sexta-feira, agosto 31, 2007

Agora se me dão licença...

vou buscar os meus filhos!

[pulinhos... pulinhos... pulinhos... pulinhos...]

Diário de uma remodelação - Dias 3 a 6

Com o início da semana, acabou-se o tempo totalmente dedicado a esta remodelação por isso tudo se desenrolou mais devagar. Só com os finais do dia para pintar e com intervalos entre demãos de quatro horas, só terminámos as pinturas hoje à meia-noite e meia.

Móveis

Eu gosto que as coisas deles tenham alguma ligação com eles, por isso, como o Miguel é apaixonado por animais (especialmente cães e gatos) decidi que a cama dele haveria de ter qualquer coisa a ver com os ditos. Optámos por comprar uma cama do Ikea e pintá-la com os tons que escolhemos.Para colmatar a falta da mega-estante, optei por planear várias prateleiras na parede e uma estante mais pequena e divertida. Comprámos também caixas de arrumação para debaixo da cama, para guardar o que não é usado frequentemente.

Desta forma, os tempos de espera entre demãos foram preenchidos a lixar os móveis todos, para pintar posteriormente. Vou reciclar a antiga mesinha de cabeceira dela para colocar entre as camas e tornar-se comum aos dois (para rentabilizar o espaço entre as camas).

Para que os meus pequenos artistas não se tornem "demasiado criativos" e extravazem o seu talento para fora do quadro magnético comprei, cortei e lixei, madeira para fazer uma moldura à volta. Comprei também uma pequena prateleira para colocar debaixo do quadro e imitar os nossos quadros da escola (pelo menos os de antigamente). Essa moldura e prateleira, vão ser apenas envernizados para manter a beleza da madeira.

Como a cama tem os componentes plásticos, antes de a podermos pintar tivemos de aplicar um primário para garantir a aderência da tinta. Resta ver se resulta!

Pinturas

Como tinha a cama da Joana para integrar no novo quarto, decidi usar três cores vivas: o azul, o rosa e o verde. O verde serve de ligação e as outras duas vão ajudar a individualizar o espaço de cada um deles. Para suavizar cada faixa, uma das riscas largas em cada faixa foi pintada de azul/rosa mais claros.

Decidi usar riscas verticais, para alongar a parede e ajudar a compensar a diferença entre as camas. Consegui o efeito que queria, mas marcar as riscas direitinhas na parede é qualquer coisa de desesperante. Entretanto as riscas servem também para separar a área da brincadeira da área do descanso.

Dica: Para as riscas convém comprar uma fita de qualidade para garantir os rebordos perfeitos, e usar rolos da medida mais próxima da largura da risca a pintar. Quando se usa cores diferentes e não se tem tempo para pintar uma cor de cada vez, o melhor mesmo é comprar um rolo (recarga) para cada cor. É muito mais práctico e além de se desperdiçar muito menos tinta poupa-se uma trabalheira dos diabos.

Quanto ao quadro, após três demãos de cada tinta - as tintas são da Cin - e umas lixadelas pelo meio, ficou finalmente pronto no que diz respeito à pintura.

O quadro na parede serve também para me livrar do cavalete que ocupa bastante espaço de circulação e com o móvel dos brinquedos na parede concorrente, consigo criar um cantinho da brincadeira, mantendo o máximo de "chão livre".

De tudo o que vai ficar no quarto, acho que o quadro é o que os vai entusiasmar mais.

Diário de uma remodelação - Dia 2

No Domingo, conseguimos dar mais duas demãos de tinta no quarto e finalizar a pintura das paredes. Completámos os testes do quadro e concluímos que podíamos avançar com a ideia inicial.


Ao final do dia, marcámos o quadro na parede com mais rigor e pintámos a primeira de três demãos de tinta magnética.

Dica: Se alguma vez quiserem usar tinta magnética e pretenderem um acabado bem lisinho, não usem nenhum tipo de trincha. A única coisa que consegue esticar bem aquela tinta são os rolos de pêlo curto.

