terça-feira, fevereiro 01, 2011

Da crise e das suas consequências...

Há uns meses levaram-me o abono. Pacífico. Recebia pouco e confesso que se me dissessem que iria deixar de o receber para aumentarem as prestações dos primeiros escalões até ficava contente. O problema é que ninguém mais carenciado saiu beneficiado por nós deixarmos de receber esse dinheiro. A quem serviu então? Ao Estado.

No início do ano subiram o IVA. Os desportos que os miúdos praticam passaram a ser taxados a 23% e só não levo com o aumento do meu ginásio porque entretanto já tinha cancelado a inscrição, que eram mais as vezes que não conseguia ir do que as que ia. Dizem que se tem de incentivar a prática desportiva e que esse é o melhor meio para combater a obesidade infantil - bem como andar de bicicleta/skate/patins, correr, saltar à corda, jogar à macaca, às escondidas e à apanhada, passear, etc., tudo coisas que se podem fazer com eles, que os meus fazem e que, ainda, não pagam imposto. Assim sendo, nada melhor que taxar com mais 17% as boas práticas. Serve este aumento para os clubes - muitos deles com poucos meios até - para melhorarem as condições dos seus alunos? Não, serve ao Estado.

Há uns anos, os produtos de soja viram baixar o seu IVA para a taxa mais baixa e eu dei pulos de alegria. Não se bebe leite de soja lá em casa para se ser fino. Bebe-se porque há questões de saúde envolvidas. O IVA baixou, mas o preço destes produtos manteve-se exactamente ao mesmo preço.Diz que a matéria-prima aumentou de preço e imagine-se, aumentou na percentagem exacta em que o IVA baixou! Interessou a quem?! Aos comerciantes e quem sabe aos produtores. O Estado tomou alguma medida para impedir esta ilegalidade? Era o tomavas.

Na farmácia além de o IVA aumentar, deixámos de poder ver o preço dos medicamentos nas embalagens. Dessa forma, só alguém muito atento ou que compre o mesmo medicamento há já muito tempo, consegue aperceber-se que alguns dos medicamentos até aqui comparticipados pelo Estado deixaram de o ser. Aconteceu-nos com pelo menos um dos medicamentos que eles fazem diariamente para controle da asma, no total de duas caixas por mês. Eles fazem três medicamentos diários cada um, fora os cremes/produtos/medicamentos para a pele atópica e os que tomam em situação de crise. Eu faço outros três por causa da Rinite Alérgica. Isto serve a quem? Ao Estado.

O preço dos combustíveis sofre aumento atrás de aumento, mesmo quando o barril de crude anda por valores mínimos. Deixando de fora o impacto que isso tem nos bolsos da malta para atestar o bólide caseiro, pode-se falar no impacto imediato que isso provoca no preço dos produtos finais, os tais que foram entretanto taxados com mais um aumento de IVA. Isto serve a quem? Ao Estado e às gasolineiras que até esfregam as mãos de contentes.

O meu recibo do vencimento vem este mês com mais uma linha no lado negativo. Diz que é durante este ano mas eu não faço ideia se é se não é. Sei que ninguém me perguntou se concordava e vai contra tudo o que me venderam quando entrei para o mercado laboral já lá vão quase 16 anos. Com esta fico com a certeza que não são precisas mais leis de trabalho favoráveis às empresas. Elas já podem fazer de tudo e o Estado ainda lhes dá mais ideias porque a lei é, pelos vistos, meramente uma formalidade. Ai não permite reduzir o vencimento? A malta dá um jeitinho e já dá. Assim sendo, só sei que se até aqui eu dizia que o "ao menos é certo", a partir de agora... E isto serve a quem? Ao Estado.

E o IRS vale a pena mencionar?

É nesta altura que agradeço os ensinamentos dos meus pais: não gastes tudo o que tens e muito menos o que não tens. Só assim, vamos continuando nesta crise sem grandes sobressaltos. Mas no fundo, o que isto me irrita, é que todo este esforço que estamos a fazer não serve a mais ninguém que não ao Estado, e, o Estado tem feito tudo o que consegue para nos servir cada vez menos e cada vez mais a si e aos seus.

