domingo, setembro 02, 2007

Quando chegámos...


eles dormiam um sono profundo.

Mesmo ali, naquela escuridão que a luz tímida do ecrã do telemóvel não conseguia vencer, deu para ver que tinham crescido. Mesmo ali e sem lhes pegar, via-se que estavam mais pesados.

Durante a noite um gemido bastou para que trouxéssemos o mais pequeno para o nosso meio. Senti-lo ali, a dar-nos mimo enquanto dormia, quase que me tirou o sono, de tão bem que me sabia.

Despertou com a primeira claridade, e por mais que tentasse era impossível descrever o ar dele, quando se viu ao pé de nós. Um misto de alegria com descrédito. Ora fitava um, ora fitava o outro. Ora se ria, ora franzia o sobrolho de desconfiança.

A festa que nos fez. As gargalhadas. O mimo.

Passado um bom bocado, lembra-se da mana. Ma-ma! e corre para ela como se lhe quisesse dar a novidade em primeira mão.

Ma-ma! E sobe a cama para cima dela, e beija-a e abana-a até acordá-la. Ma-ma!

E ela acorda, sem grande vontade, vê-me com aqueles olhos ainda pesados de sono e exclama: Hoje é sábado!

E era mesmo!

5 comentários:

Ana Raquel disse...

E assim se provou como eles também estavam ansiosos de ver os papás!
Beijinho*

1gota disse...

Apesar de indescritível, descreveste tão bem as sensações e emoções!
E era sábado!

:*

Catalogo disse...

Opá ... até me vieram as lágrimas aos olhos com esse "hoje é sábado" :o)))

rosinha_dos_limoes disse...

Aquela catalogo ali em cima sou eu :oppp não me perguntes como é que o blogger me reolveu chamar assim :op

Bala disse...

Ai, fiquei comovida. Mesmo!!!

Há lá alegria maior, do que abraçarmos os nossos filhotes depois de estarmos longe deles mais do que 1/2 dúzia de horas!