sexta-feira, março 21, 2008

Andamos em arrumações...

e eu encontrei este apontamento de uma conversa com ela a 21 de Setembro de 2007, rabiscado na folha de notas diárias da escola:
Na esplanada onde vamos depois da escola, ela a seguir com os olhos a empregada que nos atende diariamente: - ela é tua amiga? - não... a mãe só a conhece daqui. queres perguntar-lhe o nome? - sim! um dia quando for crescida vou perguntar-lhe o nome. - só quando fores crescida? - sim! muito crescida. quando já não tiver medo! - medo de quê? - medo das pessoas que não conheço! quando for crescida, não vou ter medo e vou perguntar o nome e aquela pessoa vai ser minha amiga!

2 comentários:

Soph disse...

Engraçado teres feito este post hoje... porque por aqui... estamos com "uns" belos kilos de vergonha!!!!

;)

Henriques disse...

É curioso não é? O + certo é que a maioria dos adultos cresce e com eles cresce o medo. Pudessemos nós manter este espírito sempre, e não ter vergonhas, nem medos, das reacções ou do "parece mal", porque sem dúvida que só é desconhecido até dizermos o 1º Olá, e se não o dissermos nunca vamos saber, mas certamente muitos amigos deixamos de ter por simples "burrice". Desde há algum tempo a esta parte que deixei-me de tretas deste tipo, e não é que me sinto mesmo uma pessoa melhor?