Pedissem-me estes esforço e mostrassem-me resultados, e eu aceitaria com esperança de um futuro melhor para os que me seguem. Mas obrigarem-me a este esforço enquanto continuam a gastar como se fossemos multimilionários e a endividar cada vez mais as próximas gerações de portugueses, deixa-me apenas com vontade de bater a porta.

33 comentários:

Sofia disse...

Só uma perguntinha.... é funcionária pública? Se não é (e mesmo sendo... estamos para ver, ou não :S) uma redução do vencimento base é ilegal.
Se quiser, entre em contacto comigo e, com mais informação, poderei dar-lhe algumas indicações.

Costinhas disse...

Sofia, não sou funcionária pública mas trabalho numa empresa com capitais do estado.

E obrigada pela oferta de ajuda. Gosto sempre de estar bem informada sobre estas questões e confesso que o que sinto neste momento é ignorância total acerca deste assunto :)

Sofia disse...

:(
Então aplicam-se as mesmas "regras" dos cortes.

cat c disse...

Grande post! Susbcrevo!

Catarina Campos

Mãezite disse...

Olha que os cortes para o Estado (onde se icluem a empresas de capital maioritariamente público, não sei se é o teu caso) foram anunciados pelo Governo como sendo para sempre e não apenas para este ano.

Mãezite disse...

referia-me aos cortes salariais

Eira-Velha disse...

O "Beiçudo" disse "PARA SEMPRE", disse que eu ouvi.

Francesca disse...

Infelizmente isto anda de mal a pior. Sinto que nos deixámos cair no buraco e só com muita ajuda e dificuldades vamos algum dia conseguir sair.
Estou muito desapontada com o meu País e completamente descrente em quem o governa. É muito triste e sinceramente perdi as esperanças.
Ah, e eu tb trabalho numa empresa de capitais públicos...tb levo o maldito corte :(

http://mefrancesca.blogspot.com

Anathelion disse...

Muito bom e muito bem. Subscrevo totalmente. Parabens!

tarapatices disse...

Concordo plenamente contigo! Infelizmente... :((

Mocas disse...

Aplaudo de Pé!!

Carla de Sousa disse...

Custa sobretudo admitir que se estão a abrir precedentes gravíssimos, o que me deixa totalmente á toa a pensar em que país vou eu deixar o meu filho viver e com o que o esperará quando chegar a vez dele "pegar no batente". E fico a pensar no que seria deste país se os descontentes todos (98% da população? lol)emigrassem, nem que fosse para cavar batatas numa qualquer machamba em África. Ao menos o clima já nós sabemos que é incerto, logo á partida...

Costinhas disse...

Mãezite e eira-velha, pois pelo que percebi das notícias e da informação que recebi da minha empresa, este corte só está contemplado no orçamento para 2011 pelo que se pretenderem que se mantenha no final deste ano, vão ter de o voltar a aprovar no próximo orçamento ou efectuar uma alteração na lei.

A par deste corte, também foram proibidos, neste ano, todas as progressões nas carreiras/promoções que se traduzam em aumento efectivo salarial entre outras medidas.

Costinhas disse...

Catarina, Anathelion, Mocas, obrigada.

Só tenho pena de ser pelo motivo que é.

Francesca, Tarapatices, há que fazer alguma coisa.

Carla, pois que é isso.

kombi disse...

assino por baixo e acrescento que com mtas das exigencias/impostos do estado fazem com que muitas empresas, se não quase todas, nao declarem o real e depois é ver pessoal de grandes carrões com os filhos nos colégios subsidiados e com o escalao A de abono, daí não concordar qd escreves que até não te importavas de ficar sem o abono se esse valor fosse ajudar quem é mais carênciado....nos dias de hoje é "dificil saber" quem é ou não carênciado.

Costinhas disse...

Esse problema não é só dos dias de hoje kombi - e até posso dar exemplos de situações dessas de há bastantes anos atrás - e julgo que vai perdurar por muitos mais anos.

sbn disse...

Magnífico post!! Assino por baixo, já que concordo com tudo, até à última vírgula!
E realmente não sei o que o futuro reserva para os nossos filhos e é assustador pensar que há a possibilidade de eles virem a ser a 1a geração em muitas décadas a ter piores condições de vida e/ou oportunidades do que os seus pais tiveram. :-(((

Lena disse...

