segunda-feira, dezembro 17, 2012

Quando eles tomam o controle...







Com um dia de atraso, no dia 9 cumpriu-se a tradição e deu-se início ao Natal. Este ano limitei-me a pegar-lhes ao colo para chegar onde não conseguiam (e só até se tornarem novamente independentes quando se lembraram que uma cadeira fazia muito bem as vezes) e a apreciar o trabalho de equipa.

Esta árvore tem de tudo, o que combina e o que nem tanto assim, decorações de vidro com 13 anos (cada vez menos, é um facto), outras feitas especialmente a pensar neles, umas caras e delicadas, outras baratas e inquebráveis, pais natal de metal, mensagens deles e de outros para nós, anjos que foram outrora argolas de guardanapo. Esta árvore tem de tudo, e quanto mais cheia de coisas ela fica, mais ela se torna nós.

E eu gosto deste nós.

3 comentários:

SaraA disse...

É engraçado que também fiz exatamente a mesma coisa, decoraram a árvore como lhes apeteceu, ficando com uma mistura de bolas de vários feitios, pequenos trabalhos da escola feitos por eles e até biscoitos decorados por eles, presos com um fio. Ainda passaram por lá daqueles chocolates de pendurar mas que foi sol de pouca dura. E adoro a minha árvore assim! Beijos

Dulce disse...

E eu gosto de vós.

Ana disse...

Também gosto das árvores assim, com a identidade de quem as faz muito mais do que aquelas que parecem de montra de loja de decoração.

O gato teve direito a um enfeite só dele antes de eu encontrar um para cada um de nós os dois. Mas ainda quero tratar disso para este Natal. :)