A tinta magnética é uma tinta aquosa e pode ser repintada com qualquer outro tipo de tinta aquosa e torna-se tão mais forte quanto mais camadas aplicarem.

Diário de uma remodelação - Dia 1

Antes deste dia, já tinha perdido algum tempo a criar um projecto com as ideias gerais do quarto.

Basicamente a ideia seria dar luz e vida ao quarto usando o branco como base e cores vibrantes como complemento.

Depois de escolhidas as cores e comprados os materiais necessários para começar demos início à parte menos divertida: tirar a tralha toda do quarto, lavar as paredes e isolar tudo o que não se pretende ver pintado.

Para esta fase previa-se:
  • Pintar o quarto todo de branco

  • demarcar na parede uma área para se criar um quadro de ardósia magnético

  • retirar a estante do escritório, que nunca tinha saído do quarto por não caber em mais lado nenhum!
Antes do dia acabar, conseguimos dar a primeira demão de tinta no quarto todo e começamos com os testes de compatibilidade entre a tinta magnética e a tinta de ardósia (ninguém me conseguiu garantir que a tinta de ardósia não anulava o efeito da tinta magnética por isso tive de experimentar primeiro)


E enquanto no quarto parecia que entrava uma lufada de ar fresco, o resto da casa sofria com as coisas todas que se tiraram lá de dentro (e eu só pensava em como voltar a pôr tudo lá dentro novamente sem a estante de dois metros por dois metros para arrumar tudo!)

quinta-feira, agosto 30, 2007

Diário de uma remodelação - A ideia

Origem

Depois de uma semana a não fazer nada mais do que relaxar e curtir o silêncio de uma casa sem crianças, a vontade de criar um "quarto de crianças" para as minhas crianças, foi ganhando forma.

No final da semana, já a minha cabeça fervilhava com ideias e estava dividida entre uma excitação enorme e a falta de confiança no meu sucesso a concretizá-las.

Vai daí, sábado de manhã, depois de alguns esboços no papel, fomos à loja das tintas só para ver melhor as cores pensadas e saímos de lá equipados com (quase) tudo o que precisávamos para dar início ao.... tcham tcham tcham tcham... Durante a Ausência Deles!

Objectivo
  • tornar o quarto mais alegre e definir três áreas principais: o espaço dele, o espaço dela e o espaço da brincadeira.

  • acertar com a disposição de forma a introduzir mais uma cama no quarto sem reduzir a área dedicada à brincadeira.

  • Aumentar a área de circulação.

  • Encontrar uma cama para ele que: 1. se identifique com os seus gostos; 2. que combine com o estilo da dela;

  • Retirar a estante do antigo escritório e utilizar estantes mais pequenas e prateleiras de parede.

  • na área de brincadeira, criar uma área para as "belas-artes" que dispense a existência de um cavalete no quarto.

  • não "infantilizar" muito o tema de forma a ir crescendo com eles.

O Antes

Em qualquer produção desta natureza as imagens do antes e do depois não podem faltar, por isso e para começar, aqui fica a imagem do ex-quarto dela*... nos dias bons claro!

* actualmente já lá estava a cama de grades dele.

A minha filha...

que-não-vê-a-hora-de-ser-crescida
está a começar a ficar impaciente com o nosso reencontro.

Em cada telefonema, pergunta-nos o dia da semana e confere quantos dias faltam até sábado. Pergunta-nos as horas e repete-as para ela como se isso fizesse o tempo andar mais depressa. Vocês vêm já, não é mamã? Não é já, mas quase.

Mas desenganem-se se pensam que ela já não pensa em mais nada. Em cada telefonema é capaz de nos deixar pendurados vezes a fio. Só vou dizer uma coisa às minhas amigas tábem? Não desligues! Espera aí! e nós esperamos sem desligar.

Repete-me vezes sem conta a roupa, os sapatos e acessórios que quer vestir quando voltar para casa (e esta não consigo perceber porquê). Por vezes, dedica-se a escolher a indumentária da família toda, mas a dela tem sempre relevo.