Concordo com tudo, gostaria de fazer apenas uma emenda onde diz "E isto serve a quem? Ao Estado." devia dizer "E isto serve a quem? Aos que se servem do Estado (em vez de servir o Estado)". Se isto servisse o Estado serviria então muito bem, porque o Estado somos nós!

MakingMoney disse...

Subscrevo por baixo. A revolta é mais que muita. Cada vez tenho mais vontade de emigrar... estou cansada de lhes encher o c* (desculpa a ordinarice)

Rita (a minha pequena lua) disse...

assino por baixo Sandra... eu trabalho numa empresa municipal e tb os ordenados superiores a 1500€ sofreram cortes. o meu não chega lá, por isso, não fui afectada... e olha que o conselho dos teus pais, foi exactamente o mesmo dos meus e dá realmente muitíssimo jeitinho. essa deve ser a filosofia a adptar para se tentar passar ao lado, digamos assim, sem grandes stresses porque isto vai de mal a pior...

Galinha Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Galinha Maria disse...

E dou ao estado 40,1% do meu ordenado todos os meses. Se for para a rua, vou sem subsídio de desemprego. Recebo 12 meses por ano. Não tenho subsídio de ferias nem de natal. Não tenho direito a nada. A partir deste mês tenho que dar à Segurança Social 186€ todos os meses. Para quê? Não faço ideia... Como ganho "muito bem" tiraram-me o abono de família, por causa de uma diferença de 200€ anuais. E não somos todos a pagar a crise. São os funcionários públicos, os funcionários de empresas cujo maior accionista é o estado (CTT, transportes... por aí), e os trabalhadores independentes. Os restantes cidadão, continuam "apenas" com a subida do IVA e da taxação anual de IRS. Mas apesar disso a diferença é muito grande. Gostava de perceber porque é que há cidadãos de primeira e de segunda. Porque é que as empresas privadas pagam menos a crise que os independentes e os funcionários públicos... não percebo, sinceramente!

Helena Barreta disse...

Concordo com cada palavra. Subscrevo e aplaudo.

Beijinho

Bala disse...

Perguntinha.....
Onde é que eu assino?!??! :o)
Não podia estar mais de acordo contigo...Infelizmente!

Bjinhos

Costinhas disse...

Lena, sim bem sei, daí ter dito que "o Estado tem feito tudo o que consegue para nos servir cada vez menos e cada vez mais a si e aos seus."

Mãezite disse...

Olha, deste-me uma bela dica. Vou investigar... mas quando o ministro anunciou disse que era para todo o sempre. E sim, é verdade que tudo o que implica valorizações remuneratórias também está congelado (incluindo os concursos).

Soph disse...

GOD!!!!!!!!!!!!!!! :(

Luna disse...

Eu não me importava pagar dobro dos impostos, mas que visse realmente que as familias mais precisam que fossem beneficiadas, o que na realidade está acontecer o inverso.
esta-se optar uma politica que os ricos estão cada vez mais ricos, os pobres cada vez tem menos.
bjos
Luna

Ana Cravo disse...

Subscrevo,ando sempre a falar no mesmo com o pessoal. Felizmente temos é um patrão super porreiro de uma multinacional super conhecida que defende que em tempos de crise é pra investir, sobretudo em produtos portugueses e, sendo assim, aumentou-nos bem o ordenado.

Costinhas disse...

Ana Cravo, e são justamente esses os que põe o dinheiro a circular nestas alturas que estão certos.

É pelo menos o que eu acho. Boa sorte para vocês!

Costinhas disse...

Hoje são as inúmeras as notícias que saíram sobre a vigência dos cortes salariais. Aqui fica um primeiro link:

http://www.dn.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=1775712

Mamã do Príncipe Pipoca disse...

Só vi este post hoje, mas não poderia deixar de aplaudir, de pé, claro, muito merecidamente.
É frustrante porque sentimos que estes cortes todos não vão sortir efeito em nada, está tudo a ser absorvido pela "máquina" do estado.

Patrícia disse...

Petição Abono de família - um direito de TODAS as crianças

http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N6273