reunião com a professora para a semana para saber melhor como é que ela está a adaptar-se e a evoluir. Que a miúda já entra sozinha na escola e vai para o pavilhão, onde tem as suas aulas, bem direita e orgulhosa desse feito (e que o mais novo decidiu fazer o mesmo e começou a despedir-se de nós no início do corredor e lá vai ele direito e orgulhoso entrar na sala sozinho). Que gosta de fazer os trabalhos que tem para fazer bem feitos mas que não se pela por fazer trabalhos a mais e que por isso o seu caderno de escrita livre continua praticamente vazio, para pouco contentamento da professora. Queria pois. Mas fiquei em choque ao receber o "calendário das provas de avaliação de conhecimentos" e descobrir que a miúda já tem seis testes (três para a semana e outros três no final do próximo mês) para fazer. Ela está na boa. Nem sequer liga nenhuma a esse facto. Antes assim.

terça-feira, outubro 06, 2009

A febre passou-lhe...

e no feriado fomos rebolar na relva com um menino lindo, procurar trevos de quatro folhas com amigas de sempre, e, treinar golpes de judo em bolas de futebol.De manhã, que de tarde, só choveu.

sábado, outubro 03, 2009

Não sei em que tom escreva este post...

se num "ora bolas, as febres já o apanharam...", ou então, num "tão lindo o meu filho, que esperou pelo fim da tarde de sexta-feira para começar a ficar com febre e poupou-nos a todos umas correrias!" É isso, está com febre. Só. Mas às quatro da manhã tive de lhe ir fazer uma pratada de cérelac.