sábado, abril 30, 2011

Ainda nem estou em mim...

Ficaram os dois no quarto, a conversar (e a desconversar também), a rir, a saltar (e a fazer mortais na minha cama) até perto das onze, depois ela calou-se e só passado um bocado é que dei conta que ele andava de um lado para o outro no quarto às escuras, sem conseguir adormecer mas sem de lá sair e sem sequer chamar por mim.

Nem queria acreditar!


Passado mais um bocado sossegou, e, ao invés de sentir um gostinho a vitória por finalmente ele ser capaz de se sossegar sozinho, senti-me culpada por estar a trabalhar no computador e não estar lá com ele.

E fui lá dar-lhe um beijinho e dizer-lhe que gosto dele. Ele abraçou-me, perguntou pelo pai, aconchegou-se novamente e eu saí. Simples.

Coração de mãe é bicho estranho mesmo...

4 comentários:

ROSINHA (tilida5ever design) disse...

Como te compreendo*

Helena Barreta disse...

Está a ficar um crescido, é o que é.

Beijinhos

Ana Cravo disse...

Comigo é tal e qual...queixo-me que ele não me larga, mas quando não me larga sinto-me abandonada :p

Rita disse...

Igualzinho por aqui, quando ele não chama nem diz nada mas eu percebo que está às voltas na cama, enquanto a irmã já dorme, só me apetece ir para lá e ficar com ele até adormecer... Mas eu aguento-me, a maior parte das vezes ;P
Bj grande