segunda-feira, junho 11, 2007

No sábado...

começou a nascer o sexto dente (segundo incisivo inferior esquerdo) e ficou pela primeira vez de castigo. À conta dos dentes anda mais rabugento e as noites, bom... sobre elas é melhor nem falarmos. Talvez por isso, ou não, voltaram os ataques de fúria quando se lhe nega alguma coisa ou se tira algo das mãos - de referir, que os dois dias com os avós também não devem ter ajudado em nada. O pai impediu-o de fazer qualquer coisa e ele zás! pregou-lhe uma bela dentada. Um ralhete ao mesmo tempo que o senta à sua frente de castigo. As pontinhas daquela boquinha a teimarem vir para baixo, uns soluços engolidos e o rapaz aguentou-se que nem os crescidos. Acabado o castigo e feitas as pazes, voltaram as risadas felizes. Ontem de manhã, voltou a repetir a brincadeira comigo e lá voltou ao castigo. Ele sentado no chão, eu à frente dele. Ainda tentou sair dali por uma vez mas percebeu que não valia a pena. Não voltou a fazer. Espero bem que esta fase passe depressa. [e no que diz respeito a ficar de castigo este menino foi bem mais despachado que a mana... é que não havia necessidade! Mas, se calhar, o facto de ser rapaz e de ser o segundo (e como tal os pais terem outra prática e outra paciência) também deve ter contribuido... digo eu...]

12 comentários:

1gota disse...

Estou com tanto medo dessas fases das birras e dos castigos que nem calculas! :(
Deve ser bem difícil...
O A. com 6 meses parece já fazer umas birritas... Não sei se é para as levar a sério ou se ainda é demasiado cedo.

:*

Costinhas disse...

Eu desde cedo que lhes mostrava o meu desagrado quando eles faziam alguma asneira, mas temos de ter cuidado com a forma como o fazemos. O teu ainda é muito pequenino e não vale a pena grandes ralhetes, nestas idades, para mim, o que mais resulta é distrair.

Agora, na idade do Miguel, em que ele tem perfeita consciência do seu acto - embora não perceba que magoa e ainda não se saiba impor limites - acho que já vale a pena vincarmos mais as nossas posições. Ajudá-los a perceber que há limites e que são para se respeitar. Por isso, já introduzimos o castigo (ficar sentado, sem brinquedos, no sítio onde estivermos e connosco ao pé dele) porque não somos apologistas da palmada e se desta forma (castigo+explicação) conseguirmos resolver as questões melhor.

Aaahhh... e não vale a pena ter medo :)

beijinhos

Tânia disse...

Se te serve de consolo, a Leonor é mais precoce q o Miguel neste domínio... :S

Tânia disse...

Se bem que no das dentadas seja mais vítima que outra coisa... Mas compensa noutras maroteiras...

MC disse...

É importante impôr limites. Acho que não sou muito boa nisso ... mas tenho vindo a melhorar.

Mamã dos birrinhas disse...

Começa cedo a dar dentadas, lol;)

Admiro a tua forma de impôr limites...vou tentar por em prática com a Inês!

Wish me luck!

Beijinhos

Clara disse...

É a forma mais natural de lidar com essas birras, por muito que custe.

Crescem e vão mudando de birras, pelo menos...

Margarida disse...

Dentadas não dá, mas umas valentes palmadas sim, já as dá e nós andamos sem saber qual a melhor atitude...
A Mariana não era assim e esta anda sempre de mão em riste...

Monica disse...

Ai os dentes, os dentes...
Beijocas

mamã Diana disse...

Os dentes, pois... o meu miúdo ainda não percebe (perceber, percebe) que se eu lhe digo não é mesmo não...

Posso fazer um reparo? Prática é sem 'c', não é?

Beijos. )

buggy disse...

ai que estes pestinhas são tramados....

eu não sei como vou fazer cá por casa: quando dou um ralhete ao meu pelas dentadas que dá (e ele já as dá com intenção apesar de só ter 10 meses!), ele desata-se a rir. mas a rir mesmo, à gargalhada. e depois eu acabo a rir também...
algo me diz que isto não vai correr bem.... :-P

beijos

1gota disse...

(obrigada pela resposta...)
:*