terça-feira, abril 05, 2011

A incompetência no seu esplendor...


Pois que a sra. recenseadora que ficou destacada para a minha área de residência se há coisa pela qual não prima é pela competência.

Comecemos pelo princípio. Diz que a 15/3 foi deixado na minha caixa do correio o papelinho da direita. Eu só reparei nele dias mais tarde misturado com a correspondência entretanto recebida, pelo que não tenho como confirmar isso. Fiquei também nessa altura a saber que, supostamente, ela tinha lá passado uma segunda vez a deixar os papéis mas se passou nós não estávamos e papéis nem vê-los.

A seguir foi a aventura de irmos à Junta de Freguesia pedir o código de acesso à internet para podermos entregar os censos, já que a senhora recenseadora nunca mais deu fé de si nem deixou nenhum número de contacto. No dia seguinte a ter entregue os censos, encontrei o papelinho da esquerda na minha caixa do correio, juntamente com os impressos e um código de acesso à internet.

Pensei cá para mim ai agora é que apareces? e atirei os papéis para cima da secretária sem lhes dar importância. Hoje de manhã, à procura do passe no meio da papelada acumulada, encontro os papéis dos censos e decido deitá-los ao lixo, mas de repente algo me faz parar e pensar tu queres ver?!... pego nos dois papéis de contacto que ela me deixou e sim, a senhora recenseadora marcou a mesma casa com dois códigos diferentes.

Agora digam-me lá, isto dá vontade de fazer o quê?!

17 comentários:

sbn disse...

em tendo tempo/oportunidade, dá vontade de apresentar uma queixa.
se o nível de competência foi este no país todo, vão ser uns censos mto fiáveis vão...

Costinhas disse...

sim, acho que definitivamente merece que gaste algum do meu tempo a reclamar de tal situação.

agora não sei bem é a quem dirigir esta reclamação de forma a que não fique convenientemente "arquivada"...

Luna disse...

Isso incompetência enorme fazes mto bem reclamar, não perdes nada tempo com isso. Ainda por cima as ditas pessoas receberam formação para preencher ou ajudar preencher esses impressos, pelo sei não vão receber nada mal, trabalho assim até eu fazia melhor e sem formação.
bjos
Luna&Petizes

Mónica disse...

Dear God...

Helena Barreta disse...

É o desnorte, desleixo, perguntas que deixam de existir quando, certamente, muitos já os entregaram, estes Censos espelham bem o rumo do nosso país e, neste caso, de quem trabalha sem rigor. Tristeza.

Márcia Carvalho disse...

Ás vezes também é preciso ter calma nas criticas, deixem-me ser aqui o advogado do diabo. Erros e enganos acontecem mas, vá, que eu não acompanhei a "aventura" e agora também não fui ao link! Pronto, desculpem lá qualquer coisinha...

Costinhas disse...

Márcia, enganos todos podem ter, mas em algo tão importante como os censos atribuir dois códigos de identificação à mesma casa?

Tu estás a ver bem o que isso implica? Agora imagina erros destes a nível nacional!

Dadinha disse...

Cuidado com ela! Pela certa o proximo emprego (não trabalho) dessa criatura será: gestora publica/Administradora de uma empresa publica/deputada/ministra qualquer coisinha assim... a ver vamos....
Tem calma e reclama!

manue disse...

atenção que os recenseadores ganham pouco e nem sabem quando vão receber, têm de assumir as despesas de deslocação, são lhes atribuidos muitos alojamentos e às vezes podem não conseguir voltar mais do que uma vez a um alojamento (por exemplo podem ter de fazer um desvio tão grande que o impeça de ir a outro sítio onde poderia despachar mais inquéritos, além de pode não conseguir despachar tudo a uma hora "decente" e já não tem lata de ir tocar à porta) não têm tempo para voltar a outro onde falta só um. Além disso em muitos concelhos a formação foi feita à pressa porque as pessoas vão desistindo ao conhecer as verdadeira condições (recibo verde ou acto isolado, sem saber quando se recebe). Just saying :)

Costinhas disse...

manue, por muito verdade que isso possa ser, não encontro aí uma justificação para uma recenseadora ter supostamente efectuado três deslocações à mesma casa, não ter deixado número de contacto, nem impressos, nem código de acesso como era suposto fazer das duas primeiras e ter à deixado à terceira, impressos e códigos de acesso e um novo código para a mesma residência.

Há uma coisa a que chamo de brio pelo trabalho que se faz, e isso não depende do quanto se recebe. Especialmente quando erros destes afectam o resultado final de um projecto de nível nacional e com relevância para o nosso futuro.

Rita (a minha pequena lua) disse...

não acho normal...

sbn disse...

@Costinhas, último comentário: nem mais!!

e, além do mais, a organização deste trabalho, a selecção das pessoas e a formação das mesmas tem que ser feita com muito cuidado, sob pena de o resultado final ser mto abaixo do nível de qualidade necessário - alguém teve culpa em ter contratado uma pessoa que, claramente, não tem a mínima competência para o trabalho ou não teve formação adequada.
portanto a queixa serve não apenas para "bater" na cabeça de quem fez a asneira mas também em quem está "acima" e é responsável pela pessoa em causa!

sbn disse...

ou deveria servir... mas sendo o país que é, o mais certo é cair em saco roto, infelizmente... :-(

manue disse...

exactamente SBN, a culpa é de quem está acima, porque muitos recenseadores foram lançados às feras sem formação. Pena o INE não ter dado o exemplo e ter fomentado a precariedade e falta de rigor.

sbn disse...

a falta de rigor é de lamentar, sem dúvida...

mas neste caso a precariedade faz sentido, já que é um trabalho limitado no tempo: a vaga de responsável pelos formulários do CENSOS só existe duas ou três semanas de dez em dez anos, pelo que não faria sentido estar dar outro tipo de contrato...

manue disse...

mmmm, mas recibos verdes, onde o recenseador tem de pagar segurança social cada mês a partir do momento em que começou a distribuição, até o dia em que receberá, (que ninguém sabe quando é)? pagar 124 euros para a SS de Março até digamos, Junho, só dá prejuizo, daí não fazer sentido. (ok dá para fazer acto isolado para quem não tiver actividade aberta, menos mau) . Um contrato de três ou quatro meses não podia ser? (não percebo muito disso)
Dá para perceber que não gosto de recibos verdes, não dá? lol

sbn disse...

se calhar dava para um contrato a prazo... tb não sei, não estou por dentro da lei.
mas possivelmente o mal maior estará mesmo na falta do pagamento atempado...