terça-feira, julho 21, 2009

O meu nome do meio é Obélix...

Hoje fiz mais uma directa (ou quase, que dormitei no final do segundo episódio do E.R., que embora continue a ser a minha série de sempre, já chateia um bocadinho) para conseguir despachar mais um trabalho. No autocarro, vim a ler uma Sábado já fora do prazo em que se falava das drogas que os putos tomam para aguentarem umas noitadas a estudar para os exames, e, a única conclusão que tiro é que devo ter caído num caldeirão de efedrina ou ritalina ainda in utero, uma vez que já em bebé fazia desesperar a minha mãe com as pouquíssimas horas de sono que fazia. Desde os meus tempos de estudante que o mínimo de horas que preciso de dormir para andar bem são cinco horas. Menos do que isso, de forma repetida, significa que mais cedo ou mais tarde vou ter de arranjar umas dez horas de sono seguidas para recuperar. Seja lá como for, é em alturas como esta que agradeço ser das que dormem pouco. [o que me desconsola, é que por muitas noitadas que faça, parece que a lista de pendentes não há meio de ficar menor...]

5 comentários:

Belita disse...

Eu fiquei mais ou menos assim depois que o meu filho nasceu, que remédio, o gajo berrou noites a fio até aos dois anos!

buggy disse...

sortuda. eu sou das que com menos de 8h começa a destrambelhar. :-S

rosinha_dos_limoes disse...

Ahhhh quem me dera!!!
Mas pronto, pelos visto era o que eu desconfiava ... mesmo que tivesse mais tempo a lista continuaria ... sendo assim ... vou antes dormir LOL

Lúcia disse...

eu tb queria ficar bem c 5h de sono mas n fico. Faço noitadas a trabalhar sim, e durmo pouco por necessidade, mas podendo, 5 h não são suficientes, 8 já falamos diferente :)

Cissa disse...

Eu tb fico bem com 5 horas de sono, e segundo a minha familia nunca fui de dormir muito em bebé fazia levantar uma casa em peso tal era a algazarra q fazia....

O facto de ser mais resistente ao sono tem me ajudado e muito agora q resolvi voltar a atacar os livros outra vez!