segunda-feira, março 28, 2011

A cada fim-de-semana que não páro...

na segunda que se segue não consigo deixar de pensar ai se eu pudesse...

[ontem dei por mim a pensar que não tarda tenho quarenta anos (sim, ainda faltam pouco mais de quatro, mas mesmo assim estou quase lá). depois penso nos anos que se seguem e nas escolhas que se pudesse fazia agora e confesso que fico muito menos convicta das mesmas. também pode ser de ser segunda-feira, ter mudado a hora e não ter parado um bocadinho, mas pronto... era isto]

16 comentários:

Crente disse...

Eu, ainda que um bocadinho mais afastada dos 40, penso igual. Tenho mesmo de mudar algumas coisas na minha vida...

akombi disse...

olha eu tb sou tal e qual, neste verão faço 37, o tempo passou rápido fiz muito mas ao mesmo tempo parece que não fiz nada, quero mudar, quero muito mais, mas por outro gosto desta estabilidade, á ainda pensamentos de " e se viver mais 30 estou com 67, a velhice aproxoma-se tão rápido".....ainda ontem a ver a grande repostagem sobre o envelhecimento foi dito que já nasveram as pessoas que vã viver 1000 anos...epá muitos anos, mas por outro vivemos tão pouco tempo, tanto para fazer, tanto para viver, ai este inconformismo humano......e viva as segundas feiras.

rosinha_dos_limoes disse...

Os meus pensamentos ontem iam mais ou menos por aí ... eu estou é mais perto dos 40 :op ... mas eu não consigo fazer metade do que tu fazes e isso deixa-me ainda mais frustrada.
Mas deve mesmo ser de ontem ter dormido menos uma hora (e andar a dormir mal) e hoje ser segunda-feira.

Costinhas disse...

será que isto é mesmo efeito da mudança da hora?! já somos tantas...

(isso ou andámos a dar todas no mesmo :p lol)

sbn disse...

eu já andava a pensar essas coisas há muito, mesmo sem mudar a hora e mesmo fora da segunda-feira..... e de tanto pensar, olha no que deu! :P

Mnc disse...

Como te compreendo...
Beijocas

Rita (a minha pequena lua) disse...

ai Sandra, penso tanto nisso. eu fiz 34 em Dezembro mas cada vez me vejo mais perto dos entas e cada vez me sinto mais frustrada a nivel profissional. de resto não isso tento aproveitar e fazer tudo o que gosto e posso claro, mas profissionalmente, quem me dera estar a fazer outra coisa... quem me dera mesmo...

Costinhas disse...

reparem, o meu pensamento aqui era de que ao aperceber-me da minha real idade perdi um bocadinho do entusiasmo percebem?

Será que me vou aguentar à exigência física da fotografia? Será que daqui a uns anos (altura em que poderei efectivamente arriscar por razões que não interessam agora aqui) ainda vou ter coragem?

E depois eu não estou frustrada com o que faço também. Desiludida sim, desapontada e sem conseguir ver uma perspectiva de continuar a evoluir a um curto prazo também, mas, eu também sei o meu valor naquilo que faço e no que sei. E gosto do que faço, logo não é martírio se lá continuar.

Enfim...

sbn disse...

aos 40 anos és velha para as exigências físicas da fotografia?? tás maluca?! a Annie Leibovitz tem 62 e está aí para as curvas! (e teve a criança mais velha aos 51 anos!!) td é possível! desde que haja paixão claro - porque só não se cansa quem corre por gosto, evidentemente! ;)

e part-time, 50%-50% para cada lado?
ou freelance nos dois lados?
just thinking out loud ;)

Costinhas disse...

Eu tenho problemas de coluna Sandra, e ando a ser acompanhada há uns anos por causa de problemas a nível reumatológico e outras coisinhas.

Além disso o tipo de trabalho da Leibovitz não é bem o que eu faço e ela aos 62 anos, só segura mesmo na máquina porque lhe apetece porque a equipa dela é enooooorme :p

Se me conheces, podes bem imaginar que o meu problema não é falta de paixão. Neste momento tenho dois trabalhos a 100% cada um. Trabalho uma média de 13 horas diárias durante a semana e no mínimo umas sete aos sábados e domingos, durmo uma média de 4 e trabalho todos os dias da semana salvo raras excepções.

E não me queixo disso.

sbn disse...

ah não duvido nem um milímetro da tua paixão pela fotografia neste momento, estava mesmo a falar daqui a muuuuitos anos, qdo chegares aos 40. :-D

sim, probs de saúde poderão ser um problema... e não poderás mudar, dentro da fotografia, para uma área menos exigente? estúdio? produto? não faço ideia se estou a dizer coisas com sentido para ti, mas prontos, a intenção é boa :)

Costinhas disse...

se a paixão só tivesse aparecido agora, podia ser que ainda duvidasse que ela se mantivesse, mas uma vez que eu sempre me conheci assim desconfio que nunca vá mudar.

o que se seguirá, o que poderei fazer no futuro, já foge ao sentimento que experimentei pela primeira vez e que aqui quis registar.

Planos e projectos e backup plans já há. Mas saber esperar é uma virtude e aqui também não é o sítio certo para me alongar sobre eles :p

sbn disse...

não te alongues, que isso até pode aleijar e não convém! :-DDDD

eu tb tinha, desde que me conheço, uma enooooorme paixão pela programação e, ao fim de quase 20 anos da dita, pffft, foi-se. acontece. os amores tb se acabam. :-)
e qtos fotógrafos (e outros artistas / artífices) só descobriram a sua paixão já tardiamente? às vezes descobrem-se coisas novas já mto para lá da Primavera da vida...

para além de que, daqui até lá (sendo o "lá" os 40 anos ou qq outra meta num futuro assim ao longe), tanta coisa pode acontecer q sabe-se lá o que nos espera. sempre achei aquela pergunta: "onde se vê daqui a 5 anos?" mto parva, de tão improvável que é que se consiga responder acertadamente.

mas isto é td filosofia, pouco interessa, mas apeteceu-me discorrer! :))

resumindo, portanto: certezas só as haverá no momento em que se chegue, de facto, ao momento da verdade. até lá, sonhar e planear é a única coisa que se pode fazer. :)

Costinhas disse...

discorre à vontade.

aproveita enquanto não nos taxam ao carácter para combater a crise :p

sbn disse...

hmm... espero que não se lembrem de tal. e especialmente sem retroactivos, senão estou tramada! LOL!

Lúcia disse...

Podemos sempre abrandar, sacrificando um dos lados do trabalho. mas tudo depende dos teus planos, dos teus sonhos e se o sonho merece o sacrificio, então força continua. bjnhs