Tem saudades dos cães, do jardim e da televisão com os canais dos animados e os filmes à disposição. Depois voltamos para a nossa casa amarela, não é? A de Lisboa, não é?! Sim, é para essa que não há outra e agora até está a ficar mais gira.

Disse-lhe que estávamos a preparar-lhes uma surpresa e agora anda roídinha de curiosidade. Tenta descobrir o que é de todas as maneiras e quando percebe que não tem sorte muda de assunto com um: É uma surpresa por isso não podes contar! É segredo!

Ao telefone parece ainda mais crescida. Se lhe dissesse isto aposto que ia delirar. Anda obcecada com a ideia de fazer quatro anos e ficar crescida, como se tudo acontecesse num passe de mágica. Já escolheu o tema da festa e já sabe quais são os amigos que quer convidar. Pergunta vezes sem conta se os dentes estão a abanar, porque quando os dentes caem já somos crescidos mãe!

Agora as Winx são a sua paixão e nas férias passávamos dias inteiros a reencarnar as suas personagens preferidas. Não me chames querida, Bloom! Eu sou a Musa! ou Não sou filha hã! Sou a Flora!

Hoje é que é sábado?! Quero que vocês venham lá!
Não é minha querida, mas estamos quase, quase quase, ao pé de ti.

(saudades)

segunda-feira, agosto 27, 2007

16 meses (e dois dias) de ti...

Esta é a última de duas semanas na terra dos avós só com eles e com a mana.

Estás feliz, traquina e um falador. Metes-te com toda a gente e adoras andar no meio da bicharada. Nas férias a quatro deu bem para ver o quão destemido és em relação aos animais. Não havia vaca, ovelha ou cabra que te impusesse respeito. Não havia galinha ou coelho que não perseguisses. Não havia cão nem gato que não agarrasses (ou que pelo menos tentasses agarrar).

Nestes dias sem nós, ainda só te dignaste a falar ao telefone connosco uma vez. Ouvimos-te um olá! e nomeaste-nos quando nos ouviste a nossa voz, mas foi o que nos deste para matar saudades. Estavas com pressa de ir brincar, e se nos apetecia poder ouvir-te mais um bocadinho, essa pressa diz-nos que estás bem.

Nasceu-te mais um dente, deixaram-te de servir mais uns sapatos e os chapéus ficam-te justos. Desafias-nos mais e não te agrada ouvir um não, recorrendo às dentadas e aos arranhões nas frustrações. "Não podemos ter tudo, nem pode ser tudo à nossa maneira", é apenas mais uma das muitas lições que tens para aprender.

Sinto a falta do teu sorriso. Morro de saudades do teu mimo. Perco-me nas memórias dos teus olhares desafiadores.

Vejo as centenas de fotografias que te tirei nas férias e oscilo entre o pasmo e a ternura. Cada bocadinho de bebé que perdes, é mais um bocadinho de vazio que fica para preencher com mais uma das tuas conquistas e que me aperta e amachuca até estar completo.

16 meses de ti. E a única coisa que me apetece gritar ao mundo é que te quero num abraço apertado. Quero-te nesse beijo-que-vira-dentada. Quero-te nesses olhos de galã-que-sou-tão-giro-que-não-te-podes-chatear-comigo. Quero-te nesse sorriso que diz tudo para quem quiser ler o que ele diz.

Quero-te muito. E queria ainda mais ter-te aqui.

A mamã.

17:00

Depois de dezasseis meses, volto a sair às dezassete horas.

Verdade seja dita, até calhou numa boa altura. Esta semana ainda trago o carro porque continua sem haver grande movimento em Lisboa, e não tenho miúdos para ir levar ou buscar.

Para a semana é que vai ser a doer com o regresso aos autocarros e aos horários dos miúdos.

[e mesmo cheia de saudades deles, só de visualizar a próxima segunda-feira, fico cheia de vontade que esta semana passe assim devagarinho, devagarinho...]

domingo, agosto 26, 2007

sexta-feira, agosto 24, 2007

Uma semana sem filhos...

e os fins-de-dia a quatro transformaram-se em fins-de-dia a... quatro.

