sexta-feira, junho 03, 2011

Na segunda...

ao comer um pêssego distraidamente ao mesmo tempo que trabalhava, sinto o caroço a saltar e vem um sabor desagradável à boca. Estava cheio de coisinhas pretas no meio do caroço que sabiam mal e deixaram um ligeiro tremor no lábio. Eis senão quando me cai um bicho cheio de patas da boca. BLHAC.

Depois disso, estava (distraidamente) sentada no metro a regressar para casa quando de repente olho pela janela e vejo a minha saída do lado de lá. Levanto-me, mas o mar de gente impossibilita-me chegar à porta antes que esta feche, e, eu fico a ver a paragem do outro lado e a mentalizar-me para mais o atraso nos planos quando sem aviso, eis que as portas abrem e o senhor maquinista me deita um sorriso (eu vou sempre junto da primeira porta da primeira carruagem). Será que ele me viu pelas câmaras internas? Fosse como fosse, conclui que esta sorte compensava largamente os azares anteriores e sorri.

Hoje, depois de uma saída de casa atribulada deixo-a na escola e dirijo-me para a dele para ver e registar o concerto do grupo mais fabulástico de todos os tempos (ie, a sala do mais novo) e entre escolas, dou conta que me esqueci de um trabalho para entregar em casa, fico piurça comigo e toca de cravar o marido para me safar de mais uma.

Depois do concerto e de recolher autógrafos dos membros da banda, chego ao metro e nada de passe. Procuro, remexo mala, remexo carteiras e nada. Passo o sete colinas que anda numa carteira à parte para estas eventualidades e sigo caminho.

Entro no metro, e uma senhora toca-me no braço e faz intenção de se levantar. Sente-se, é melhor sentar-se. Diz ao mesmo tempo que deixa escapar um sorrisinho cúmplice. E eu não, obrigada. E ela, olhe que é mais seguro, novamente com o sorrisinho do tu-a-mim-não-me-enganas-marota. Não me sentei. E pensei que talvez fosse melhor começar a amealhar para a tal operação aos músculos da barriga.

Chego ao trabalho, sento-me, tento entrar na minha conta e nada. Conta bloqueada.

Logo à tarde vou ter muita sorte, certo?

7 comentários:

Mónica disse...

Bem... nem sei que te diga :D

Ana disse...

Garanto-te que vais ter um fim de dia espectacular!! :p Pelo sim pelo não, vem devagarinho, ok? E verifica níveis de óleo e essas coisas...

Tita disse...

Bem isso ai não esta famoso!
Relaxa e aproveita o fim de semana paea espantar esses males!

jmalho disse...

Como dizia o Snoopy "I hate Mondays" ;))

Mas essa do bicho horroroso a sair-te da boca ninguém merece...a choque que tina uma sincope LOL

Bjos

jmalho disse...

Ai as pressas na escrita... :))
o que devia ter escrito: acho que tinha uma sincope LOL

Bjos again

Clara disse...

epá eu fiquei no primeiro parágrafo... o do bicho cheio de pattas no caroço do pessego, nhaca! argh! Mas que dia, vai-te benzer, como diria a minha avó.



....


Bicho cheio de patas

...

ugh, blac, nhaca

J disse...

Foi exactamente por causa dum bicharoco nojento dentro de um caroço de pêssegos que eu passei ANOS sem tocar sequer nesse fruto!
E olha que não o cheguei a ter na boca thank God...

Blhac blhac