quinta-feira, setembro 27, 2007

Eu estou a gostar muito...

do curso. Estou mesmo. Sinto que estou a começar a dar pequenos passos numa área que sempre me disse muito. Que finalmente estou a autorizada a usar algum do meu tempo sem pressões para fazer o que gosto. Sabe-me bem, mesmo com as pernas doridas de tanto andar, sair do trabalho e no tempo que me sobra até me enfiar na sala de aula, percorrer as ruas de Lisboa e descobrir sítios a que nunca fui. Mas sinto-lhes a falta. Sinto a falta do os ver acordados, de brincar com eles, de dançar feitos tontos na sala desarrumada. A roupa amontoa-se, a desarrumação perdura, e eles dormem. Dormem um sono solto quando eu finalmente chego até eles. E mais umas horas ao computador, guarda esta, apaga aquela, selecciona outra ainda. E é tarde. O corpo ressente-se e a casa perde o viço. Os miúdos continuam miúdos, divertidos e a crescer, mas eu é que não os estou a ver miúdos, divertidos e a crescer. O frigorífico vazio. O meu leite que acabou há uma semana e eu que não posso sair de casa de manhã sem o beber. Deitar-me sem o meu leite quentinho. O corpo está cansado, a mente sente-se desafiada, o coração sente-se sozinho. Estou a gostar muito. Estou, a sério que estou. Mas sinto-lhes a falta.

17 comentários:

Ana disse...

tirar de um lado para por do outro

no final das contas, por certo, o prato da balança vai estar equilibrado!

xxx

A

Fitinha Azul disse...

Não se pode ter tudo não é...

Beijocas solidárias!

carla disse...

É sempre assim...fazemos algo em que nos sentimos felizes e bem..mas depois falta-nos qualquer coisa..o que interessa é que o prato esteja equilibrado!!

Beijos

Lúcia disse...

Acredito que sim e sinceramente já tinha pensado nisso... que o teu tempo com eles seria mto menor e o q isso custaria ( mas obviamente não o disse pq n tenho nada a ver com isso, foi um pensamento solidário e não critico, claro está ).
Bjnhs

Rosa disse...

O curso há-de ter um fim, certo? E depois voltas a desfrutar deles.

www.palavrademae.blogspot.com/ disse...

como te compreendo, sinto isso quando trabalho,sair de manhã e só chegar à noite, com tanta coisa ainda para fazer em casa, deitar cedo as miúdas. Passam-se semanas, meses, anos e quando demos conta o tempo passou, os filhos cresceram, e foram á vida deles, e olhamos para trás e o que recordamos? de uma vida sempre a correr sem saber para onde e para que.

Por isso quando posso opto por ficar uns tempos em casa, viver sem correrias, fazer o que me apetece,aquilo que gosto, sem pressões, e acima de tudo crescer com as minhas filhas.

nuvem cor de rosa disse...

não tás on line. queria perguntar-te qto tempo demora o curso.

e já percebi qdo é k tiras as fotos k tens no flickr ;-)

amiga, a vida é mesmo assim.
mas tu por seres mãe, não deixas de ser a sandra que gosta (adora, ama) a fotografia.

e se te fizer sentir melhor, pensa k eles vão ter oportunidade de se vingar de ti daqui a uns anos qdo se dedicarem a fazer coisas da vida deles e te deixarem à noite em casa com o pai!!!

ana disse...

um beijinho grande, grande.

Baguigolas disse...

Já me tinha lembrado disso, da falta que te poderiam eles estar a fazer, principalmente após ver os teus trabalhos.
Não é uma escolha, é uma necessidade temporária para atingir um objectivo. Eles estão bem e isso o mais importante. Sabem que os amas muito.

Só uma solidariedade desta mãe.

Gina disse...

É normal isso que sentes... imagino como seja difícil!

Mas se sentes que vale a pena, é tudo o que importa!

Beijos

mamã vera disse...

É normal... o nosso tempo não estica... p fazer uma coisa q nos dá prazer... ficamos sem tempo p outra que nos igualmente prazer...

Mas o curso há-de terminar! E os muidos continuam lá... tal qual como os descreves...

Aproveitem bem os fds... é o meu conselho! :)

É por isso que eu... embora gostando e fazendo-me falta... não ando na ginástica... perderia o meu tempo c a Laura... q tão precioso é... que tão bem me faz...

Beijoca

LP disse...

Como te compreendo. Aproveita tudo ao máximo, é a única forma de te conseguires aproximar do tal equilíbrio.

Monica disse...

Beijos.
Muitos

buggy disse...

o eterno dilema das mães: o "eu" ou eles... a eterna insatisfação :)

mas é por pouco tempo... continuas a vê-los crescer nos outros dias e ao fim-de-semana...

e eles um dia, quando forem mais crescidos, vão rebentar de orgulho do teu talento para a fotografia e da tua capacidade de seres uma mãe dedicada sem, no entanto, anulares a mulher decidida que há em ti. ;)

beijinhos

Mãe Frenética disse...

Sinto isso tudo de cada vez q saio para um ensaio do coro... e ele diz sorridente "bai cantar mama. Eu fico com o papá!"

Mãe da Rita disse...

Mas vais continuar a conseguir algum «daquele» equilíbrio que eu gostaria de conseguir ter... É essa a diferença!! É isso que eu invejo! Vai correr tudo bem (mesmo que espatifes o carro, mesmo que te estraguem o muro, o brilho continua lá). Bjs!

Oumun disse...

Como te entendo, é por isso que quero me inscrever em mil coisas e ainda não me inscrevi em nenhuma.
Beijocas e força

Ps- As fotografias que tens tirado estão fantásticas!