quinta-feira, setembro 27, 2007

Sou feita...

de portas abertas. Escancaradas. Que deixam entrar o ar e a luz do dia mas que mantêm os cantos mergulhados em sombras. Incapazes de serem partilhados. Ditos.

Até um dia. Em que a porta começa lentamente a fechar-se. Terá sido o vento? E o ângulo é cada vez mais agudo. Serei eu que a estou a fechar sem dar por isso? O interior cada vez mais sombra. Ou quem foi? A vontade de a fechar que aumenta. Queima. Mas a incapacidade mantém-se. E vive-se assim com a porta entreaberta. Insatisfeito.

Fecha a porta, fecha a porta.

Eu quero. Mas não sou capaz. E tenho pena.

14 comentários:

Mãe Babada disse...

ÁS vezes é preciso fechá-la para que se possam arrumar as coisa que há lá dentro e dentro da nossa cabeça.

Fecha-a quando o teu coração disser, mas deixa-a no trinco, não a tranques...para que possas abri-la sempre que desejas... sem pressões...sem obrigação.

Um Beijo

Tânia disse...

Cada vez mais fechada, por estes lados...

www.palavrademae.blogspot.com/ disse...

Andas um pouco confusão não?

Se a porta que falas em fechar é a porta do blog, vou ter muita pena se o fizeres, apesar de não comentar muito, todos os dias dou um olhinho por aqui, além que os links ali ao lado para ver os blogs que gosto.

Monica disse...

Às vezes é preciso fechar... mas não dês a volta à chave ;)
Beijocas

buggy disse...

quando a vontade/necessidade fôr superior à incapacidade elas vão-se fechar...

Baguigolas disse...

As sombras nunca, de forma alguma, as tirarei, as mostrarei aqui. Mostro-as sim a quem gosto de verdade..ou não!!! E agora doeu... Se se pensar, há mesmo coisas que não se mostram. E que ás tantas não sabemos se havemos de fachar mesmo tudo.
Mas, como te dizem. Nunca tranques.

Costinhas disse...

meninas, isto não tem nada a ver com fechar o blog, que esse está bem de saúde.

Alda disse...

Sandra, às vezes temos de, pelo menos, encostar a porta. Precisamente para que as poeiras não entrem dentro de casa... e, depois, quando tudo estiver limpo, podemos voltar a abri-la. Que é bom deixar entrar o sol (nas alturas certas)!

Mãe Frenética disse...

Oh Costinhas, sinto-me tao em sintonia ctgo...

Familia Paiva Alvo disse...

Lindo! O texto!
Além da fotografia tens queda para a escrita! Parabéns...
Podemos fechar a porta mas nunca trancá-la!
Esta fase vai passar e tu vais puder ainda desfrutar muito dos teus fofos...

Princesa Julinha disse...

Não feches!!! Para quê?! Porquê?!

A porta por cá continua sempre aberta! :) E já lá vãos um par de anos.

Bjs e bom fds

MC disse...

Acho que não é o vento, é a vida, são os outros, somos nós, as mudanças, as coisas que acontecem e as que não, a soma das alegrias com as desilusões. Na verdade, não sei mesmo o que é que abre, empurra, tranca ou fecha as nossas portas. Mas gostei muito da comparação que fizeste.

bjs Grandes

PS: tenta fechar a porta e abrir uma janela para iluminares por instantes esses cantos.

Ana disse...

Sandra,

E não é assim que se cresce e se avança?

Ao ter a noção da insatisfação é chegada a altura de perceber porquê e de mexer no que dói..no que ficou por fechar ou por abrir...

O autoconhecimento tem um grande poder sobre as nossas vidas...penso que estás a descobri-lo!

Um beijinho!

barbarayu disse...

Eu ando assim... com a minha porta entraberta... não sei é quando a voltarei a abrir...

beijos, muitos!