terça-feira, março 22, 2011

Sinto-me quase...

como numa daquelas máquinas de tortura medievais que esticavam braços, pernas, cabeça, cada um para seu lado, com a ligeira variante que o que sinto a ser puxado são os neurónios que por aqui andam nesta cabeça (tantas vezes) no ar.

É o trabalho 1, é o 2, é a asma da mais velha, os ginetes do mais novo, as obras, as actividades deles, o ter de alimentar e ser alimentada, a roupa, a criatividade à pressão, o pó, as ideias que teimam em sair e o tempo que insiste em fugir delas, os bichos, os censos, os amigos, a...

Hoje sinto-me especialmente esticada, tudo a puxar para o seu lado, tudo a dizer tenho pressa, é urgente, e, até domingo sou a única crescida em casa.

Às vezes o que nos anima, o que nos faz sentir felizes também nos atira ao chão e nos separa, pedacinho a pedacinho, cada um para seu lado, fazendo revoltar o corpo e forçando os neurónios a sair à rua empunhando cartazes a reivindicar mais tempo e menos decisões.

Hoje é um desses dias. E a revolta deve estar a ser tão grande que até o cabelo lançou um tufo para o ar e assim se mantém indiferente a todas as tentativas de lhe mostrar a razão.

10 comentários:

Maria disse...

Força! Amanhã será um dia melhor. As melhoras para a Joana.

:)

pandora disse...

sinto-me assim frequentemente. O coelho da história da alice no país das maravilhas, sempre a correr, sempre atrasada. Resultado: ontem queimei uma camisola com o ferro quando fui limpar um iogurte entornado, deixei o café escorrer por fora, quando fui estender um edredão num instante, esqueci-me certamente de alguma coisa importante. E os dias sucedem-se assim. Onde é que está o botão de pausa, para que possamos respirar e recuperar o fôlego?
Não me consola o mal dos outros, sinceramente, mas fico sempre aliviada por perceber que é mais a vida que levamos que leva a este estado de espírito (momentâneo e transitório é verdade)do que um fracasso meu individual.
Beijinho
Lia
PS alivia-me também saber que os nossos filhos partilham mÊs de nascimento e o feitio difícil como os diabos (onde é que se desliga a máquina dos nãos e do mau génio?)

Costinhas disse...

Lia, se encontrares o botão... AVISA! :))

beijinho às duas e aos que virão

Rita (a minha pequena lua) disse...

amanhã será um dia novo e mais animador... também eu me sinto assim frequentemente, a ser puxada por várias partes e sem conseguir dar a verdadeira atenção a nenhuma. mas um dia de cada vez. e acredita que amanhã será um dia novo, mais animador, em que te vais sentir melhor, mais renovada e mais capaz. comigo costuma resultar. e olha, por vezes, quando é assim, mais vale pararmos nesse dia. sei que é difícil, que atrasa muita coisa, mas por vezes vale a pena, para teres maior capacidade e disponibilidade no dia seguinte... e olha, o mais importante, que a menina melhore, que a saúde é o nosso bem mais importante... beijinhos Sandra!

Mnc disse...

Bolas...
Beijocas e as "melhoras!

gralha disse...

Se ao menos esses puxões nos fizessem crescer o cabelo ou o comprimento das pernas :) força Costinhas!

Luz de Estrelas disse...

AHAHAHAHAHAHAH Gostei muito deste teu texto. Deixa-me cá rir enquanto o meu cabelo está adormecido.

Costinhas disse...

ri-te baixinho não vá o dito acordar. é que nem imaginas a minha figurinha hoje :p

rosinha_dos_limoes disse...

gostei da imagem do teu cabelo LOL
Bem ... tu não se pode dizer que levas uma vida slow, isso não ... amanhã é um novo e renovado dia ;)

Soph disse...

... e APESAR DE TUDO... és FELIZ!
E isso é que IMPORTA!