terça-feira, janeiro 16, 2007

Palavras difíceis...

Eu já lhe expliquei (ou melhor fui obrigada porque ela não se calava com isso) que os bebés não nascem só pela barriga (de cesariana). Já lhe expliquei, que o normal é nascerem por um buraquinho que temos. Já lhe expliquei que o pipi tem dois buraquinhos, que um é por onde sai o xixi e que o outro é por onde nascem os bebés (e basta de funcionalidades por agora :p). Já expliquei o processo de nascimento todo, mas ainda não fui capaz (ao contrário de ti) de dizer que esse buraquinho se chama "vagina". É este pudor herdado dos meus pais que me impede de dizer estas palavras. É ele que me faz soar as palavras a coisas feias quando as digo. Que me impele a dizer "pipi", "pilinha" e por aí fora. E eu queria tanto ser capaz de chamar as coisas pelos nomes certos. Queria tanto que não houvesse pudor nas nossas conversas (principalmente daqui a uns anos). A vergonha que me passaram é muito forte, e custa-me muito contrariá-la, mas quero ultrapassá-la e (acho que) vou conseguir. Os filhos também servem para nos ajudar a combater papões.

15 comentários:

Fernanda Carvalho disse...

Eu tb sou assim... e não acho que seja uma coisa má, sabes. A meu ver tudo tem o seu tempo e eles (os pequenotes) tb se apercebem que há palavras que crescem com eles, como por ex. "mémé" que deixa de o ser e passa a "ovelha" ou "carneiro", ou até mesmo o seu próprio nome (olha o do meu, a partir de uma determinada altura achou que já era "gande" demais para que lhe chamássemos Guga e insistiu que passasse a "Gonçalo".

Tudo tem o seu tempo - a não esquecer.

Bjs grandes

Costinhas disse...

Também tens razão Fernanda... mas o meu medo é que quando chegar a altura de lhe apresentar os nomes certos também não o consiga fazer sem que me deixe desconfortável.

Mas tudo tem o seu tempo... verdade!

Sophie disse...

Eu lembro-me de, já crescida, me sentir desconfortável quando a minha mãe falava dos assuntos usando termos mais "infantis". Achava a coisa tão ridícula, que até me irritava.

Acho que nunca tivémos conversas sobre sexo em condições por eu achar que ela infantilizava tudo.
Nunca confessei isto, mas é verdade.

Eu digo à M. os nomes todos. Os certos e os outros.

Um termo muito pouco usado em Portugal, mas o correcto para "pipi", é vulva. Vagina é o interior.

Amores Perfeitos disse...

pois eu tal como a fernanda acho q tudo tem o seu tempo. eu com a B. refiro me ao pipi e pilinha qd falo com a B.

e não é por uma questão de pudor,pq ela vê me a mim e ao pai a tomar banho e (por enquanto) não temos qq problema com isso. Acho q no tempo q achares certo vais usar os termos "normais"!

Anónimo disse...

A mim tb me passaram esse pudor... Aliás, foi mais além de pudor, era quase uma vergonha falar no assunto. Nunca falei sobre esses assuntos com os meus pais, na idade certa, a minha mãe julgando que eu iria perguntar à minha irmã mais velha, eu não perguntando nada a ninguém. QUando tive noção, consciência da minha ignorância, senti-me, confesso, pequenina, com vergonha POR NÃO SABER. E por isso, e por mt mais, pois está claro, não deixarei de falar nisso com a minha filha, chamando "os bois pelos nomes", para que ela não passe pela vergonha que eu passei em virtude do meu pudor.
Mas, tal como a ti, sei que me vai custar...

Leonor disse...

