sexta-feira, agosto 06, 2010

Das férias na aldeia...

(e do facto da aldeia ser no interior transmontano)

Entramos no carro e, de repente, ele pergunta:

- mãe, quando nos enganamos dizemos car*lho, não é? Diz-se car*lho!

Ainda falta muito para chegar Setembro?! Ou pensando melhor, será que eu quero mesmo que chegue Setembro e com ele o regresso à escola?! Medo!

[começaram oficialmente as conversas em que se explica o que se pode ou não pode dizer cá em casa... inauguradas com ele.]

7 comentários:

Mãe(q.b.) disse...

GLUP :S !!!!

jocas

mdemae disse...

... ups... 'tás tramada, eh eh

beijos!

sofia disse...

lindo!!!!

Helena Barreta disse...

Pois, se os crescidos podem dizer...

De certeza que vai arranjar uma forma de em Setembro essa palavra já ter sido esquecida.

InêsN disse...

a sério??

lembro-me de o diogo dizer "meda" com dois anos...

(não imagino de quem será a culpa :p)

eumesma disse...

O que é que tem "e do facto da aldeia ser no interior transmontano" a ver com o assunto?
Eu moro no interior transmontano e os meus filhos nunca disseram tais palavras!!!!!!!

Costinhas disse...

eumesma, nem eu insinuei que os miúdos transmontanos dissessem tais palavras.

No entanto sabe bem que a utilização destas asneiras é uma coisa comum nos mais velhos especialmente em algumas regiões nortenhas. São tão comuns e tão enraizadas nos hábitos que nem se tornam ofensivas.

Para mim é totalmente diferente ouvir as mesmas asneiras da boca da minha família nortenha ou da minha família por afinidade beirã do que ouvi-las aqui em Lisboa.