terça-feira, julho 13, 2010

Desde o meio de Junho até ao meio de Outubro...

e exceptuando os treze dias de férias (porque acabei por marcar trabalho no primeiro dia férias) não vou parar de trabalhar um único dia.

E é nesta altura que o cansaço não me verga mas a inércia dos dias comuns me tira do sério.

Tinha tão melhores formas de ocupar este meu tempo*. Podia fazer tão mais e tão mais atempadamente.

Era poder mandar isto para trás das costas e nem pensava duas vezes... quem sabe um dia. Quem sabe.


* dos dias "comuns" porque dos restantes é a maneira com que eu quero passar a ocupar o meu tempo. Eu estou sinceramente feliz por não ter dias livres, pois isso significa que não me falta trabalho.

6 comentários:

Luciana disse...

Como eu compreendo...
A partir de ontem e durante as proximas seis semanas estou a fazer um horário de 11 horas diárias, tendo em conta que estou com uma barriga de seis meses e meio e que há uma petiz de quase quatro anos em casa que necessita de atenção....
Mas depois vingo-me, a partir de 10 de Setembro e nos seis meses seguintes vou dedicar-me inteiramente ás minhas meninas e á familia!!!
Mas agora custa, ui se custa......
Força
Beijo
Luciana

Mãe(q.b.) disse...

Ah vida ingrata... era um momento alucinado e "freelançavas-te" de vez :D

jocas

Luna disse...

uns queixa-se não tem trabalho, outros tem demais!
bjos
Luna

Tânia disse...

QUalquer dia dás o salto de vez

Madame Pirulitos disse...

:):)

E um dia desses é meu!

Costinhas disse...

Luna, não me queixo de ter muito trabalho, queixo-me é de ter um trabalho que não me permite ter ainda mais trabalho! Uma confusão portanto ;)

Tânia, já faltou mais. Faltam pelo menos dois anos :p

Pirulitos, vai ser muito bom :)