segunda-feira, outubro 18, 2010

Da vergonha...

nós nunca o podemos espreitar numa aula a não ser na natação. No minuto em que se apercebe de que nós o estamos a ver encolhe-se e deixa de participar ou vem mesmo ter connosco a mandar-nos embora. Deixámos de o levar às apresentações do judo por causa disso mesmo. Ele não queria juntar-se aos outros e nós passávamos o tempo todo a tentar dar-lhe a força e a motivação para que ele fosse. Desistimos e decidimos voltar a tentar apenas quando ele por iniciativa própria quisesse ir.

Quando a professora do ballet me disse que ia preparar um espectáculo para o Natal, falei com ela sobre a grande probabilidade de ele não querer participar com vergonha de aparecer em público e ela ficou de tentar ajudá-lo nesse aspecto. Na sexta quando o fui buscar ao ballet, perguntei à professora como estava a correr e ela chamou-me à parte enquanto ele se ficou a vestir.

Começaram nessa aula a ensaiar para o espectáculo e ele assim que se apercebeu disso recusou-se a continuar. Disse-lhe logo que não queria entrar no espectáculo porque tinha vergonha que os pais o vissem e só com uma boa dose de motivação - e a "dica" de que o Pai Natal está a chegar e que tem uma surpresa para os meninos que participem no espectáculo - é que ela conseguiu que ele continuasse a aula. Continuou, fez tudo lindamente e com entusiasmo, mas deixou claro que não queria que os pais o vissem.

Depois disto confesso que me senti um pouco aliviada. Mesmo com ele a dizer que não queria que nós o víssemos no espectáculo, ele finalmente conseguiu verbalizar o que o atormentava e acredito que é um passo em frente.

Se for preciso abdicar de o ver para ele participar no espectáculo assim seja. Hão-de haver mais e é com passinhos pequeninos que vamos crescendo e conseguindo a força que precisamos para vencer aquilo que nos limita.

Pelo menos assim o espero.

11 comentários:

MakingMoney disse...

Ora aqui (aí) estão uns pais como deve ser... que respeitam a vontade dos filhos, mesmo que isso os deixe de coração apertadinho...

Helena Barreta disse...

Ainda me lembro do dia em que a minha irmã regressou da Alemanha e foi direitinha à escola para ver o sobrinho, na altura teria 6/7 anos, dada a autorização da professora para que entrasse, a minha irmã lançou-se sobre o sobrinho, ele envergonhado a pedir à tia que saísse e depressa. A minha irmã ficou desolada. Em casa sim, o puto explodiu de alegria e a tia também.

Precisam de espaço e tempo para viverem com a vergonha. A nós, resta-nos respeitar.

Um beijinho

ForMM disse...

Bonito...

Luz de Estrelas disse...

Terá vergonha ou medo de vos desapontar? Já vi isso em pequenas reacções, mas nunca tão decidido. Acho bonito vcs respeitarem até ele estar preparado. Assim como assim, vai chegar a uma idade em que vão enxotar os pais das suas actividades sociais e vão. I am so NOT ready to that!

Costinhas disse...

Luz, não faço ideia. Provavelmente as duas serão válidas mas não tenho como saber, uma vez que ele diz apenas que tem muita vergonha.

Quanto aos enxotamentos futuros, cada coisa a seu tempo... deixa-me lá viver feliz e contente enquanto eles nos querem por perto :p

gralha disse...

É preciso arranjar um espião munido de câmara de filmar :)

Inês disse...

deve ser do signo :P nunca gostei muito de coisas em público, mas a presença de pessoas muito próximas não me conforta nada, antes pelo contrário. Também não gosto e é como se, no caso de alguma coisa correr mal, aqueles que são o meu porto seguro não ficarem desapontados e me possam acolher sem sequer terem estado presentes naquilo que correu menos bem. É sempre mais difícil enfrentar a possibilidade de falhar perante os que amamos...
Se ele não quiser ir se vocês forem, é importante para ele que não vão. Depois quando os professores ou outros pais os elogiarem e ele sentir que esteve bem, vai devagarinho querer também mostrar-vos que afinal correu tudo bem e que vocês também podem gostar :)

Rita (a minha pequena lua) disse...

vai passar sim Sandra, a seu tempo, mas eu sempre fui uma criança assim e consigo dar-lhe o valor. comigo passou muito tarde, não para te assustar mas só lá para os meus 15 anos comecei a lidar mais ou menos bem com conversas em público e apresentações em público, mas se me perguntares se gosto, ainda hoje te digo que detesto e ainda hoje fico com as mãos suadas e peito às manchas vermelhas. mas ele vai começar a aprender a controlar, aos poucos e eu acho que poderá ter receio de vos desiludir sim... não forcem, é o melhor a fazer é esperar e respeita-lo. nestas coisas forçar é mesmo o pior

Avessa disse...

É de realçar aqui que de facto o importante aqui é compreender a razão que os leva a ter determinadas atitudes, e assim sim conseguiremos ajudá-los a ultrapassar as dificuldades, apreensões e receios. Ele no fundo só precisa de sentir que vocês não se vão sentir desapontados com ele independentemente de como as coisas correrem. O meu pequeno teve o ano passado o 1º espectáculo de ballet e ia com um nervoso miudinho por ter o papel principal ( e isto não se deve a ele dançar muito bem, mas a ser o único rapaz) e acabou por correr bem, até nos disse adeus do palco o que arrancou uma gargalhada geral do público, mas enfim!
Beijinhos

Tita disse...

Dá-lhe sim esse espaço, é importante para ele ganhar confiança. Miúdo de personalidade!
Talvez o possas ver sem que ele dê conta da vossa presença.

Bjs

rosinha_dos_limoes disse...

Tem mesmo alma de artista :)
Podes sempre espreitar às escondidas ;)