Eu acho que pipi e pilinha são os nomes ideais para os primeiros anos. Não vou cá em conversas de livros que acham que se deve dizer vagina e pénis logo quando começam a falar, não é que ache mal, nem é uma questão de vergonha, nem sei bem o que é, mas não me imagino já a ensinar aos meus pequenos as palavras correctas. Por exemplo, eu digo/ensino "vamos limpar o pipi/pilinha" e não me imagino dizer "vamos limpar a vagina/pénis". A mim sempre me ensinaram pipi e eu aprendi que era vagina com livros que me foram dando aos 4, 5 anos e nunca me preocupei com isso. Não é que ache que se deva esconder os nomes correctos, não! A minha visão é ensinar primeiro os mais infantis, e depois sim, não tem qualquer tipo de mal dizer os outros nomes, mas ainda assim, continuar a tratar pelos mais infantis.
São opiniões.
Beijinhos

Loira disse...

Não me custa nada dizer vagina, pelo menos, por enqto LOL!
Bom, penso um bocadinho como a Leonor. Acho q, enqto for mais pequenino, direi pipi e pilinha (mas sem ocultar os verdadeiros nomes). Mais tarde, utilizarei os nomes verdadeiros. Mas, isto digo eu, q nem sei qual é a opinião do Zé sobre o assunto...
bj*

carla disse...

Pois, eu falei sobre esse assunto com ele tinha ele 3 anos, pq ele questionou tudo qundo eu fiquei grávida da irmã e tive de explicar como é que o bebé entrou cá para dentro , usei os termos "pipi" e "pilinha", mas não acho que tenha sido por pudor, pq ele tem quase 7 anos e continua a tomar banho comigo...a seu tempo eu uso os nomes reais!!!

Beijo

Anónimo disse...

A minha sorte (ou a falta dela) é que não é um assunto que o Kiko dê interesse, mas confesso que usar certas palavras me faz confusão e para o dia-a-dia na idade deles acho que bastam os pipis e pilinhas;)
Beijocas

Clara Sonhadora disse...

Essa dos pipis e afins tem os seus quês, como tudo, vou contar-te para que te rias um pouco. Umas primas adoptaram desde a 1ª hora chamar os "bois pelo nome", não há cá pipis, pilinhas nem afins, são portanto, vagina e pénis, apesar do chamemos-lhe espanto que temos quando ouvimos os nomes técnicos a sair da boca tão pequena dos mesmos.
Estava a avó (minha tia) toda contente a falar com uma senhora grávida, conversa puxa conversa, é um rapaz. Boa, vem aí um pilinhas, diz a minha tia.
Não vem um pilinhas, avó, vem um pénis! (escusado é referir quem se saiu com essa :P)

Morena disse...

Por aqui ainda não há dessas conversas, ou melhor, quase só há monólogos que ela fala muito pouco. Quando chegar a altura? Não sei, mas provavelmente vou fazer como tu. E não é uma questão de esconder, mas como já todas chegámos à conclusão, tudo a seu tempo.
Bjs

Anónimo disse...

Nós também ainda andamos com os pipis/pilinhas.
Na altura certa, acredito que vou reconhece-la, passaremos à fase seguinte.

barbarayu disse...

amiga.. a mim também me custou um pouco dizer mas achei que era melhor assim...

mas compreendo-vos, pois também lhes digo que vamos lavar o pilau e não o pénis..

é como se os nomes verdadeiros servissem para apelidar os órgãos dos crescidos, maduros e aptos para iniciar o processo reprodutivo e chamarmos pipi e pilau aos órgãos dos mais pequeninos, percebes?

beijos grandes!

Sandra J. disse...

Aqui em casa há o bilu e a lalica, por ser diferente e engraçado e não por pudor, mas ainda nem pensei como falarei com eles, quando chegar a altura logo vejo ;p
Bjs

Carla O. disse...

Como tive a sorte de ter uns pais (e ainda mais a mãe) com quem pude sempre falar abertamente de tudo,
também explico tudo, mas também não consigo usar os termos nús e crús - acho-os ainda muito novos - embora a curiosidade da Inês aumente a olhos vistos ;)
Bjs