terça-feira, abril 08, 2008

Hoje à saída do trabalho...


enquanto tentava saltar por cima das poças que se formavam no passeio e afastar-me o suficiente da berma para não levar um banho de água suja, pensava com os meus botões que afinal até gostava de não ter de andar a conduzir naquela zona em dias de chuva.

São as filas intermináveis, o pessoal irritado e pronto a buzinar ao primeiro que não arranque em .087 segundos após o da frente o ter feito, os derrapanços que às vezes resultam em toques da treta que provocam ainda mais filas e mais gente irritada.

Penso com os meus botões, enquanto me abrigo debaixo do chapéu que rapinei lá do gabinete, que é muito bom deixar-me ir, mesmo com os encontrões e afins, em autocarros mais ou menos cheios de pessoas, mais ou menos bem-dispostas, e não me ter de preocupar com o pára-arranca-pára-PÁRA! guardando essa chatice para os motoristas que fazem disso o seu ganha-pão.

Eis que chega então o autocarro e arranca-me para a realidade. A porta abre e a fila avança. Um por um, qual ovelha seguindo o rebanho, vão entrando todos os que me precediam na espera dentro do bicho, até chegar a vez da senhora à minha frente, senhora bem-posta e conhecedora do que está in, com postura elegante e sapatos que destoam com o chão de tão limpos que estavam. Avança segura em direcção da porta e, num movimento fluído, sobe o primeiro degrau baixando o chapéu-de-chuva e deixando perceber a intenção de o fechar. Eu avanço e quando me preparo para entrar, a senhora abre e fecha o chapéu, uma, duas vezes para sacudir a água, pensando talvez em poupar o chão já bastante enlameado de mais umas pingas sorrateiras. Abre e fecha, abre e fecha, mesmo na minha cara.

Retirei logo ali o meu pensamento sobre o bom que é andar de autocarro em dias de chuva. Mesmo.

8 comentários:

Mãe do Gonçalo disse...

Nada como um bom banho para nos trazer de volta à realidade! LOL
Beijos,
Paula

Mamã Catarina disse...

Isto há com cada uma! Para quê estar e andar toda repenicada, e depois ter gestos destes, completamente descabidos e sem lembrar o próximo? Ai tu desculpa, mas eu acho que me passava na hora :(

No entanto, e mesmo sem estas peripécias, eu não trocava o conforto de um carrinho! Podia demorar horas numa fila, mas ao menos ía sentadinha e até podia ouvir uma musiquinha, tinha conforto! Além disso, também os transportes públicos estão sujeitos ao pára-arranca da cidade! Bom, mas isso talvez seja eu, que estou mais do que farta de andar para a frente e para trás de transportes :(

Beijinhos!!

Soph disse...

É caso para dizer que no MAIS CARO PANO... cai a nódoa!!!

Ou essa "senhora" era MESMO a própria nódoa?!?!?!?!!!!!

;)

Costinhas disse...

eu prefiro pensar que a senhora se distraiu... além de que, depois de me ver a pingar, pediu logo desculpa :p

coisas que acontecem...

Nucha disse...

Obrigada! Vou recomeçar "nessas andanças" dos tranportes públicos e já não me lembrava desses episódios maravilhosos... hehehehe

Beijinhos

Monica disse...

Há pessoal que sinceramente...

Bala disse...

E a senhora não usava óculos escuros, não?
É que assim eu até entendia que não te visse!...

Bjinhos,

Ps- Noto que trabalhamos para os mesmos lados de Lisboa.....:o)

a mamã dos reguilas disse...

pior mesmo nem é o autocarro mas as pessoas que neles andam e a quem falta o respeito e o civismo