quinta-feira, novembro 10, 2011

Vou ali autoflagelar-me e já volto...

O miúdo acordou doente da garganta mas naquele ponto que não está suficientemente doente para se ter a certeza que à noite ainda vai estar assim, ou se até é coisa para passar durante o dia. O pai não podia ficar em casa, a mãe não podia ficar em casa pelo que se tinha de encontrar uma alternativa rapidamente.

Dos três avós, dois ainda trabalham por isso a esperança ficou depositada no avô paterno. Telefonou-se e o avô tudo bem, que tinha uma consulta marcada no centro de saúde mas se nós não nos importássemos que ele o levasse com ele o rapaz que fosse ficar com ele.

E ele foi.

E eu não me lembrei mais do filho doente até ainda há pouco quando o marido me telefona a saber se eu vou buscar a miúda para ele ir ao médico com ele.

Sim, eu sou uma mãe muito pouco galinha.

[e com muito trabalho também...]

4 comentários:

Rita disse...

Que não seja nada de grave.

Beijinho

Rita (a minha pequena lua) disse...

eu nisso sou tão diferente. tinha ligado várias vezes a saber dele... que não seja nada de muito chato. beijinho

Helena Barreta disse...

Espero que o Miguel tenha acordado "fresco que nem uma alface".

Beijinhos

Mãe ao quadrado disse...

finalmente alguém como eu :D

é q há tanta gente a dar-me na mona por ser assim :S

jokas