A diferença é que agora em vez de irmos cansar os putos com passeios, são os cães que nos passeiam e cansam a nós.

Uma semana sem filhos...

e não fiz, nem sequer me preocupei, com o jantar uma única vez.

Oh... :)

quinta-feira, agosto 23, 2007

Este ano...

com três semanas de férias pela frente, planeávamos visitar alguns amigos que ficariam geograficamente mais perto, conhecer novas paisagens e sair um pouco das aldeias que nos dão abrigo.

No entanto, chegados lá, a única coisa que nos apetecia era deixarmo-nos estar. Conviver com quem só vemos, praticamente, de ano a ano. Aproveitar o que aldeia nos dá. Caminhar, caminhar, caminhar.

E foi assim, que este ano, em vez de visitar, fomos visitados (visitas surpresa que nos deixaram tão, mas tão felizes), não fizemos sequer 2000km em viagens de carro, fizemos sestas e grandes patuscadas (e directas! fizemos directas!), mas principalmente, andámos e andámos pelos montes e caminhos que quase não percorremos nos outros anos.

Talvez por isso, os ares da aldeia não nos conseguiram deixar mais "compostinhos" antes pelo contrário. Oh que chatice... :p

As férias em imagens...

Seja na praia, seja nos rios, seja nas piscinas fluviais ou nos tanques de água gelada comó caraças vinda directamente da nascente, a água não pode faltar no nosso dia-a-dia, especialmente quando estamos de férias.

Definitivamente, nós somos uma família que mete água a torto e a direito.

PS: Estas águas encontram-se na Beira-Alta e em Trás-os-Montes... uma delícia, mesmo as geladas :)

quarta-feira, agosto 22, 2007

As férias em imagens...

eu e os bichos

[porque eles têm a quem sair :p]

As férias em imagens...

Blog Action Day

On October 15th, bloggers around the web will unite to put a single important issue on everyone’s mind - the environment. Every blogger will post about the environment in their own way and relating to their own topic. Our aim is to get everyone talking towards a better future. Blog Action Day is about MASS participation. That means we need you! Here are 3 ways to participate: Post on your blog relating to the environment on Blog Action Day Donate your day’s earnings to an environmental charity Promote Blog Action Day around the web Porque falar sobre o ambiente nunca é demais, toca a aderir a esta iniciativa cheia de mérito. Todos juntos poderemos fazer alguma diferença.

terça-feira, agosto 21, 2007

Ao telefone...

conta-nos como foi o seu dia. O entusiasmo é grande e a pressa de ir fazer outras coisas que não falar ao telefone também se sente.

Despede-se sempre com um durmam bem e não façam asneiras! e ficamos de coração cheio ao ouvi-la feliz.

O sossego da casa sabe bem, mas a arrumação dos brinquedos da sala já me começa a fazer comichão.

Chuto uma bola para o meio do tapete e tudo me parece mais composto.

As férias em imagens...

As férias em imagens...



Sempre...

que regresso de umas férias lá de cima, sinto-me afastada de tudo e todos (mesmo dos que gosto muito, muito, muito). A agenda com espaços brancos, o telemóvel calado, o email e o messenger que não pisca. Por mais estranho que possa parecer, sabe-me bem. [e se a vontade de matar saudades é grande, a de me manter assim, como que hibernada do mundo, não é menor]

As férias em imagens...

tempo dele para brincar com eles.

Fez-lhe(s) tão bem.

Das férias na aldeia...

no início das férias: A primeira coisa que ele fazia assim que acordava, era levantar-se e pedir papa! no final das férias: A primeira coisa que ele fazia assim que acordava, era levantar-se e pedir meméeeee! (e a papa logo a seguir... claro!)

As férias em imagens...

A disfrutar do silêncio ao entardecer.

segunda-feira, agosto 20, 2007

As férias em imagens...

A ajudar a bisavó.

