quarta-feira, setembro 08, 2010

Será que sou a única...

que se indigna com a quantidade e a especificidade dos dados pessoais que muitas lojas pedem para fazer os famosos cartões de desconto, e, que se recusa a fornecer boa parte deles ou não faz mesmo o dito quando dizem que são todos de "preenchimento obrigatório" e incluem dados totalmente desnecessários e que podem fornecer demasiada informação sobre nós?

Será que sou a única que acha que ter tamanha quantidade de informação alojada numa base de dados que não controlamos e que pode muito bem ser vendida (mesmo quando existe a hipótese de não autorizarmos a partilha com outra empresas no papelinho que tão prontamente nos estendem) a outras e passarmos a ser assediados telefonicamente para subscrever um cartão de crédito xpto dias e dias a fio ou outra treta qualquer, é um perigo que a maioria desvaloriza com a ânsia de ter uma qualquer redução - por mínima que seja ou impossível de rebater tais são as condições que eles inventam para o fazer - nas suas compras?

Será mesmo só mau feitio, ou vale mesmo a pena ler bem que tipo de informação se está a dar e a quem antes de aceitar só mais um cartãozinho por mais apetecível que se apresente?

13 comentários:

rutinha disse...

podes ter a certeza que (mesmo pondo a x para nao autorizar o fornecimento de dados a terceiros), as bases de dados são vendidas e os nossos numeros utilizados para nos contactarem e venderem serviços/produtos!
é inacreditável as vezes que recebo chamadas do barclays (de quem nunca fui cliente) para me impingirem cartão de crédito, isto só para dar um exemplo ;)

Mãe(q.b.) disse...

Concordo contigo, muitas vezes tb me perguntio como é que este fulano soube do meu telemovel?

Cambada pá... hoje em dia temos a nossa privacidade cada vez mais exposta bah

jocas

Mae Frenética disse...

Eu sou igual. Mas olha q ha gente q estranha. Ontem recusei-me a responder a um inquerito pq tinha de dar um nr de telemovel.
A rapariga ficou espantada por eu nao lhe dar o meu nr!

Costinhas disse...

Fren, o pior é quando disparatam connosco por nos recusar-mos a dar certos dados e só por causa disso não aceitarmos o cartão.

(foi o que aconteceu ontem, daí o post)

Monica disse...

Não, não és... humpff!

Mané disse...

Não és a única, mesmo. Eu uma vez fiquei tão chateada que virei costas e saí da loja sem pagar as compras que tinha feito (num hipermercado tem outro impacto...)
Foi num dia particularmente difícil em que a minha paciência estava nas últimas, mas... não me contive e explodi :S
Essas coisas são uma chatice e eu prezo muito a minha privacidade. e gosto muito de saber que não sou a única! :))

kombi disse...

eu tenho o minimo de cartões, sou de promoções directas pois acho que se querem dar-nos algo tem que ser na hora e não com pontos ou acumulações para depois mais tarde usar, que muitas vezes esquecemos de usar.

mesmo hoje fui ao mini preço pq tem produtos em promoção, leve 3 e pague 2, assim sei que descontei...tudo bem os produtos podem até estar um pouco mais caros que em outros estabelecimentos mas sempre compença.

agora o que me acontece é que sou colaboradora do "euro teste" um centro de estudos do consumo de produtos dos lares, ao avaliarem a nossa situação poderemos ser aceites para colaborar, é-nos fornecido um leitor de barras para registr-mos as compras, esse leitor está ligado ao telefone fixo e são recebidos o dados, recebo pontos que troco por artigos para a casa e uso pessoal. Agora acho que esta empresa deve de trabalhar em parceria com outras resultado o telefone fixo não se atende, agora já andam mais calmos pq era chamadas atras de chamadas das mais diversas instituições.

quanto a numero de tlm e fixo, para todos os efeitos não tenho, ou será que sou obrigada a ter? ficam admirados qd digo que não tenho mas respondo que o meu único contacto é morada e não a dou completa :D

Costinhas disse...

Eu começo a passar-me (mesmo) quando eles começam a exigir números de identificação pessoais sem que tal se justifique (mesmo quando usam a desculpa que é para terem um número de identificação único)

rosinha_dos_limoes disse...

Confeço, não penso muito nisso. Tenho alguns, mas não todos os cartões que me tentam impingir, e dos que tenho acho que só uns 3 é que me servem de alguma coisa LOL. E se calhar tenho sorte ... até agora se me chatearam duas vezes a tentar fazer um cartão de crédito ou um inquerito ou o que fosse, foi muito e nem me lembro ... mas se calhar tenho mesmo sorte LOL e por isso não me apercebo do quanto da minha informação anda por aí.
Mas foi bem lembrado este assunto.

Luisa disse...

Tenho uma série de regras:
- número do fixo não dou (e mesmo assim já basta a PT andar o número a quem lhe apetece desde que mudamos de operador)
- dados bancários ou fiscais nem pensar.
Mesmo assim os nossos dados são fornecidos pelos bancos onde temos contas p. ex. Ou mesmo quando dizemos que não queremos que terceiros tenham acesso quando aderimos aos cartões ou entramos em concursos.
Comigo os operadores de telemarketing têm muito azar, porque de uma forma bem educada não os consigo deixar falar, digo que odeio telemarketing, que tenho direito a não ser incomodada, que compreendo que é pago para fazer aquele trabalho e desejo-lhe muito boa tarde pois tenho de desligar.
É limpinho!
Só respondo a inquéritos quando são sobre o meu grau de satisfação porque aí aproveito para fazer as queixinhas todas.

Luisa disse...

O que eu queria dizer era:
"e mesmo assim já basta a PT andar a dar o número a quem lhe apetece desde que mudamos para outro operador"

Rita (a minha pequena lua) disse...

não és a unica não...

Bala disse...

Não, não és a única. E por isso mesmo, acabo por recusar os cartões de descontos. Prezo mais a minha privacidade do que os descontos!

Bjinhos