sexta-feira, novembro 06, 2009

Estas duas últimas semanas...

não tem sido fácil para mim concentrar-me no trabalho e o esforço que tenho feito para não me atrasar ainda mais tem sido brutal e muitas vezes infrutífero. Não é o excesso de trabalho que me deita abaixo, pois é o stress de muito para fazer em pouco tempo que me motiva e dá energia, mas sim a sensação de tempo desperdiçado em frente ao computador agarrada a trabalhos transformados em obras de Santa Engrácia. [e o ridículo é que sei exactamente o que preciso, só que os meus pés demasiado agarrados à terra não me permitem considerá-lo como uma opção válida.]

17 comentários:

buggy disse...

até ao parêntesis, este post podia ter sido escrito por mim, tal e qual, vírgula por vírgula!!
(hoje cheguei 3 minutos dp da minha hora limite, vou ter de meter justificação e tudo! :-S)

e se eu soubesse de um "remédio" para isto, nem hesitava....

buggy disse...

* esqueci-me de explicar, que o meu atraso a chegar aqui deriva em proporção inversa da vontade com que para cá venho...

kombi disse...

ás vezes á que arriscar e seguir naquilo que se quer e que nos faz bem, por aqui é o nosso lema de vida, podemos ( no inicio) ter muitas dificuldades mas com o tempo as coisas crescem e ninguém nos pára e para trás ficam momentos importantes ( principalmente em familia).

boa sorte e ânimo.

em relação o tempo a passar ão rápido..........não me digas nada.........mas acho que é geral, com quem falo sente o mesmo.

Maria disse...

Das decisões que tomei, apenas me arrependi das que nunca avancei.
Bola pra frente que atrás vem gente.

Costinhas disse...

espero que não seja vírgula por vírgula que já lhe topei uns erros buggy ;)

buggy disse...

tu bem tens visto a qualidade do meu português ultimamente, pelos comments que ando a deixar por aqui, portanto, sim, era mesmo vírgula por vírgula! ou pior! :)

mdemae disse...

Olá Sandra,

Eu sei qeu não é fácil. Eu própria já me senti no limbo muitas vezes. Mas a diferença é que nunca tive as coisas tão bem estruturadas como tu...
Tens muito talento. Isso é certo.
Tens trabalho para dar e vender. O calendário do próximo ano assim o demonstra.
Imagina o que poderias fazer/ser se te dedicasses a 100% à tua paixão (e que também te dá a compensação monetária que é importante para manteres o barco).

Gosto muito de passar pelo blog da fotografa Mariana Sabido. Porque gosto das suas fotos(tais como adoro as tuas!), mas também porque a conheci este Verão e percebi o quanto é bom nos dedicarmos aquilo que gostamos. Podemos fazer as coisas devagar, podemos gerir o nosso tempo, podemos dedicar-nos mais aos nossos filhos... Se não conheces, espreita lá: http://paixaofotografica.wordpress.com/ e o seu trabalho: http://www.mae360.com/

beijos e, se me permites... deixa-te voar!

Costinhas disse...

Pois "mdemae" mas isso é "fácil" de se dizer quando o nosso rendimento fixo, não é o único garantido da casa. Quando não estamos na mesma empresa, há mais de catorze anos. Quando os benefícios e segurança proporcionados por essa empresa, especialmente nos dias que correm, não fossem um verdadeiro luxo.

Se o cara metade já não tivesse ele arriscado e a situação actual para as pme's não fosse tão instável, era tão fácil eu "voar" mas assim...

buggy disse...

e uma solução de compromisso? seria possível pedires redução de horário, ou negociares com a empresa onde trabalhas passar a um regime de part-time?...

(e como te compreendo... o meu marido também ainda a fazer das tripas e coração, ao fim de 5 anos, para manter a empresa à tona, a lutar com a implacabilidade dos impostos cobrados.... assim é complicado, muito complicado, arranjar um "remédio" para mim... :-S)

Costinhas disse...

O part-time não é uma possibilidade real, mas estou a tentar encontrar uma solução intermédia e à espera que acabe mais uma mudança da estrutura interna da empresa para saber com que linhas me coso :p

buggy disse...

do código do trabalho:


Artigo 45.º
Tempo de trabalho
1 - O trabalhador com um ou mais filhos menores de 12 anos tem direito a trabalhar a tempo parcial ou com flexibilidade de horário.

não sei é se tens possibilidades de aplicar isto (se a tua empresa fôr como a minha, pedir isto é assinar a própria "certidão de óbito"....)

mdemae disse...

desculpa costinhas...
eu sei que é fácil falar...

mas a tua estabilidade emocional e realização pessoal e profissional também são importantes, certo?

desejo-te boa reflexão e que encontres uma solução que faça equilibrar " o melhor dos dois mundos" :)

beijinhos!

Cláudia Pereira disse...

Costinhas,

Passei por aqui li.. e resolvi comentar:D ..

Eu vejo por mim!.. Ultimamente pra sair da cama é um castigo o telefone toca e toca e torna a tocar e a vontade de saltar é pouca!!

Passo normalmente 9 a 10h por dias colada a pc´s e a papeis!!:( ando ko!!

Sinto cada vez mais as horas a voarem e eu a desperdiçar momentos, rincipalmente em familia!..
A mim o k asusta mais é que k não tenho filhos, e tempo agora é o que é. Qd tiver sinceramente não sei!..
Aproveita o fds e diverte ao máximo!! Esquece o trabalho, horarios e dedica te a 100% á tua familia pk não ha nada melhor doque a nossa familia..Bom FDS!!:DD

Mother_24 disse...

Caraças pra este pais e mais a treta da crise... parece que ficamos todos em standy em relação aos sonhos e aventuras profissionais que poderiamos ter... mas tem calma... ainda à esperança!

jocas

Soph disse...

Take a PHOTO!!!!!!!!!!!!!!!!

rosinha_dos_limoes disse...

Eu tenho essas duvidas todas mas não tenho projecto, nem metade do teu talento, muito menos metade da tua garra ... por mim dizia-te "atira-te!", mas falar é fácil ;o)

De qualquer modo acho que terias sucesso garantido, não sem esforço claro, mas acho que tens tudo para enfrentar o boi pelos cornos!

Boas reflexões ;o)

Mae Frenética disse...

Costinhas, percebo-te e devo ser a unica a nao dizer-te para te atirares de cabeça.
Estás a passar uma fase de mto trabalho, mas tb vão haver alturas em q isso pode nao acontecer e tens de pensar como vais reagir nessa altura.

Se conseguires negociar redução de horario, sugerir um lay-off particular, tipo trabalhar menos um dia por semana, pode ser o ideal.
e se negociares a saida total, nao te esqueças de te fazer pagar pelos 14 anos q te dedicaste, mesmo q a saida seja tua sugestao.
Se o teu marido trabalha por conta propria saberá ajudar-te nessa negociação. Sempre te ficará algum pé de meia.

A vida pode correr-te bem, como correu, por exemplo, para o meu pai, q deu o salto aos 57 anos de idade. Mas eu tb ja tenho visto mta gente a desgraçar-se e nao é por serem incompetentes...

(o q te diz o marido? o meu nao me diria grande coisa, para nao me influenciar, mas as vezes o silencio traz mtas respostas...)

Um beijinho