Do regresso às lides...

e a queimar os últimos cartuchos da licença da amamentação, chego a casa cedo. Não há meninos para ir buscar, não é preciso pensar em jantar, não tenho hora marcada para fazer nada. Limito-me a fazer o que me apetece. Enquanto desapareço nas quase duas mil fotos das férias, arrumo uma coisa aqui e outra acolá, desfaço a mala e abro o correio. Gozo da música que já tinha saudades de ouvir sem as conversas intermináveis de uma e as exigências de outro a acompanhar. Quinze dias sem eles e os planos são muitos. No entanto, não há nenhuma check-list à qual responder. A palavra de ordem é relaxar e aproveitar os fins de dia a dois.

Do regresso às lides...

não comento a minha conta do bloglines. [até à data de hoje, considerem-se todas lidas e comentadas, ok?!]

As férias em imagens...

Manos agricultores.

[na apanha das batatas]

As férias em imagens...

Filhos pastores.

[levantavam-se quase sempre antes das oito da matina e a jeito de tentar cansá-los íamos logo pela fresca andar um bom bocado. Acompanhar o gado até à saída da aldeia era apenas o ponto de partida para uma longa caminhada]

As férias em imagens...

Sueca italiana. Fiquei fã!

Bom...

pelos vistos, voltei à base.

quinta-feira, agosto 09, 2007

Das férias no campo...

Só quem já escutou este silêncio. Só quem já perdeu a noção do tempo nesta calma. Só quem já saboreou as amoras acabadas de apanhar. Só quem já provou a água fresca das nascentes. Só quem já degustou os
sabores da terra. Só quem já aproveitou a fresca da manhã para passeios a pé pelos montes ou a seguir o gado. Só quem nadou nas águas cristalinas dos riachos que cortam os montes e desconhecidos para
quase todos. Só quem já preparou a sopa com os legumes que acabou de colher. Só quem já sentiu o calor e a generosidade das pessoas da aldeia. Só quem já respirou estes ares. Só quem já sentiu o odor do
pão acabado de cozer.Só quem já viveu isto e outras coisas mais, entende o verdadeiro
prazer de fugir dos locais mais procurados nas férias de verão e refugiarmo-nos em lugares desprovidos de quase tudo o que preenche os nossos dias, sem amontoados de gente e sem stresses.
Sempre gostei das minhas férias de Agosto, mas confesso que com eles, ainda se tornam mais compensadoras.
[e só quem já escreveu um texto deste tamanho num teclado de telemóvel
sabe a dor com que se fica no polegar]

quarta-feira, agosto 08, 2007

Das férias no campo...

As pessoas daqui que me vêem apenas de ano a ano, acham-me 'fraquinha'
(leia-se mais magra). Logo acrescentam que aqui vou ficar
'melhorzinha' (leia-se mais gorda) porque os ares daqui enchem o
corpo.

Eu pensava que as calças já não estavam folgadas por causa das broas
de milho e de centeio, dos bijus, do salpicão, do presunto, dos
queijos e refeições que exigem uma sesta a seguir. Mas se é só do
ar...

--
Sandra (Costinhas)

Das férias no campo...

As galinhas são óptimas babysitters.

--
Sandra (Costinhas)

sábado, agosto 04, 2007

sexta-feira, agosto 03, 2007

Está...

uma noite estrelada envolta numa brisa ligeira e morna. Os miúdos
dormem. A conversa com amigos é animada. A vontade de ir para a cama é
nenhuma.

No sítio onde calho a estar o telemóvel tem um piquinho de rede e as
mensagens caem todas de uma vez só. Leio as sms, consigo aceder ao
email e penso que podia actualizar o blog.

Podia vir contar que o braço do miúdo está uma maravilha. Que têm ido
para a cama podres de cansaço mas que não é por isso que dormem
melhor. Que têm sido uns dias cheios de aventuras que gostava de
registar aqui.

Mas fica para depois. Agora prefiro aproveitar a companhia (e o
polegar direito já está a modos que dorido).

--
Sandra (Costinhas)