segunda-feira, dezembro 06, 2010

Da série: Tudo me acontece...

Sexta-feira à noite, a mordiscar uma fatia de pão-de-forma (de mistura e sementes, uma delícia :p) tau parto o primeiro pré-molar ao meio mas nenhum bocadinho caiu. Dois dias a sentir aquilo ali a dançar de um lado para o outro e sempre a resistir à tentação de levar lá a língua ou de mastigar com aquele lado.

Hoje a dentista enquanto me arrancava o bocadito que não fica lá a fazer nada, explicou-me o porquê de não ser tão raro assim partirem-se dentes a comer coisas moles.

Eu preferia era ter ficado com ele inteiro, mas pronto.

6 comentários:

sbn disse...

o primeiro dente que parti foi com um pãozinho com manteiga... no pequeno-almoço do último dia na maternidade depois do Rui nascer. desde então já perdi a conta dos que parti, e sim, foi sempre a comer coisas moles.
(já agora, explica-me porquê que a mim ninguém me deu explicações!)

Mãe(q.b.) ao quadrado disse...

Sim já agora tb gostava de saber explicação :D (é q o meu home sofre disso :p)

jocas

Helena Barreta disse...

E eu a pensar que só as coisas duras, tipo as nozes, é que partiam dentes e vai-se a ver, coisinhas tão inocentes a fazer tanto estrago.

Costinhas disse...

O que a dentista me explicou foi o seguinte: as coisas moles formam uma papa que preenche e se infiltra em todos os espaços que possam existir nos dentes. Conforme vai preenchendo, vai criando pressão e depois a certa altura pop lá se foi o dente.

No meu caso, deve ter sido a erosão natural de um tratamento antigo que deve ter formado um espaço entre o tratamento e o dente já que cárie não era. Como os meus dentes estão mais quebradiços, pimba, lá se foi um bocado do dente.

sbn disse...

aaaaah! realmente faz sentido... obrigada por partilhares. vou deixar de comer coisas moles, então! LOL

rosinha_dos_limoes disse...

bolas!!!